Pesquisar por palavra-chave

domingo, fevereiro 06, 2011

Aliados de Ana Júlia são alvo de matéria requentada

O Diário do Pará amanheceu bombado e acabou  requentando uma denúncia do ano passado que aponta servidores e deputados aliados do governo Ana Júlia de fraudes na SEMA.


Amigo de jornalistas dos veículos de comunicação de Jader Barbalho - O Diário do Pará, Ney Messias, atual secretário de comunicação do Estado é tido como um dos executores da trama que envolve lideranças ligadas ao governo Ana Júlia, no afã de dar sequências ao plano nacional dos tucanos de queimar as gestões petistas e de aliados nos estados onde o PSDB/DEM as tenham substituído.


As imagens dos deputados é estampada nas páginas do jornal que diz que o caso tramita em segredo de justiça desde setembro de 2009, quando um denunciante declarou:

Com muita astúcia e desenvoltura obtiveram êxito na grande fraude, conseguiram aprovar um plano de manejo completamente fraudulento, com mais de 70 mil metros cúbicos, avaliado em R$ 8 milhões”, diz o denunciante. O projeto estava em nome de Isaías Galvão Bueno. A transação foi tão bem sucedida que um jovem de 24 anos, José Vicente Alves Tozetti, comprou um avião de marca Corisco. Os créditos falsos do projeto foram vendidos por um tal de Paulo Sérgio, conhecido por “Paçoca”.

A matéria solta trechos de gravações telefônicas entre deputados e ex-dirigentes da SEMA, com teores compremetedores como o que cita o Deputado Cássio Andrade cobrando agilidade na liberação de uma licença para uma empresa sua que negocia peixes ornamentais dizendo, “São os meus peixinhos...”

Por fim, nada mais é dito, nem quem são os promotores que estão responsáveis pelo caso nem os servidores da Polícia Federal que estão coordenando o trabalho de investigação, configurando assim vazamento de informações previlegiadas e que estão sob guarda dos orgãos federais.

Esse tipo de denúncia é grave e pode manchar a imagem dos envolvidos com ou sem comprovação do que está sendo afirmado pela reportagem e todos sabemos que quando  isso acontece e eventualmente descobre-se depois que os acusados eram inocentes, nada mais há de se fazer que o prejuízo causado aos citados e colocados à lixamento público prévio seja revertido.

Curiosamente, quando isso aconteceu com lideranças nacionais do PSDB, o PIG pediu intervenção da justiça para criminalizar quem vaza as informações que deveriam ser protegidas com todo o custo, por todos que acompanhavam as investigações.


Assim, o blog espera que as investigações no Pará sobre este caso, avancem e  rapidamente tomem conta da verdade para o bom e saudável compromisso com a democracia e o respeito à ordem pública que todos nós devemos ter.