Pesquisar por palavra-chave

quinta-feira, fevereiro 04, 2010

A insustentável levesa do ser

Do PIG*/Veja 
 

28/1, Globo, pág. 2.

Como podemos ver na foto abaixo, o presidente Lula foi a um jantar com Roseana Sarney no Palácio dos Leões e ao se deparar com um garçom de quase dois metros de altura não conseguiu se conter e cometeu a palhaçada da foto. Antigamente existia um conceito de “liturgia do cargo”. Ninguém ensinou isso a Lula.

Antes vivíamos deslumbrados pelos europeus. Os autores, os líderes e culturas do velho mundo eram prestigiadas por qualquer um que se intitulava-se intelectual. Hoje, nosso presidente, um ex-operário, depois de irromper contra todos os desafios impostos à classe trabalhadora e ser "o cara" que mais títulos, elogios e comendas recebeu na história recente deste país; o que mais universidades e  escolas técnicas criou, entre outros investimentos revolucionários na área do ensino, do desenvolvimento social  e tantas conquistas aos menos favorecidos  e que estão em marcha pelo país à fora. Este mesmo presidente ao falar  para as nações mais poderosas com uma retórica contundente e sagaz em defesa dos oprimidos pelo mundo inteiro é alvo dentro de sua própria nação de calúnias, preconceito, discriminação e toda a inveja oriunda da mentalidade pequeno-burguesa existente dentro de muitos brasileiros e brasileiras que reproduzem interpretações de fatos fugazes e sem importância para o desenvolvimento do país, na tentativa de abalar a personalidade de Lula, talvez por faltar em suas histórias de vida o mesmo.
Depois de sua trajetória como presidente do Brasil, Lula já ganhou mais de 240 tiutlos e diplomas (quando chegou ao governo não tinha nenhum), sem falar nas dezenas de Universidade que querem dar-lhe o título de doutor honoris causa e que o mesmo deixou para depois que sair da presidência. Diante de tanta omissão destas informações, ao ler a imprensa golpista  e tradicional de nosso país, qualquer um que acredite na força das idéias oriundas de quem sofreu com a falta de boa alimentação, conforto e que muda, transforma a sua realidade e a realidade coletiva, é sem dúvida merecedor de outras fontes de informações que não a Veja, O globo e tantas outras representantes dos interesses imperialistas.
É uma lástima ter que ler tanta infâmia e mediocridade, justamente de jornalistas diplomados que alienam uma grande parcela de nacionais letrados, com acesso à um computador e supostamente informados e com leitura política do mundo.