segunda-feira, maio 04, 2015

Confirmada a tentativa de aliciamento para exploração infantil, disfarçada de "adoação"

O caso do casal evangélico que procurava uma escrava entre 12 e 18 anos, através do anúncio em um classificado de jornal, se confirmou com uma reportagem feita pela TV Liberal, que localizou o prédio onde moravam os aliciadores.

Primeiro, o repórter da equipe de TV simulou ser pai de uma adolescente de 13 anos e a ofereceu para a "vaga" anunciada. O senhor que se dizia empresário, aceitou e combinou a apresentação da mesma. Depois, o repórter entrou em contato informando que era jornalista e perguntou novamente sobre o interesse do casal, na adolescente. Dessa vez, o homem já de certa idade, se contradisse e chegou a negar o interesse na "adoção" e disse que para tal, era necessário um trâmite legal, com a autorização de um juiz.

A sociedade paraense aguarda uma investigação profunda desde lamentável episódio e o provável indiciamento de todos os envolvidos e responsáveis. Por sabermos que este não é um caso isolado, pelo contrário, faz parte da cultura escravocrata que perdura até hoje e precisa ser eliminada com punições exemplares.

Veja trechos da conversa telefônica, entre o repórter e o homem que confirmou e depois negou a intensão de "adotar" ilegalmente uma adolescente de 12 a 18 anos: