Pesquisar por palavra-chave

terça-feira, junho 30, 2015

Cria cuervos: PT deu quase R$ 10 bilhões pra Globo

Miguel do Rosário: No total, veremos que o governo federal petista deu quase R$ 10 bilhões para a família Marinho.

Esse post é para sentarmos à margem do rio Tietê e chorarmos copiosamente.

Só a TV Globo recebeu mais de R$ 6 bilhões de publicidade federal durante a era PT.

Se contássemos as afiliadas da Globo em outros estados, essa conta subiria quase 2 bilhões.

Se acrescentarmos rádios, jornais, portais pertencentes à Globo, mais uns 2 bilhões.

No total, veremos que o governo federal petista deu quase R$ 10 bilhões para a família Marinho.

Depois o PT quer fazer “pesquisa” para entender porque é tão odiado.

Depois os petistas querem entender porque o fascismo se expande na sociedade, e ministros petistas são xingados em restaurantes.

São xingados, com todo o respeito, porque o PT é burro.

Burro e masoquista.

Os tucanos quebraram, de verdade, o país; aprovaram a emenda mais “chavista” de toda a América Latina: reeleição para si mesmo, sem direito a opinião do povo sobre isso; multiplicaram a nossa dívida pública; acorrentaram-nos aos pés do FMI…

E seus economistas são aplaudidos em restaurantes.

Enquanto isso, Mantega, que salvou a economia brasileira durante uma das piores crises da história recente do capitalismo, é xingado por retardados em São Paulo, que lhe acusam de “destruir tudo”.

O PT alimentou o próprio inimigo com dinheiro público.

Quer dizer, não apenas o próprio inimigo. O inimigo da classe trabalhadora em geral.

Pior: nos últimos dois anos, em 2013 e 2014, a publicidade federal para os órgãos do golpe aumentou fortemente.

Há uma equação certeira: quanto mais a publicidade federal se concentra nas mesmas famílias de barões midiáticos, mais despenca a aprovação do governo.

Enquanto isso, revistas progressistas, rádios comunitárias, iniciativas populares de comunicação, tudo ficou à míngua, abandonado.

A TV Brasil foi sucateada, abandonada politicamente, depois de todo o esforço feito para criá-la e subsidiá-la. Não tem audiência e ninguém parece se preocupar com isso.

Ditado Espanhol, inspirou o blogueiro Miguel do Rosário: Cria cuervos que te sacarán los ojos.


Dessa vez, Fernando Rodrigues ficou até com pena da blogosfera. Em outras ocasiões, dava destaque aos caraminguás miseráveis que meia dúzia de sites ou blogs ganhavam de publicidade federal. Juntava o que, por exemplo, o blog Nassif ganhou durante uns dez anos e tascava um número sensacionalista:

“Nassif ganhou 1 milhão do governo federal”. Aí quando você dividia aquilo por dez ou doze anos, não dava nada.

Ao constatar o desprezo oficial do governo para com iniciativas de fomento à pluralidade política, Fernando Rodrigues nem tocou no assunto.

O que me lembra a canção de Bezerra da Silva, sobre o ladrão que invade a casa do pobre e quase morre do coração, “ao ver tanta miséria em cima de um cristão”.

A grande mídia, esta sim, continuou ganhando na era Lula/Dilma o que sempre ganhou anteriormente. Em alguns casos, até mais.

Além de não fazer nada de concreto em prol da democratização da mídia, o governo petista ajudou a piorar o quadro de oligopólio dos meios de comunicação, através da concentração de verba publicitária federal em mãos de poucos.

E pelo mutismo covarde atual, não há nenhuma mudança substancial à vista.

O governo precisa entender que, em matéria de comunicação, não adianta agir em silêncio, discretamente. Isso é contraproducente. O ministro Edinho Silva, da Secom, tem de vir a público e falar abertamente à imprensa: “vamos democratizar profundamente as verbas públicas federais, porque é um imperativo da nossa Constituição, estimular o pluralismo político”.

E se preparar para a briga!

É tão difícil assim?

O PT quer continuar sendo linchado em restaurantes, aeroportos, etc?

O PT vai morrer beijando os pés de seus verdugos?

Quem se ferra, ao cabo, não é só o PT.

Todos os movimentos sociais, toda uma corrente de ideias, todo um sistema ideológico que dá sustentação às leis trabalhistas, ao monopólio da Petrobrás, tudo isso será tragado e destruído se o PT prosseguir financiando uma imprensa ultraconservadora, mentirosa e golpista.

Olha que nem falei do mais importante: as conspirações judiciais, quase todas alimentadas, desde seu início, pela mídia.

segunda-feira, junho 29, 2015

Prefeito Zenaldo nega e desqualifica todas as denúncias sobre o que promoveu o incêndio no PSM

Zenaldo Coutinho negou que o incêndio tenha sido uma tragédia anunciada e que a prefeitura realizou a reforma de 30 ambientes no prédio.

Acima um trecho e aqui a entrevista completa, com o prefeito Zenaldo Coutinho, na TV Liberal.


"Com o incêndio acontecido, nós resolvemos de uma vez por todas concluir as obras aquilo que já iniciamos".  

Prefeito Zenaldo Coutinho explicando que a prefeitura estava fazendo as reformas necessárias no PSM da 14, quando ocorreu o incêndio que ceifou vidas, intoxicou diversas outras e obrigou a transferência de vários pacientes para outros hospitais.

O prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho iniciou sua entrevista ao telejornal Bom Dia Pará, da TV Liberal desta segunda-feira (29) dizendo que as denúncias de funcionários, pacientes e seus familiares, dos promotores do Ministério Público Federal e até dos servidores do Corpo de Bombeiros, não são verdadeiras e que o que aconteceu no PSM da 14 de Março foi uma fatalidade em apenas uma das salas cirúrgicas do principal hospital público da capital paraense.

Com uma pasta com documentos, que supostamente comprovarão tudo que foi feito para evitar a tragédia que ceifou vidas e deixa milhares de pessoas sem atendimento de urgência e emergência em Belém, o prefeito da cidade jogou a culpa pela não aquisição do Hospital Porto Dias, que era dado como certo pelo gestor desde quando se elegeu em 2012, nas costas da presidente Dilma.

O programa também exibiu a entrevista feita com a Procuradora do Ministério Público Federal, Melina Tostes que informou que o órgão havia ajuizado uma ação na Justiça Federal cobrando a resolução de cerca de inúmeras irregularidades graves, apontadas em laudo dos próprios bombeiros, datado de março de 2014. 

Ou seja, há mais de um ano atrás os problemas vinham sendo alertados que poderiam colocar em risco a vida de pacientes, trabalhadores e visitantes do PSM. 

Em nota publicada em seu site, um dia após o incêndio, o MPF informou que havia entrado com a ação na Justiça Federal contra a prefeitura de Belém para obrigar reformas emergenciais e, em outubro de 2014, uma decisão judicial obrigou o município a fazer as reformas. 

