Pesquisar por palavra-chave

quarta-feira, julho 09, 2008

Um Punhado da Santa Casa

O novo diretor da Santa Casa, Maurício Bezerra, vai aproveitar a visita de uma comissão de senadores ao hospital, para pedir que se empenhem, junto ao ministro da Saúde, José Temporão, para que os recursos prometidos para a fundação (R$ 6 milhões), sejam imediatamente liberados. Bezerra lembrou que, até hoje, nenhum senador paraense apresentou qualquer emenda ao orçamento da União, destinando recursos para a Santa Casa.
Fonte: Repórter Diário _______________________x__________________________

Quase 20 dias após a revelação do problema envolvendo mortes de recém-nascidos na Santa Casa de Belém (PA), o novo presidente do hospital divulgou na terça-feira (8) que 63 bebês morreram na instituição desde junho --54 no mês passado e nove até o último dia 7.

Em nota do último dia 2, o governo de Ana Júlia Carepa (PT) disse que 253 dos 1.710 bebês internados na Santa Casa de janeiro a junho deste ano morreram --taxa de mortalidade de 14,8%. Em 2007, segundo o governo, o índice foi de 16,2%.

Dados referentes a abril, maio e junho de 2008 divulgados ontem pelo médico sanitarista Maurício Bezerra, que assumiu a presidência da Santa Casa, mostram que o percentual de mortes no setor de neonatologia do hospital é crescente: 16,2%, 20,6% e 21,7%. Considerando apenas as mortes ocorridas na UTI neonatal, o índice de mortalidade é maior: 41% em maio e 56% em junho.

Bezerra disse que junho foi um mês "atípico". Enumerou fatores como superlotação, falta de médicos e deterioração da estrutura física do prédio para explicar os óbitos. "Uma causa infecciosa também não está excluída", afirmou.

O médico reclamou da ausência de R$ 6,1 milhões pedidos em 2007 ao Ministério da Saúde, que incluíam R$ 1,5 milhão para a neonatologia.

A pasta informou que já liberou R$ 1 milhão para a compra de equipamentos. Outros R$ 200 mil mensais serão repassados ao Estado para contratar leitos na rede privada.

Fonte: Folha On Line

_________________________x____________________-

Ana Júlia em dois tempos

No início de maio de 2005, a morte no município de Marabá de trigêmeos, que teriam mais condições de sobreviver caso ali houvesse hospital com UTI neonatal, motivou um pronunciamento comovido da mulher e mãe, a então senadora Ana Júlia Carepa (PT). Disse ela, em pronunciamento na tribuna do Senado: “Minha fala é carregada de tristeza. Tristeza pela história de uma adolescente, que engravidou precocemente, que não teve acesso ao pré-natal, que viu seus três filhos morrerem pela falta de uma unidade neonatal no hospital para onde se dirigiu. Tristeza aumentada porque eram mortes que poderiam ter sido evitadas.” Em junho/julho de 2008, números diariamente atualizados apontam que, no curto período de pouco mais de 30 dias, mais de 60 bebês já morreram na UTI neonatal da Santa Casa de Misericórdia do Pará. A mortandade tem motivado as seguintes declarações da mulher e mãe, a governadora Ana Júlia Carepa (PT): "......................................................................................... Fonte: Blog Espaço Aberto