Pesquisar por palavra-chave

sexta-feira, outubro 19, 2012

A esquizofrênia da Farsa Socialista e a hipocrizia da Direita incompetente


Em Belém, Plínio de Arruda com seus colegas de partido.

"O Serra tem seus problemas. Tem um gênio difícil, é meio direitoso, mas é um homem competente." 

Plínio de Arruda, ex-Deputado e fundador candidato do PSOL à Presidência em 2010, em declaração à Folha de São Paulo, dizendo ser amigo de Serra, candidato derrotado por 2 vezes pelo PT e candidato à prefeitura de São Paulo, onde está em 2º colocado nas pesquisas. O 1º colocado é Fernando Haddad, militante do PT e ex-ministro da Educação.

Detalhe: O candidato do PSOL em SP, Carlos Giannazi, teve 1% dos votos no primeiro turno e orienta voto nulo neste 2º turno. 

Belém: Colhendo o que plantaram.

Já em Belém, o candidato do partido, Edmilson Rodrigues, foi em busca e obteve já no 1º dia após o 1º turno, o apoio parcial do PT e disse que o PSOL sempre teve uma relação respeitosa com o partido, mesmo assim não convenceu a base, pois sua militância continua fazendo justamente o contrário e mantém o alto índice de rejeição nas bases petistas. Para tentar reverter o quadro, ouve-se da direção do PT o mantra de que é mellhor ter o PSOL governando Belém, do que os tucanos no controle de toda a Região Metropolitana.
 

Parte da militância petista que não concorda em votar e pedir votos para Edmilson Rodrigues, não votará em Zenaldo Coutinho, é claro, e alegam que em 2010, o PSOL-Pará ajudou a desenterrar Simão Jatene (PSDB), que hoje governa novamente o Estado e já ganhou importantes prefeituras do Estado e mira agora no segundo turno, a prefeitura de Belém.

Com um falso discurso, o candidato do PSDB Zenaldo Coutinho, demonstra o quanto é hipócrita ao criticar a gestão municipal e ter co-responsabilidade com a eleição de Duciomar Costa com quem está de braços dados, prontos para dar continuidade ao desgoverno que segue na cidade que completará 400 anos precisando de vergonha na cara de muita gente que faz questão de não debater política e limita-se à votar de dois em dois anos.