Pesquisar por palavra-chave

sábado, fevereiro 07, 2015

Precisamos urgentemente ir às ruas!



Por Mauro Reis*

Creio que realmente o Brasil acordou, pois caso contrário ainda estaríamos vivenciando experiências da Ditadura Militar e dos Governos do PSDB, época em que os escândalos eram acobertados, como é o caso da compra de votos no Congresso, quando da aprovação da emenda da reeleição do FHC; quando das negociatas para a aquisição dos canais à cabo no Brasil, em que a Rede Globo foi a principal favorecida, graças a atuação do então Ministro das Telecomunicações do FHC, Sérgio Motta; quando dos escândalos na Petrobrás, na época do FHC, fato denunciado pelo jornalista Paulo Francis, no Programa da própria Globo News, denominado Manhattan Connection; dos efetivados pelo Aécio e pelo Anastasia em Minas Gerais (uso indevido de recursos públicos para a construção do aeroporto em terras do tio do Aécio, totalizando R$ 14 milhões), e pelo Alckmin e sua trupe em São Paulo (Metrô- o "trensalão", Companhia de Gás, etc.). 

Fico imaginando como estaríamos se o governo brasileiro ainda estivesse nas mãos de políticos que só beneficiam grupos de investidores privilegiados, e ainda conseguem enganar vários cidadãos-eleitores, propalando o discurso (com apoio da grande mídia, que faz parte deste "jogo" de interesses) de que estão defendendo seus interesses. 

É por isso que defendo a ida dos cidadãos conscientes às ruas, para exigir que se passe a limpo, pelo menos, os escândalos acima descritos, exigindo, também, que o governo do Estado do Pará, na figura do Simão Jatene, explique o caso da compra de votos com o "Cheque Moradia", nas últimas eleições; assim como, o caso da extorsão que se pretendia fazer sobre as 100 maiores empresas do Estado, visando o financiamento da campanha do Jatene, na eleição recente para o governo (obra de sua filha, Izabela Jatene). 

Torna-se necessário, também, apurar os casos de corrupção na Petrobrás nos dias de hoje, pois não podemos aceitar que a maior empresa brasileira possa estar mergulhada em um "mar de lama", e nisso a Presidenta Dilma se diferencia dos demais governantes, exigindo e apoiando a apuração das irregularidades, não impondo barreiras a atuação da Polícia Federal, o que com certeza não estaria sendo realizado, caso o Brasil estivesse sendo governado pelo Aécio.


*Mauro Reis é sociólogo e bancário.