"O juiz José Márcio Silva, da 5ª Vara Federal, determinou que a prefeitura apresentasse um plano de regularização que deveria ser concluído no prazo de 360 dias. Em recurso contra a decisão, a prefeitura alegou que tinha realizado as reformas apontadas pelo Corpo de Bombeiros. O MPF pediu comprovação das reformas no processo judicial, mas até agora a prefeitura ainda não se manifestou". A ação do MPF foi proposta no mês de junho de 2014, após várias auditorias do Departamento Nacional de Auditorias do Sus (Denasus) e recomendações de melhorias que não foram observadas, colocando em risco a vida de pacientes, trabalhadores e visitantes. Algumas das irregularidades vêm sendo apontadas desde que o MPF começou a fiscalizar o Pronto Socorro, em 2005, sem nenhuma atitude por parte do poder público municipal.

Na ação judicial do MPF, uma das questões de destaque era justamente o risco de incêndio, apontado pelos procuradores da República Melina Tostes e Alan Mansur como absurdo e preocupante. “A deficiente estrutura do prédio do Hospital e a existência de fiação elétrica velha e exposta são deveras preocupantes, visto que possuem potencial suficiente para causar grave tragédia. Há, nos documentos acostados, várias ilustrações demonstrando a rede elétrica precária do nosocômio e constantes alagamentos que ocorrem nas enfermarias a cada chuva ocorrida na cidade. Isso é tão absurdo, quanto grave”, dizia a ação do MPF".

O prefeito Zenaldo Coutinho desmentiu ao vivo, a promotora do MPF-PA, Melina Tostes que foi entrevistada e falou da situação caótica em que se encontrava o Pronto Socorro Municipal de Belém. Além da promotora, o bombeiro que apareceu sendo entrevistado no telejornal, também foi desmentido pelo gestor municipal. 

Contradizendo o que os oficiais do Corpo de Bombeiros disseram depois das análises feitas no prédio, após o controle das chamas, o prefeito enfatizou que o comandante da corporação havia lhe dito que nenhum, absolutamente nenhum ambiente será interditado no PSM e que respeita a opinião pessoal dos bombeiros entrevistados pela emissora afiliada da Rede Globo, no dia do incêndio. 

Ficam duas pergunta no ar: Nem mesmo a enfermaria onde iniciou o incêndio será interditada, nem mesmo para uma simples pintura? Como pode o prefeito se esquivar e negar tudo que promotores públicos, juízes, bombeiros, médicos, enfermeiros, pacientes e visitantes do PSM denunciam? 

Outro fato curioso em sua entrevista e que chamou a atenção de várias pessoas nas redes sociais, é que de uma hora para outra, surgiu uma grande quantidade de leitos nos hospitais públicos municipais, estaduais e até na rede particular, que segundo o prefeito, foram uma rede solidária para atender os pacientes que foram transferidos.

O prefeito de Belém disse também sem explicar como e nem com que recursos, que até o meio do ano de 2016, a reforma geral do PSM será concluída e que um outro hospital privado está sendo comprado para desafogar o atendimento público da rede municipal de saúde e que contará com a ajuda do governo do Estado e do Ministério da Saúde para amenizar os problemas existentes. No entanto, gasta mais dinheiro público, para exibir em horário nobre de algumas emissoras de TV do Pará, um vídeo onde responsabiliza o governo federal pela falta de verbas para a compra do hospital Porto Dias.



Já o Sindicato dos Médicos do Estado do Pará diz que o incêndio foi sim uma tragédia anunciada. "Em várias visitas técnicas realizadas pelo Sindicato ao hospital ficou claro a necessidade urgente de reformas profundas de ordem estrutural, até que se pudesse comprar ou construir um novo hospital para se resolver definitivamente o problema da deficiência estrutural do prédio. Elaboramos vários relatórios com o resultado das visitas feitas ao hospital que foram encaminhados, como de costume, às várias esferas de poder público, municipal e estadual, bem como aos órgãos de fiscalização como o Ministério Público Estadual e Federal, com pedido de providências. Sendo assim, o sinistro de ontem, para nós, é apenas o resultado final de um processo que já vinha se acumulando ao longo do tempo. Um incêndio semelhante já tinha acontecido no ano passado, também originado por um aparelho de ar condicionado da UTI, quando mais uma vez alertamos a opinião pública e autoridades sobre o problema. Desta vez aconteceu em proporção bem maior acabando por interditar o hospital, congestionando a rede que não tem condições de substituir o pronto socorro de imediato. Sabemos que haverá improvisos  comprometendo seguramente o atendimento de qualidade, diz a nota do SINDMEPA.


O SINDSAUDE, sindicato dos servidores municipais que trabalham no PSM e sempre denunciaram o descalabro que acontece em nossa cidade e no Estado, até agora não se manifestou em seu perfil no Facebook

No dia em que um incêndio matou pacientes, intoxicou diversos outros, deixou dezenas de servidores da saúde sobrecarregados e mostrou as condições precárias da saúde pública, a CUT, central sindical que arrecada dos sindicatos filiados e segundo Marcio Pochmann, tem mais jornalistas que a Rede Globo, simplesmente ignorou o acontecido e optou em colorir seu avatar, divulgar sua plenária macrorregional e um debate sobre a Terceirização.

Em uma grupo de debate no WhatsApp, lideranças dos movimentos sociais comentaram que se esperava minimamente dos movimentos sociais paraenses, o uso dos meios de comunicação disponíveis para dar sua versão sobre os fatos que atingem os cidadãos paraenses.

Vereadores da oposição, bem que tentaram debater os rumos da saúde e as medidas que estão e foram anunciadas que serão tomadas pelo prefeito, que governa sem se importar para o poder legislativo, por saber que a maioria dos vereadores são seus aliados. No entanto, o vereador Fernando Carneiro (PSOL) publicou um vídeo denunciando a manobra adotada, para evitar que a situação fosse debatida na Câmara Municipal de Belém.


A vereadora Sandra Batista (PCdoB) também reagiu e apresentou requerimento convocando o Prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, para que ele prestasse esclarecimentos sobre o caso e também cobrar explicações sobre o que será feito com o prédio e da compra do Hospital Samaritano. 

Infelizmente a bancada de apoio ao prefeito Zenaldo se retirou da plenária, a fim de não permitir quórum para convocar o prefeito.



Assista um dos vídeos que circulam na internet, que mostra o momento exato do caos que foi para retirar e encaminhar os pacientes do PSM para outros hospitais, nesta tragédia que poderia ser evitada, precisa ser investigada e não pode ser esquecida. 


domingo, junho 28, 2015

Com apoio de Kassab, Eder Mauro racha a base do PSDB em Belém



O Ministro das Cidades e presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab virá ao Pará nesta terça-feira (30), quando fará a inauguração de dois conjuntos habitacional do Programa Minha Casa, Minha Vida

A primeira cerimônia de entrega de 1.352 unidades habitacionais será do residencial João Mota, em Bragança e depois no residencial Wirland Freire, em Itaituba, onde 1.000 casas serão entregues aos populares inscritos no programa federal.

No entanto, antes de sair da capital rumo ao interior do Estado, Kassab empossará o deputado federal Eder Mauro como presidente do Diretório do PSD de Belém, em um evento programado para as 08h, no Radisson Hotel, de propriedade da família Maiorana.

O ato joga um balde de água fria no vereador Orlando Reis, atual presidente municipal do partido de Kassab, quem pretendia ser vice na chapa do prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho.

Zenaldo tentará a reeleição em 2016, mas pelo jeito não tem nem mesmo o apoio da base aliada do governador Simão Jatene, já que foi Helenilson Pontes, presidente do PSD no Estado quem articulou a ascensão de Eder Mauro, um dos principais adversários do prefeito tucano, ao lado de Edmilson Rodrigues (PSOL), na corrida à prefeitura municipal das cidades das mangueiras, segundo mostrou a última pesquisa Doxa

A pergunta que ronda os bastidores da política estadual é se o governador Simão Jatene está de acordo com o projeto e ciente de que irá provocar os instintos mais selvagens nos tucanos que rejeitam a possibilidade de perda da prefeitura e do governo do Estado.

Ana Luísa Castro: Negra e nordestina, ela foi eleita a Miss Mundo Brasil

              Ana Luísa Castro, candidata de Sergipe, recebe a coroa de Miss Mundo Brasil 2015 das mãos de Julia Gama.


A Miss Mundo Sergipe, Ana Luísa Castro, e o Mister Ilhabela, Anderson Tomazini, foram coroados, na noite deste sábado (27), os mais belos do país, em concurso realizado em Florianópolis e transmitido ao vivo pelo UOL.

Ana Luísa concorreu com outras 36 candidatas, mas levou a melhor e virou a sucessora da bela Julia Gama, Miss Mundo Brasil 2014. Já Anderson venceu 41 bonitões e recebeu a faixa das mãos de Lucas Montandon, Mister Brasil 2014.

O top 5 masculino ainda teve os candidatos de Ilha de São Francisco do Sul (3º), Mato Grosso (5º), Santa Catarina (4º) e São Paulo Capital (2º). Já o top 5 feminino foi composto ainda por Distrito Federal (5º), Ilhabela (2º), Mato Grosso do Sul (3º) e Rio Grande do Sul (4º).

Na despedida da faixa, Lucas Montandon, Mister Brasil 2014, agradeceu e falou sobre sustentabilidade. "Que possamos fazer deste mundo um lugar melhor para todo mundo". Já a bela gaúcha Julia Gama, Miss Mundo Brasil 2014, agradeceu a família, amigos e coordenadores.

Anderson Tomazini, Mister Ilhabela, recebe a faixa de Mister Brasil 2015

Provas

Pela segunda vez, os concursos masculino e feminino aconteceram juntos. Foi uma semana intensa de provas classificatórias e agenda de compromissos em Jurerê Internacional.

Esportes, entrevista preliminar, talento, desfile top model, desfile em traje de gala e Beleza Com Propósito são as etapas que classificam os semifinalistas das disputas, avaliados por um júri técnico. O desfile em traje de banho foi abolido pela organização mundial em dezembro passado.

"A CEO da Miss World Organisation, a filantropa inglesa Julia Morley, considerou retrógrado que pessoas vestidas julguem o corpo de meninas de biquíni. É um divisor de águas na história dos concursos de beleza. Nós adotamos a medida no Brasil, que pela primeira vez em 57 anos não faz o desfile", conta Henrique Fontes, diretor-geral do concurso.

A miss mais talentosa foi a Espírito Santo, que apresentou-se na final cantando, além de ter sido a mais bem colocada na entrevista. Do lado masculino, a melhor entrevista foi do Mister São Paulo Capital.

Na prova de Beleza com Propósito, o Mister Rio de Janeiro levou a melhor, do lado feminino, a candidata do Distrito Federal venceu.

Anderson Tomazini, Mister Ilhabela, recebe a faixa de Mister Brasil 2015 das mãos de Lucas Montandon.

Um ano depois

Julia Gama e Lucas Montandon fizeram, a pedido do UOL, uma análise de seu um ano de reinado contando sobre os pontos positivos e negativos.

A obrigação de estar maquiada todo o tempo é avaliada como um ponto negativo pela simpática morena, 22, que pode viajar o mundo após conquistar o título no ano passado. Para o Mister Brasil 2014, Lucas Montandon, um dos pontos negativos da vida de mister é zelar pela vida social regrada --até uma cervejinha com os amigos pode ser visto como algo ruim, segundo ele.

Mas se há alguns pontos negativos na vida de miss e mister, sobram pontos positivos. Viajar pelo mundo e ser uma espécie de embaixador e embaixatriz do nosso país estão entre as coisas boas de ostentar a faixa durante um ano.

"Ser Miss Mundo Brasil me abriu um leque de oportunidades que gosto de explorar", diz Julia Gama. Já o Mister Brasil 2014 encontrou em sua vitória um horizonte para sua vida profissional: o teatro.

Esquerda se une contra onda conservadora e reacionária


Depois de muitos anos sendo proferido, o bordão: "A esquerda só se une na cadeia", parece que está com seus dias contatos. Pelo menos é essa a impressão que fica, após a matéria de Daniela Lima, "Negociação avança e frente de esquerda é batizada de 'Grupo Brasil'", publicada na Folha de São Paulo, deste sábado. 

As negociações pela criação de uma frente de esquerda avançaram neste sábado (27). Após uma longa reunião em São Paulo, dirigentes do PT, PSOL, PCdoB e movimentos sociais, fecharam uma pauta de eventos para divulgar as atividades e anseios do que agora será chamado de "Grupo Brasil", o embrião da coalizão.

Os cabeças do movimento marcaram um novo encontro para o dia 25 de julho, no qual vão discutir as diretrizes do grupo num encontro que contará com a participação de economistas que falarão sobre os problemas da economia e o ajuste fiscal promovido pelo governo da presidente Dilma Rousseff.

Dois nomes foram mencionados pelos integrantes da reunião de hoje para integrarem o próximo encontro: Luiz Gonzaga Beluzzo e Márcio Pochmann. Ambos têm feito críticas à política econômica implementada no segundo mandato da presidente. Após essa segunda reunião, o grupo pretende lançar um documento apontando o que pensa sobre os rumos do país e da esquerda.

O "Grupo Brasil" também definiu que haverá uma primeira conferência nacional da frente, prevista para acontecer dia 5 ou 6 de setembro. A ideia é que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vá a esse encontro.

A iniciativa é uma aposta para fortalecer os partidos de esquerda, em especial o PT, que atravessa a mais grave crise institucional de sua história. No encontro deste sábado, integrantes do grupo argumentaram que está em gestação um escalada do conservadorismo no Brasil, que não mira só o petismo, mas uma série de pautas progressistas, como os direitos LGBT.

