Pesquisar por palavra-chave

quinta-feira, janeiro 24, 2008

Da Coluna do Papudinho SALINAS Amiga minha resolve ir a Salinas de ônibus na segunda-feira para desfrutar da companhia de familiares de férias no aprazível município. Sai do Terminal Rodoviário às 13h. Passagem “veículo com ar-condicionado”. Ao subir na marinete, um primeiro susto: sujeira. Um segundo susto: não havia cinto de segurança. Os sustos não pararam aí. Às proximidades de Castanhal, o ônibus passa a se movimentar com baixíssima velocidade, quase parando. Depois, pára mesmo. Quase meia hora. Então o motorista anuncia falhas no acelerador e a troca de carro na garagem da empresa. Para encurtar o relato, a troca foi feita em Castanhal. Por ônibus ainda mais sujo, mais velho, sem cinto de segurança e sem o “ar-condicionado” já pago. Chegada em Salinópolis com desconforto e atraso. A querelante - deu um jeito de voltar para Belém de carona e jura que nunca mais pisa em ônibus Belém / Salinas - diz que não ligou para a Arcon para reclamar porque não faz fé nem no “0800” nem nessas agências inventadas pelos tucanos e que os petistas ainda não deram jeito. - Taí a Anca pra provar a minha tese: agências reguladoras não funcionam nem na terra nem no ar. Usuário e consumidor sofrem sempre. Podes crer e escrever.