Pesquisar por palavra-chave

domingo, março 07, 2010

Diálogo sobre os empréstimos ao povo Pará

A história tem contribuído para esclarecer e informar aos homens a configuração da sociedade e seu movimento. Assim, antes de uma análise precipitada da realidade sobre o empréstimo a ser colocado em pauta de votação na ALEPA é prudente que se recorra aos fatos antecedentes que marcam a história do povo do Pará resultante da irresponsabilidade política de governantes e parlamentares que ocuparam a o Poder Executivo e Legislativo resultando na produção de um quadro de restrição e ausência do exercício da cidadania. Após três anos de intensos estudos da realidade paraense, o governo petista posiciona-se em favor da busca de recursos financeiros para resgatar a cidadania das classes populares, que por décadas foi usada como massa de manobra por parlamentares e governantes inescrupulosos defensores dos interesses de grupos minoritários que controlam os meios de produção neste imenso Estado. Construir um Estado decente, com direitos assegurados a todos os cidadãos é o mote do governo petista, e a prova incontestável dessa lógica, pode ser observada durante os três anos de governo que vem resgatando a cidadania e adotando como estratégia a valorização do social e secundariamente o econômico. Os governos que passaram no Estado do Pará ocorreram no equivoco de que priorizar o econômico apontando para o social como conseqüência do desenvolvimento do primeiro, não conseguiu mudar a cara de Estado, mas apenas elevou a miséria, a dependência, e a perda da dignidade e da auto-estima das classes populares. É hora do povo do Pará dizer sim a proposta de mudança no modelo de desenvolvimento que vem sendo protagonizado pelo governo popular, e que o empréstimo para continuidade do avanço do Estado do Pará seja o elemento aglutinador de novos horizontes para a sociedade paraense como um todo. Newton Pereira é professor, advogado, aluno do mestrado em Teoria Geral do Direito e do Estado.