Pesquisar por palavra-chave

sábado, novembro 20, 2010

Preliminares da Eleição no Pará - I


Desde o fim das eleições venho excitando escrever minhas observações, todas derivadas de mera ação reflexiva sobre os causas e conseqüências da derrota eleitoral do governo Ana Júlia e o futuro do PT no Pará e no Brasil. Não consigo parar de pensar nisso!

É claro que sabemos da existência no PT de um forte melindre meliante de uma parcela de autoritários que imaginam que estão vivendo em pleno stalinismo - onde comentar assuntos partidários fora das arraias do clã, ainda é tido como heresia - mas toda e qualquer avaliação deste processo tende a considerar elementos e fatos que já são públicos e notórios por grande parte dos jornalistas e demais consumidores do noticiário político.

Das análises feitas por petistas, destacam-se postagens feitas no blog da professora Edilza Fontes, ex-superintendente do PTP e da Escola de Governo, candidata à deputada estadual pelo PT no último pleito - e do professor Fábio Castro, ex-secretário de Comunicação do governo Ana Júlia. Estes dois em seus respectivos blogs, até agora abordaram de forma singela e superficial o que a jornalista autora do blog A Perereca da Vizinha vem citando como erros da gestão e da coordenação da campanha eleitoral seja pela lideranças do PT e principalmente o politburo da DS, seja pela empresa de marketing baiana (LINK), contratada para cuidar de toda a campanha eleitoral, pelo mentor mor de Ana Júlia, o Sr. Paulo Heineck.

No entanto, outros petistas já começam à esboçar seu olhar crítico do processo eleitoral e os múltiplos prismas avaliativos trarão a diversidade petista, escondida pelos últimos meses, à flor da pele, pra cima da mesa do jogo partidário. Um deles, é o super-moderado Arroyo, que em seu blog inicia uma análise mais contextualizada e voltada para os princípios e rumos estratégicos que o PT vem discutindo nestes 30 anos de existência.

O que sem dúvida influenciará os níveis de avaliação e críticas entre as diversas tendências internas do partido será a estratégia e os interesses de cada organização/mandato/grupo para o processo eleitoral de 2012. Tal afirmação não é em vão haja vista que considera a mudança sistemática pela qual o partido encaminha-se, muitas vezes sem se dar conta do inexorável processo histórico que requer refluxo e avaliação permanente para que o vislumbramento pelo poder (executivo e parlamentar).

O PT foi o partido que mais se destacou na perspectiva de realizar profundas mudanças na tais como a priorização dos direitos dos trabalhadores e no alcance dos mais pobres aos direitos sócio-culturais e econômicos, não pode alterar seu comportamento político a ponto de aliar-se com adversários programáticos e compor gestões que revelem-se promíscuas, negligentes e até mesmo conservadoras, sob o risco de além de sofrer de uma cegueira que nos faça caminhar para o desfiladeiro da descredibilidade da sociedade.