Pesquisar por palavra-chave

domingo, março 15, 2015

Mais um site apócrifo é desmascarado


A dúvida é o princípio da sabedoria.
Aristóteles.

www.folhapolitica.org é um site que afirma fazer jornalismo independente, mas é explicitamente uma daquelas artimanhas utilizadas pelo sub-mundo da política para fazer o trabalho sujo, o chamado jornalismo marrom, que calunia e difama alguns políticos e partidos em favor de outros. Com o nome de um grande jornal para dar um ar de credibilidade, a "Folha Política" não passa de mais um, entre os vários instrumentos que não fazem jornalismo e sim propaganda contra a Dilma, o Lula, o PT, os partidos aliados, o governo e a esquerda e faz isso todo santo dia, publicando e replicando matérias e artigos que  buscam"queimar" seus parlamentares e seus governos.

Na sexta-feira, como era de se esperar, o site publicou outra de suas matérias sem fundamentação alguma. Na foto que ilustra a publicação, a presidenta Dilma aparece rodeada de duas mulheres e um homem, com camisas da CUT e o confuso texto, induz o eleitor a entender (?) que essas pessoas receberam R$35,00 para participarem da manifestação que percorreu a Avenida Paulista e todas as principais avenidas das capitais brasileiras. 


O texto – por sinal, muito mal redigido – insinua que pessoas de outros países e da periferia de São Paulo teriam sido recrutadas para participar do ato e que ônibus teriam lhes levado até a Avenida Paulista, onde a possibilidade de confronto com “grupos contra o governo”, que segundo a matéria, deveriam ir ao ato e por isso as chances de ter confusão eram enormes. 

Acontece que tudo não passou de mais uma mentira deslavada. Como se sabe, o ato organizado por centrais sindicais e movimentos sociais, superou a expectativa até daqueles que achavam que o pouco tempo e a falta de uma mobilização mais articulada, poderia fazer com que a manifestação fosse um fiasco. E não foi.

Voltando ao ponto central e à verdade dos fatos, a foto usada pela matéria é de Fevereiro de 2013, ou seja, tem mais de 02 anos e as 03 pessoas que estão com a presidenta Dilma, são na verdade sindicalistas no Pará. 

O homem é presidente da CUT e se chama Martinho Souza. As duas mulheres se chamam Vera Paoloni e Rosalina Amorim, ambas são bancárias e sindicalistas ligadas à CUT. Os três estavam entregando um documento à Dilma, na cidade de Castanhal, no Estado do Pará, durante sua visita para entrega de um conjunto habitacional do Minha Casa, Minha Vida, conforme você pode confirmar no vídeo do portal G1 Pará.

Casos como esse são cada dia estão se tornando mais comuns e frequentes na internet, sobretudo nas redes sociais, onde muitas pessoas acabam compartilhando matérias caluniosas, difamatórias e mentirosas, apenas por acharem que são sérias, sem se darem o mínimo trabalho de averiguar as informações que são jogadas sem o mínimo de compromisso com a verdade. 

Para evitar pagar mico e ter complicações com isso, leia Como identificar notícias falsas

Bomba: A mídia golpista está toda na lista do HSBC

Vários empresários da mídia brasileira enviaram dinheiro para paraísos fiscais da Suiça. Corrupção, sonegação?

No blog do Rovai.

Começam a aparecer os indícios que levaram o jornalista Fernando Rodrigues a tratar a lista do HSBC como algo a ser investigado e a não revelar de imediato, como fazem com qualquer investigação onde apareça um nome de petista, os nomes dos 8.667 brasileiros que, entre 2006 e 2007, tinham contas numeradas no HSBC da Suíça.

Evidente que manter uma conta no exterior não é crime, mas é absolutamente suspeito fazê-lo num banco da Suiça que operava como um bunker do dinheiro sujo do planeta.

Nos documentos, revelados hoje pelo O Globo, mas que já estavam para ser vazados por pessoas que trabalharam na investigação internacional se Fernando Rodrigues não os divulgassem, constam os nomes de proprietários do Grupo Folha/UOL, a quem Fernando Rodrigues que dormiu com a lista é vinculado.