Apesar de fortalecer alas e bandeiras históricas do PT, a formação do grupo pode contribuir para pressionar ainda mais o governo Dilma a mudar os rumos de suas decisões na economia e a condução das negociações com o Congresso Nacional.

RETOMADA

Militantes de esquerda que se afastaram do PT desde sua chegada ao poder, em 2003, aceitaram conversar sobre a construção da frente e participaram da reunião do grupo neste sábado. Ex-preso político e ex-deputado federal, Vladmir Palmeira, que rompeu com a sigla por discordar de sua política de alianças, por exemplo, participou do debate hoje.

O encontro foi convocado pelo líder do MST, João Pedro Stédile. Dirigentes do PT, como o presidente nacional da sigla, Rui Falcão, e o secretário nacional de comunicação, deputado José Américo Dias (SP) também ajudaram a organizar a reunião.

O PCdoB foi representado pela deputada Jandira Feghali e o ex-presidente da legenda, Renato Rabelo. O deputado federal do PSOL de São Paulo, Ivan Valente, enviou um representante. O sociólogo Leo Lince, articulador da legenda no Rio de Janeiro, também participou das discussões.

O grupo que promover, logo após seu lançamento nacional, na conferência em setembro, um "grande ato de massas", com a presença de militantes das diversas siglas e integrantes dos movimentos sociais e sindicatos.

"A ideia é ter unidade popular mesmo, não é apenas uma questão eleitoral", disse Rui Falcão, ao deixar o encontro. 

quinta-feira, junho 25, 2015

Edmilson Rodrigues e a gafe ao vivo



Precipitado e mal assessorado, o deputado federal Edmilson Rodrigues (PSOL) usou o microfone da Câmara dos Deputados​, nesta quinta-feira (25) e disse que hospital Ophir Loyola estava em chamas, sendo que o incêndio ocorrido em Belém foi no Pronto Socorro Municipal. 

A mancada foi televisionada e deverá servir para desqualificar as críticas que o parlamentar faz aos seus opositores locais, principalmente o governador Simão Jatene (PSDB).

O incêndio está sendo noticiado pioneira e corretamente por este blog, na postagem Incêndio no PSM de Belém coloca em risco a vida de pacientes.

Após publicação desta postagem, vários internautas mostraram um vídeo editado pela assessoria do deputado, onde o equívoco foi retirado do vídeo original, disponível no site da Câmara dos Deputados.



Assista aos dois e tire suas dúvidas!


Vídeo editado e publicado no canal do Youtube do deputado federal Edmilson Rodrigues:



Vídeo original, baixado do site da Câmara dos Deputados:






Que tal nos seguir no twitter

Com o PT mal avaliado, Lula se desloca e critica o governo e seu partido

Quando você ouve falar em PT qual a imagem que vem à sua cabeça? Fonte: Pesquisa de campo/Doxa

Por Dornélio Silva.


Tudo medido e apurado. Nada é por acaso. Lula, nos últimos dias vem tecendo críticas ao PT e ao próprio Governo da presidente Dilma. É sabido que a imagem do PT está em desgraça e, por isso, Lula sobressai ao PT, quer ficar acima do PT. 

É como se o navio começasse a afundar, e Lula o primeiro a sair. 

Não por acaso os senadores petistas lançaram nota de desagravo a Lula, exaltam, mas não emitem uma palavra ao governo da Presidente Dilma, que é do PT. Assim, Lula cria um fato político que o governo da sucessora não consegue gerar. 

Lula anima a política, ocupa um espaço que poderia ser da oposição. E mostra por que tem conseguido passar por mensalões e Lava-Jatos praticamente sem o tocarem, ainda.

Pesquisa Doxa realizada na primeira quinzena de junho, mostra muito bem essa situação. Ao avaliar a imagem do PT, a Doxa perguntou aos entrevistados: “quando você ouve falar em PT qual a primeira imagem que vem à sua cabeça?”. 

O resultado mostra que PT está associado a “poço de corrupção/ladrões”. Enquanto que apenas 1,6% associam o PT a sua maior liderança, Lula. Isso mostra claramente o posicionamento que Lula está tomando, hoje, em criticar o próprio partido e o Governo Dilma. 

Essa tentativa de descolamento de um governo de baixíssima popularidade o favorece. Lula coloca-se alinhado com a opinião pública.

Incêndio no PSM de Belém coloca em risco a vida de pacientes

Acontece neste instante, outro incêndio no Pronto Socorro Municipal de Belém. Funcionários, pacientes e familiares estão em pânico, devido a falta de balões de oxigênio móveis, que impedem a transferência de pacientes da UTI e muitos temem pela vida de quem está nas enfermarias e nos corredores do prédio que está com o 3º andar em chamas.

As causas do início do fogo ainda são desconhecidas e cerca de 5 caminhões do Corpo de Bombeiros e várias ambulâncias do SAMU, fecharam o trânsito em frente ao PSM para atender os pacientes no meio da rua.

Até agora, nenhuma autoridade se pronunciou e poucos veículos de imprensa possuem informações precisas, mas através das mídias sociais, este blog recebe fotos, vídeos e informes e atualizará esta postagem com novas informações do resultado do sucateamento e desprezo do principal órgão público de urgência e emergência da capital paraense.












segunda-feira, junho 22, 2015

PT está velho e perdeu utopia, diz Lula, que prega 'revolução' na sigla

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (à esq.) e o ex-primeiro-ministro da Espanha, Felipe González
Na Folha.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pregou, nesta segunda-feira (22), uma "revolução" no PT e afirmou que a sigla tem os vícios de todo partido que cresce e chega ao poder.

"Não sei se o defeito é nosso, se é do governo. O PT perdeu a utopia", afirmou.

Lula disse ainda que os correligionários "só pensam em cargo, em emprego, em ser eleito", em referência a cargos no governo federal e disputas eleitorais.

"Nós temos que definir se queremos salvar nossa pele, nossos cargos, ou nosso projeto", discursou ele, durante seminário "Novos desafios da democracia" promovido pelo Instituto Lula com a presença do ex-primeiro-ministro espanhol Felipe González.

Filiado ao PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol), ele foi convidado a falar sobre a experiência de seu partido ao se reerguer após denúncias de corrupção. A sigla ficou nove anos fora do poder na Espanha até conseguir voltar ao governo, quando José Luis Zapatero foi alçado ao cargo de primeiro-ministro (2004-2011).

'AFLIÇÃO POLÍTICA'

González disse acreditar na possibilidade de o Brasil implementar medidas anticíclicas. Segundo ele, o ajuste fiscal praticado pelo governo Dilma Rousseff vai durar cerca de um ano. Avalia, porém, que o Brasil tem "muita capacidade de investimento que pode ser concretizado neste momento".

"Eu entendo a aflição que existe [no Brasil]. Acredito que seja mais por motivo político do que pela situação econômica."

O evento foi aberto pelo presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, convocado a prestar depoimento à CPI da Petrobras na Câmara para explicar as doações de R$ 3 milhões feitas ao instituto pela empreiteira Camargo Corrêa, investigada no esquema de corrupção da Petrobras.

Em sua fala, Okamotto questionou a democracia no Brasil e disse que as redes sociais a "complicam". Ele definiu democracia como "exercício solitário de pensar o que é bom para as pessoas" e disse que fica "com uma grande pulga atrás da orelha" sobre como consolidá-la no país.

"Estamos muito distantes do mundo desenvolvido, do mundo rico", afirmou.

Segundo ele, a "democracia está ainda mais complicada" com o advento das redes sociais. Okamotto apontou o apoio popular à redução da maioridade penal e o fracasso da reforma política como ameaças.

"Todo mundo quer uma classe política melhor. Mas essa reforma política, para mim, é uma decepção", discursou.

INTERNACIONAL

Participante do encontro, o ministro da Educação, Renato Janine, afirmou que governos eleitos estão "sofrendo fortes ataques" na América Latina. E perguntou a González sua opinião a respeito.

O espanhol –um dos críticos do governo Maduro– respondeu que um governo que não respeita as forças políticas de seu país perde a legitimidade, as eleições e a natureza.

Questionado especificamente sobre sua viagem a Venezuela, González disse que está "preocupado" com a crise enfrentada pela Venezuela porque acha improvável que o governo esteja aberto ao diálogo. "Não acredito em conspiração internacional golpista para derrubar os governos", disse.

Ele disse ainda que está preocupado com ondas de intolerância no Brasil. "Vejo sinais de intolerância. Fico preocupado porque o Brasil é um país de tolerância, de convivência."

Ao lado de González, Lula também criticou o assassinato do ditador Sadam Hussein. "Alguma vez ele te causou problema?", perguntou a González.

A programação original não previa um discurso de Lula –o petista pediu a vez quando o tema foi imprensa. Ao ouvir o debate sobre Venezuela, Lula mandou um bilhete para a assessora Clara Ant, que presidia a mesa, avisando a intenção de falar.

"Nem tem muita oposição aqui. A oposição [no Brasil] é pela imprensa", disse ele, defendendo a regulamentação da mídia e afirmando que "nove famílias controlam" o setor no país.

Papa diz que fabricantes de armas não podem se dizer cristãos

O pontífice também criticou aqueles que investem na indústria armamentícia, dizendo que a "duplicidade é moeda corrente hoje... eles dizem uma coisa e fazem outra".

No Portal Metrópole, com informações da Reuters.

Pessoas que fabricam armas ou investem na indústria armamentícia estão sendo hipócritas se chamarem a si próprias de cristãs, disse o papa Francisco neste domingo.

Francisco fez sua condenação mais forte à indústria de armas até hoje durante um comício para milhares de jovens ao final do primeiro dia de sua visita à cidade italiana de Turim.

"Se confiarem apenas nos homens, terão perdido", disse ele aos jovens em um longo e elaborado discurso sobre guerra, confiança e política, depois de ter descartado sua fala previamente preparada.

"Isso me faz pensar em... pessoas, gestores e empresários que se dizem cristãos e fabricam armas. Isso leva a um tanto de desconfiança, não é?", disse ele antes de ser aplaudido.

O pontífice também criticou aqueles que investem na indústria armamentícia, dizendo que a "duplicidade é moeda corrente hoje... eles dizem uma coisa e fazem outra".

Francisco também discorreu a respeito de comentários que fez no passado sobre eventos ocorridos na Primeira e Segunda Guerra Mundiais.

Ele falou sobre a "tragédia do Shoah", usando o termo em hebraico para o Holocausto.

"As grandes potências tinham fotos dos trilhos que levavam os trens até campos de concentração como Auschwitz para matar judeus, cristãos, homossexuais, todo mundo. Por que não bombardearam (os trilhos)?"

Ao falar sobre a Primeira Guerra Mundial, Francisco discursou sobre "a grande tragédia da Armênia", mas não usou a palavra "genocídio".

O papa causou um desconforto diplomático em abril ao chamar o massacre de 1,5 milhões de armênios há 100 anos de "o primeiro genocídio do século 20", levando a Turquia a convocar de volta seu embaixador para o Vaticano. 

domingo, junho 21, 2015

A hipocrisia da mídia que não investiga deixa órfão o jatinho do PSB, um ano depois

Morreram sete pessoas e o Brasil passou por uma comoção nacional. Não interessa, porém.


É curioso como corrupção só interessa à imprensa quando atinge o PT.

Foi preciso que o até agora dono do jato em que morreu Eduardo Campos – desastre a partir do qual decolou Marina Silva, pondo abaixo o favoritismo disparado de Dilma Rousseff – dissesse, para escapar de um pedido de indenização de R$ 350 mil feito por pessoas que tiveram suas casas danificadas na queda do aparelho , que não é, nem nunca foi, dono do avião.

João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho disse no processo que comprou, mas não comprou, o avião e que “converteu” os pagamentos feitos em “horas de voo”.

E uma empresa em recuperação judicial (!!) vendeu, mas não vendeu e continuava dona da aeronave.
Assim, tudo de boca, sem um “papelinho” assinado.

Vai fazer um ano do acidente que quase mudou o resultado da eleição presidencial.

Até agora não há informação dos inquéritos (???) que apuram suas circunstâncias.

Nem mesmo esta, básica: de quem era o aparelho?

Quem comprou e quem cedeu a Eduardo Campos e Marina Silva?

Quem o operava? Quem contratava e pagava a tripulação?

Qual era a participação do contrabandista Apolo Santana Vieira no negócio?

A Polícia Federal e o Ministério Público, que vazam tudo na “Lava Jato”, não dão um pio.
Os jornais fizeram uma ou outra matéria sobre os “mistérios” aeronáuticos, mas nunca apuraram sistematicamente.

Os blogs tentaram, mas não têm condições de ir mais fundo do que foram, seja porque faltam recursos, seja porque “otoridades” não falam com blogueiros “sujos”.

Do jeito que anda nossa mídia não demora a dizerem que o dono do avião era o José Dirceu!

Morreram sete pessoas e o Brasil passou por uma comoção nacional.

Não interessa, porém.

Não dá para atingir a Dilma; não dá para “pegar o Lula”.

É só o que importa à Polícia Federal , ao Ministério Público e ao “jornalismo investigativo”.

Diário em mudança



Jader Filho disse ao Portal dos Jornalistas, editado em São Paulo, que a contratação de Klester Cavalcanti para ser o gerente de redação do Diário do Pará faz parte de um amplo pacote de mudanças para que o jornal se ajuste aos novos tempos, cujo conteúdo disse ainda não poder revelar.

“Embora os impressos aqui ainda tenham relevância, grandes tiragens e publicidade, precisamos nos preparar para a transição, não podemos esperar a água bater no nariz. Para isso, estamos começando a tomar uma série de medidas, que ainda não posso divulgar. A vinda do Klester faz parte desse pacote. Ele veio bem recomendado, tem um perfil que considero adequado, já viveu aqui e conhece a realidade local. Chega com a missão de oxigenar os nossos processos, trazer novas ideias e formar pessoal”.

O principal executivo do Diário assegurou que não se preocupa com alguma eventual resistência pelo fato de o substituto do paraense Gerson Nogueira, que ocupava o extinto cargo de diretor de redação, ser de fora do Estado: “Não podemos ficar isolados. Esse intercâmbio vai ser muito bom para nós. Além do mais, vou acompanhar bem de perto o processo. Ainda que eu seja presidente da empresa, gosto do ofício, estou sempre junto da Redação”. Klester vai comandar uma equipe que tem perto de 70 profissionais, acrescentou o Portal dos Jornalistas.

Jader Filho podia aproveitar para explicar para os leitores do seu jornal por que a empresa decidiu substituir o cargo de diretor pelo de gerente da redação. E se a importação de um jornalista de conceito nacional, por um valor certamente superior ao do mercado local, será complementada pela melhoria das remunerações e das condições de trabalho na redação do jornal.

Seria também a oportunidade para revelar qual é a circulação do Diário. Os editores do portal lhe atribuíram a circulação de 32 a 35 mil exemplares durante a semana e 40 mil aos domingos. Mas até hoje o jornal não divulgou as estatísticas produzidas pelo IVC, ao qual se filiou quando da saída do concorrente, O Liberal.

Pará: Tá tudo dominado!


Governador Simão Jatene e Márcio Miranda selam um pacto de submissão do poder legislativo ao executivo no Pará


As duas notinhas publicadas na coluna Repórter Diário, do jornal Diário do Pará, de hoje, revelam um pouco de como a administração tucana no Pará trata da máquina pública, sem ser minimamente incomodada pelos órgãos - como o Ministério Público - que deveriam fiscalizar e investigar denúncias escancaradas e amplamente conhecidas pela população paraense. Entre as estripulias do atual governo de Simão Jatene, a omissão e a prevaricação são as mais flagrantes e imorais que temos presenciado.  

Se por um lado, falta segurança pública e o governador alega que esse problema é nacional e a União que tem recursos devolvidos pelo Estado do Pará - por pura incompetência na apresentação de projetos para captar recursos disponibilizados - acaba sendo responsabilizada, de outro, ficamos sabendo agora do "balcão de negócios", formado no gabinete do governador para atender interesses de grandes empresas que estão e vem atuar no Pará, sem pagar os devidos impostos, o que depois acaba virando propina e dinheiro para o caixa 2 das campanhas eleitorais. 

Resta-nos perguntar: Para que servem tantos juízes, desembargadores, promotores e funcionários nos prédios do poder judiciário, se nada, absolutamente nada, incomoda a tucanagem paraense?

Quanto à maioria dos deputados dos partidos de oposição, silenciados pelas mãos fortes e hábeis do presidente da ALEPA, Márcio Miranda (DEM), seguem fazendo seu mise en scene para suas bases eleitorais e depois reaparecem brindando nas festas dos bacanas da vida!

Apelar à quem?



A festa dos bacanas

O senador Paulo Rocha, a jornalista Franssinete Florenzano e o deputado estadual Carlos Bordalo foram premiados como personalidades mais influentes do Pará. Foto: Blog do Bordalo.

O senador Paulo Rocha e o deputado Estadual Carlos Bordalo foram agraciados com os títulos de personalidades mais Influentes do Pará 2014/2015. O prêmio foi entregue à 50 pessoas indicadas por jornalistas no início do ano e a votação aconteceu durante 6 meses, no Blog do Bacana

A premiação, geralmente patrocinada pelos próprios homenageados que contribuem com uma taxa que garante aos premiados, não só uma espécie de estatueta, mas também o direito de levar seus convidados para os comes & bebes, foi realizada no Armazém 500, onde um show de Lucinha Bastos finalizou a noite da última sexta-feira. 

Além dos petistas, a lista de personalidades contou com os nomes dos seguintes políticos e empresários locais: Ademir Andrade, Adnan Demachki, Alaci Corrêa(in memoriam), Alberto Serruya, Armindo Denardin, Carlos Bordalo, Carlos Xavier, Cássio Andrade, Domingos Juvenil, Eliel Faustino, Emerson Rodrigues Martins, Eraldo Pimenta, Eslon Martins, Fábio Lúcio Costa, Fabrizio Guaglianone, Fernando Teruó Yamada, Flávio Costa, Francisco Melo (Chicão), Franssinete Florenzano, Helder Barbalho, Hélio Leite, Jader Barbalho, Jader Barbalho Filho, João Chamon, João Salame, José Conrado, José Fernando Gomes Jr., José Lázaro Ladislau, Junichiro Yamada (in memoriam), Júnior Ferrrai, Karime Barreto Santos, Kleber Menezes, Lucinha Bastos, Lúcio Vale, Luis Cunha, Márcio Miranda, Mário Martins Jr., Mauro Santos, Murilo Guimarães, Neil Duarte, Orlando Reis, Oscar Corrêa Rodrigues, Parsifal Pontes, Paulo Tocantins, Paulo Rocha, Randolfo Coelho da Silva Jr., Reinaldo Gonçalves, Renato Ogawa, Sebastião de Oliveira Campos, Sidney Rosa, Simão Jatene, Xarão Leão, Wagner Costa Machado, Wilson Oliveira e Zequinha Marinho.

Só faltou um bom fotógrafo para acompanhar as lideranças petistas, em mais uma noite de glamour promovida pelo blogueiro da socialite belenense, o empresário Marcelo Marques.

sexta-feira, junho 19, 2015

Belém: Pesquisa aponta a violência, insegurança e o tráfico de drogas como os principais problemas

Um ano antes das eleições municipais, a última pesquisa realizada pelo Instituto Doxa, no período de 3 a 5 de junho/2015, revela que em cada 10 pessoas, 09 já foram assaltadas ou sofreram algum tipo de ação de bandidos em Belém.

A pesquisa identificou a partir da pergunta “Você ou alguém de sua família ou conhecido próximo já foi assaltado/vítima de alguma ação de bandidos em Belém?”. E o resultado é extremamente alarmante: ao somarmos os índices “o próprio entrevistado” mais “alguém da família” e mais “conhecido/amigo próximo”, chega ao patamar de 95,6%. Apenas 4,4% não sofreu algum tipo violência na cidade de Belém.

Gráfico 01: Índice de quem foi assaltado/vítima de violência em Belém

Fonte: Pesquisa de campo/Doxa

MAIORES PROBLEMAS DE BELÉM

A “violência/insegurança/tráfico de drogas” é, hoje, o maior problema enfrentado pela população belenense: 42,1% dos entrevistados afirmam que é esse o problema que mais os afligem. Depois, mas com índice bem menor aparece ´questões relacionadas à “saúde”, ao “trânsito/mobilidade” e “transporte público”.

