Pesquisar por palavra-chave

sábado, janeiro 26, 2008

A Pólis não Pára

Uma garota que diz ter 19 anos, negra, com uma mochila nas costa e visivelmente debilitada, roda pelas redondezas do terminal rodoviário de São Brás em busca de socorro. Vinda do Maranhão no trem da Vale, a jovem, declarou que já passou por vários locais, sofreu diversas agressões, estupro, violência física e emocional, mas que não quer voltar para seu município de origem por não aguentar tanta miséria por lá. Vítima de uma sociedade excludente, anda pelos bares, moteis e barracos que lhe dão arrêgo.