Octavio Frias de Oliveira e Carlos Caldeira Filho, ambos falecidos, tiveram conta conjunta na instituição. Luiz Frias aparece atualmente como beneficiário da mesma conta, que foi criada em 1990 e oficialmente encerrada em 1998. Em 2006/2007, os arquivos do banco ainda mantinham os registros, mas, no período, segundo o jornal, ela estava inativa.

Lily de Carvalho, viúva de Roberto Marinho, aparece na lista. Mas como ela também foi casada com Horácio de Carvalho, proprietário do extinto “Diário Carioca”, a reportagem “esclarece” que o nome de Lily surge nos documentos com o sobrenome de Horácio, seu primeiro marido, e que o representante legal da conta junto ao HSBC é a Fundação Horácio de Carvalho Jr. O saldo registrado em 2006/2007 era de US$ 750,2 mil. Lily morreu em 2011.

Quatro integrantes da família Saad, dona da Rede Bandeirantes, também estão na lista do HSBC. Constam entre os correntistas os nomes do fundador da Bandeirantes, João Jorge Saad, da empresária Maria Helena Saad Barros e de Ricardo Saad e Silvia Saad Jafet, filho e sobrinha de João Jorge.

Do Grupo Edson Queiroz, dono da TV Verdes Mares e do “Diário do Nordeste”, estão Lenise Queiroz Rocha, Yolanda Vidal Queiroz e Paula Frota Queiroz (membros do conselho de administração). Elas tinham a módica quantia de US$ 83,9 milhões em 2006/2007. Edson Queiroz Filho também surge como beneficiário da conta. Ele morreu em 2008.

Luiz Fernando Ferreira Levy (1911-2002), que foi proprietário do jornal “Gazeta Mercantil”, que não existe mais e que deixou quase todos seus ex-empregando sem receber quando faliu, teve conta no HSBC em Genebra entre os anos de 1992 a 1995.

Dorival Masci de Abreu (morto em 2004), que era proprietário da Rede CBS de rádios (Scalla, Tupi, Kiss e outras), foi correntista da instituição financeira na Suíça entre 1990 a 1998.
João Lydio Seiler Bettega, dono das rádios Curitiba e Ouro Verde FM, no Paraná, tinha conta ativa em 2006/2007. O saldo era de US$ 167,1 mil.

Fernando João Pereira dos Santos, do Grupo João Santos, que tem a TV e a rádio Tribuna (no Espírito Santo e em Pernambuco) e o jornal “A Tribuna” tinha duas contas no período a que se refere os documentos. O saldo delas era de US$ 4,4 milhões e US$ 5,6 milhões.

Anna Bentes, que foi casada com Adolpho Bloch (1908-1995), fundador do antigo Grupo Manchete, fechou sua conta no ano 2000.

O apresentador de TV Carlos Roberto Massa, conhecido como Ratinho e dono da “Rede Massa” (afiliada ao SBT no Paraná) tinha uma conta com sua mulher, Solange Martinez Massa, em 2006/2007. O saldo era de US$ 12,5 milhões.
Aloysio de Andrade Faria, do Grupo Alfa (Rede Transamérica), tinha US$ 120,6 milhões.

Há ainda sete jornalistas que aparecem nos registros do HSBC são Arnaldo Bloch (“O Globo”), José Roberto Guzzo (Editora Abril), Mona Dorf (apresentadora da rádio Jovem Pan), Arnaldo Dines, Alexandre Dines, Debora Dines e Liana Dines, filhos de Alberto Dines. Fernando Luiz Vieira de Mello (1929-2001), ex-rádio Jovem Pan, teve uma conta, que foi encerrada em 1999. As contas de Bloch e Guzzo estavam encerradas. Mona tinha US$ 310,6 mil. Os quatro jornalistas da família Dines guardavam US$ 1,395 milhão.

A quem interessar possa, não foi divulgado o nome de nenhum blogueiro ou jornalista do campo progressista.São os que gritam contra a corrupção e que pedem moralidade no país que depositam dinheiro num banco com sede na suíça e especializado em lavagem de dinheiro sujo. Mas os sujos somos nós…