Gráfico 02: Principais problemas de Belém

Fonte: Pesquisa de campo/Doxa.

REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL

Você é Contra ou a Favor da redução da maioridade penal? - 60% dos entrevistados é a Favor da redução da maioridade penal. Apenas 23% é contra; outros 9% são indiferentes e 8% não opinou.

Quanto aos motivos de serem contra ou a favor, destacam-se os que são a favor o fato que vai “diminuir a violência/criminalidade”, “vai diminuir a impunidade” e “tem que pagar pelos seus atos”. O índice dos que não sabem dizer algum motivo é de 28,2%.

Gráfico 03: Posição de quem é contra ou a favor da redução da maioridade penal


Fonte: Pesquisa de campo/Doxa.

LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS ILÍCITAS

66% dos entrevistados de Belém são contra a legalização das drogas ilícitas. Apenas 11% são a favor. Outros 13% são indiferentes e 10% não opinou.

Os principais motivos levantados pelos entrevistados foram. “droga leva a violência”, “droga é uma droga”, “aumenta a violência/criminalidade”, “não resolve problema nenhum”, “já tem muitas drogas nas ruas”.

Gráfico 04: Posição de quem é contra ou a favor da legalização das drogas ilícitas

Fonte: Pesquisa de campo/Doxa.

quarta-feira, junho 17, 2015

Paula Titan (PMDB) e Milton Campos (PSDB): Os beneficiados pela corrupção em Castanhal

A RCA doou R$ 43 mil para a campanha da filha do prefeito, Paula Titan, a deputada federal. Foi a única doação da empresa a candidatos, em todo o Brasil. 

No Blog Perereca das Vizinha.

Tucanos arrepiam em Castanhal: empresa de parentes de deputado teria faturado milhões em contratos irregulares com a prefeitura. E só uma das empresas do sobrinho de Jatene teria recebido quase R$ 800 mil em dois anos. Operação do MPE apreende centenas de documentos no município. Eduardo Salles e Josiel Martins, os grandes eleitores de Paulo Titan.

E os tucanos fazem a festa em Castanhal, cidade a 70 quilômetros de Belém. Uma empresa ligada a familiares do deputado estadual Milton Campos, do PSDB, pode ter faturado milhões em contratos irregulares com a Prefeitura. E só uma das empresas de Eduardo Salles, sobrinho do governador Simão Jatene, já teve empenhados quase R$ 800 mil, nos últimos dois anos.

O desembargador Nelson Medrado informou, ainda, que o deputado Milton Campos poderá ser processado por improbidade, e até criminalmente,.

O município é comandado pelo engenheiro Paulo Titan, que apoiou a reeleição de Jatene, apesar de pertencer ao PMDB. Mais da metade do dinheiro da campanha do prefeito, em 2012, veio de empresas ligadas ao sobrinho do governador e ao PSDB. E são algumas dessas empresas que vêm faturando alto naquela prefeitura.

É o PSDB quem controla a Secretaria Municipal de Saúde (SESMA) de Castanhal, com um orçamento anual de quase R$ 80 milhões, o segundo maior do município, e que está sendo alvo de verdadeira devassa pelo Ministério Público Estadual. As suspeitas vão de irregularidades no pagamento dos plantões de servidores até fraudes licitatórias.

Nas mãos do sobrinho do governador também se encontra o poderoso Instituto de Previdência Municipal (IPMC), que é presidido por Jorge Salles, irmão de Eduardo.

Operação - Ontem, durante a operação “Querida Saúde”,  promotores estaduais de Justiça apreenderam centenas de documentos, na Prefeitura e na SESMA de Castanhal e na empresa RCA Serviços de Construção Ltda (CNPJ: 11.285.157/0001-27), que seria beneficiária de um esquema de fraudes licitatórias. Segundo informações iniciais obtidas pelo MPE, teriam sido empenhados em favor da empresa, em 2013 e 2014, mais de R$ 4,5 milhões. Desse total, R$ 3,3 milhões já teriam sido pagos. 

O procurador de Justiça Nelson Medrado confirmou  à Perereca que o sócio administrador da RCA, o empresário Rubens Carlos Martins Pereira, é tio do deputado Milton Campos, que foi secretário de Saúde de Castanhal entre abril de 2013 e março do ano passado. Parte dos pagamentos à empresa teria saído da SESMA. O deputado também foi vice-prefeito daquele município entre janeiro de 2013 e o começo deste ano, quando renunciou ao cargo para assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa. 

Medrado não soube dizer, no entanto, se Alzira Sara Martins Campos, a outra sócia da RCA, também é parente de Milton. Mas o blog descobriu que o sobrenome dela é idêntico ao de Pedro Rafael Martins Campos, que é pai do deputado. Uma mulher com nome igual ao de Alzira figura, aliás, como prestadora de serviços à campanha de Milton, em 2006, quando ele concorreu a deputado federal. 

Ainda segundo o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tanto a RCA quanto o sócio administrador dela, Rubens Carlos Martins Pereira, contribuíram financeiramente para a campanha do prefeito Paulo Titan, em 2012. A RCA doou R$ 20 mil; Rubens, R$ 3 mil. No ano passado, Rubens contribuiu com  R$ 3 mil para a campanha de Milton Campos a deputado estadual. Já a RCA doou R$ 43 mil para a campanha da filha do prefeito, Paula Titan, a deputada federal. Foi a única doação da empresa a candidatos, em todo o Brasil. 

Medrado disse que as investigações abrangem várias empresas, em contratos realizados em 2013 e 2014. A suspeita é que as compras  foram realizadas sem licitação e que os processos licitatórios foram “montados” depois. No entanto, ele não soube estimar o valor do possível rombo nos cofres públicos, nem a quantidade de empresas envolvidas. 

Segundo o procurador, o problema é a impressionante desorganização em que os participantes da operação “Querida Saúde” encontraram o setor de licitações da Prefeitura de Castanhal. “É uma coisa absurda” – disse ele – “Nunca vi tamanha falta de cuidado na guarda de documentos públicos: eles estavam jogados em um depósito, amontoados em um cômodo sem ventilação e até sem luz”. 

Medrado informou, ainda, que o deputado Milton Campos poderá ser processado por improbidade, e até criminalmente, caso seja comprovado o envolvimento dele nas contratações irregulares da RCA. 

Na madrugada de hoje, a Perereca localizou no portal da Transparência e nos diários oficiais de Castanhal documentos relativos aos contratos da ESalles Construções, que pertence a Eduardo Salles e aos filhos dele. A empresa, como você já leu aqui (veja os links no final da matéria) está envolvida em complicadas transações, inclusive a venda de milhares de lotes irregulares em Castanhal. 

No portal da Transparência, consta que foram empenhados em favor da empresa R$ 784.530,00, em 2013 e 2014. Mas não há indicação da modalidade licitatória que teria embasado essas contratações, que envolvem locação de equipamentos e até terraplanagem de ramais em agrovilas, com verbas federais. Na coluna destinada à especificação do tipo de licitação realizada está escrito apenas “Outros/não se aplica”. 

