Pesquisar por palavra-chave

domingo, outubro 19, 2008

Pirante sem a Ana

A turma do PT que está no castelo de Graiscow - o governo - não vai pra campanha do Pirante por pura falta de compromisso deste para com o acordo do partido para com o PMDB, mas quem duvida que na transição não estarão lá, querendo dizerem-se pais da criança?
Ana Júlia, seria a mentora ou seguidora de um plano que não se sabe como começou e muito menos onde vai dá?
O fato desta em não mover um centimetro pro lado azul, com a desculpa furada de manter os deputados do PTB na base aliada, afirmando que o Lula faz o mesmo é obviamente conversa pra boi e vaca dormirem.
A diferença é a governadora que não possue nem de longe a popularidade e carisma do presidente do pernambucano, nem externo nem internamente, no partido que daqui a dois anos irá decidir quem vai para a reeleição.
Aliás, no estatuto do PT não há nada que proíba qualquer filiado a candidatar-se no próximo pleito, disputando nas legítimas prévias a indicação partidária, mas pode ser que o bom senso do núcleo duro da DS, reformule a posição sectária e mantenha o debate vivo, dividindo melhor o bolo, e ponha mais tento em seus coleguinhas, inclusive em fomigeradas que rodeiam a governadora em busca de um crescimento na marra e do dia para o outro, da Democracia Socialista.
Com o resultado das eleições municipais, o mesmo núcleo duro, não terá como dissimular que foi derrotado mesmo com toda a ajuda que dispejou nestas eleições.
O saldo? Um vereador em Belém e 4 prefeituras no interior, das 27 da legenda.
Fica aqui uma importante lembrança ao gigante de pé de argila, deixada por Marx: Tudo que é sólido, se desmancha no ar.