Na edição 281 do Diário Oficial do Município, o blog encontrou um contrato de R$ 148.530,00 em favor da empresa, junto com a homologação e adjudicação do processo licitatório. O tipo de licitação foi o Convite, que é a mais simples e fácil de fraudar das modalidades de licitação. 

Outro contrato foi localizado pela Perereca na edição 290 do DOM. Ele tem o valor de R$ 175 mil e se destina à locação de veículos à Secretaria Municipal de Obras. Essa edição do DOM correspondeu ao período de 02 a 09 de setembro de 2014. Mas a vigência do contrato foi de fevereiro a maio daquele ano. O Edital de Credenciamento que o teria embasado leva o número 003/2013. 

Ligações instigantes 

Embora pertença ao PMDB, o prefeito Paulo Titan teve boa parte da campanha financiada pelo sobrinho do governador e por empresas a ele ligadas – quer diretamente, quer através de laços de amizade. 

Isso explica, em parte, o fato de Titan ter apoiado a reeleição de Jatene. No entanto, também há antigas e instigantes ligações a justificar tal apoio. E não apenas esse apoio. Mas também o fato de a Secretaria de Saúde de Castanhal ter sido monopolizada pelo PSDB e, especialmente, por Eduardo Salles. 

Dos declarados R$ 676,5 mil que teria custado a campanha de Titan, pelo menos R$ 405 mil vieram de Eduardo e de empresas amigas. 

Ele e o filho, Eduardo de Oliveira Salles, doaram R$ 4.960,00; a ESalles Construções doou R$ 50 mil; Jorge Salles, irmão de Eduardo, doou R$ 5 mil;  Neuton Castro Gonçalves Junior, sócio de Jorge na empresa Salles&Gonçalves Ltda-ME, doou R$ 2.960,00; Washington Luiz Antunes Nóbrega, ex-sócio da Engecon que funcionava no galpão de uma fazenda de Eduardo, deu R$ 3.500,00; a Eletropimbo Comércio e Serviços Ltda, que é administrada por Paulo Damião Espinheiro de Oliveira, que também seria aparentado de Eduardo, doou R$ 30 mil. Pedro Cosmo Espinheiro de Oliveira, talvez irmão de Paulo, doou R$ 10 mil. Vale destacar que Paulo Damião pertence ao diretório do PSDB de Castanhal, que é controlado por Eduardo através de uma profusão de parentes (filho, irmão, cunhada) e fieis colaboradores... 

No entanto, a maior contribuição financeira à campanha de Titan foi a do polêmico, digamos assim, empresário Josiel Martins: foram quase R$ 300 mil, dele e de empresas da família dele, ou 10 vezes o valor doado pelo PMDB. 

Em nome pessoal, Josiel doou quase R$ 55 mil; a Apeú Veículos (CNPJ: 83.342.162/0001-35) que pertence a ele e aos filhos, deu R$ 125 mil; e o posto Marapar Ltda (CNPJ da matriz: 12.512.430/0001-71), que é de Josiel e filhos, doou quase R$ 120 mil através de uma filial. 

Explique-se: Josiel Martins e Eduardo Salles são amigos-de-fé-irmãos-camaradas há décadas. Ambos possuem vários interesses no Nordeste do Pará. E ambos também trabalham com afinco nas campanhas de Jatene naquela região. 

Assim, não é de estranhar a sucessão de tucanos nas SESMA de Castanhal. A primeira secretária de Saúde nomeada por Titan foi Maria de Fátima Motta Salles, mulher de Jorge Salles e, portanto, cunhada de Eduardo.  Ela foi sucedida por Milton Campos, outro cujas campanhas eleitorais, pelo menos desde 2006, sempre contaram com aportes financeiros do sobrinho do governador e de empresas amigas. 

Em abril do ano passado, Milton foi substituído pela economista Maria Alice Leal Corrêa, que permanece como titular da SESMA. Segundo informações na internet, ela teria sido secretária de Saúde do ex-prefeito de Redenção Mário Moreira, hoje filiado ao PSDB. Maria teria sido condenada a devolver recursos aos cofres públicos, pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). No entanto, o blog ainda não conseguiu checar o estágio de tais processos. Daí não descartar a possibilidade de que ela até tenha sido absolvida. 

Continue lendo, mais uma excelente matéria do jornalismo investigativo da blogueira Ana Célia Pinheiro.

Dilma Rousseff defende mudar ECA para aumentar punição em caso de crime hediondo



A presidenta Dilma Rousseff admitiu hoje (17) que o governo poderá propor uma mudança no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) para aumentar a punição para adolescentes envolvidos em crimes hediondos. O tempo máximo de internação previsto no ECA é de três anos, sem diferenciar o tipo de infração cometida pelo adolescente.

Junto com o aumento da pena para adultos que aliciam jovens para crime, essa pode ser a estratégia do governo para criar uma alternativa à proposta do Congresso Nacional de reduzir a maioridade penal de 18 para 16 anos.

“Em tempos em que se propõe a redução da maioridade penal, ao invés de a gente aprofundar a exclusão, com a pura e simples redução, preferimos trabalhar alterando de fato a legislação, atribuindo penalidades para o adulto que envolver crianças em atos da sua quadrilha ou mesmo alterando o Estatuto da Criança e do Adolescente, apenas tipificando o que aconteceria quando se praticam os chamados crimes hediondos”, disse a presidenta durante cerimônia para comemorar a marca de 5 milhões de Microempreendedores Individuais (MEI), alcançada em junho.

Dilma defendeu o acesso dos adolescentes ao mercado de trabalho como forma de afastá-los da violência e disse que quer implantar até o próximo mês o Pronatec Aprendiz, que vai permitir a contratação de aprendizes por micro e pequenas empresas, custeada p
elo governo.

“Acredito que esse programa oferece caminho da prevenção, ele cria um passaporte para os jovens, não rumo ao mundo carcerário, mas em direção ao mundo da dedicação, do trabalho e das oportunidades”, comparou.

Antes, em discurso na mesma cerimônia, o ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, também havia defendido a ampliação do acesso de jovens ao mercado de trabalho como alternativa às tentativas de redução da maioridade penal de 18 para 16 anos.

“Queremos que o adolescente, a partir dos 14 anos, tenha os estímulos para o trabalho, queremos, como disse o ministro Afif, que ele saia do mundo da violência e entre no mundo do trabalho, ou melhor, que não chegue ao mundo da violência, que ele tenha essa oportunidade”, acrescentou Dilma.

Está marcada para hoje (17) a discussão e votação do parecer sobre a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171/93 que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos. A proposta tramita em uma comissão especial que analisa o tema e deverá ser levada ao plenário da Câmara no dia 30 .

A proposta de aumentar o tempo de internação em caso de crimes hediondos também é articulada pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e pelo senador José Serra (PSDB). Alckmin defende a ampliação do tempo de internação de três para oito anos, e Serra, de três para dez anos.