Pesquisar por palavra-chave

domingo, junho 28, 2015

Com apoio de Kassab, Eder Mauro racha a base do PSDB em Belém



O Ministro das Cidades e presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab virá ao Pará nesta terça-feira (30), quando fará a inauguração de dois conjuntos habitacional do Programa Minha Casa, Minha Vida

A primeira cerimônia de entrega de 1.352 unidades habitacionais será do residencial João Mota, em Bragança e depois no residencial Wirland Freire, em Itaituba, onde 1.000 casas serão entregues aos populares inscritos no programa federal.

No entanto, antes de sair da capital rumo ao interior do Estado, Kassab empossará o deputado federal Eder Mauro como presidente do Diretório do PSD de Belém, em um evento programado para as 08h, no Radisson Hotel, de propriedade da família Maiorana.

O ato joga um balde de água fria no vereador Orlando Reis, atual presidente municipal do partido de Kassab, quem pretendia ser vice na chapa do prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho.

Zenaldo tentará a reeleição em 2016, mas pelo jeito não tem nem mesmo o apoio da base aliada do governador Simão Jatene, já que foi Helenilson Pontes, presidente do PSD no Estado quem articulou a ascensão de Eder Mauro, um dos principais adversários do prefeito tucano, ao lado de Edmilson Rodrigues (PSOL), na corrida à prefeitura municipal das cidades das mangueiras, segundo mostrou a última pesquisa Doxa

A pergunta que ronda os bastidores da política estadual é se o governador Simão Jatene está de acordo com o projeto e ciente de que irá provocar os instintos mais selvagens nos tucanos que rejeitam a possibilidade de perda da prefeitura e do governo do Estado.

Ana Luísa Castro: Negra e nordestina, ela foi eleita a Miss Mundo Brasil

              Ana Luísa Castro, candidata de Sergipe, recebe a coroa de Miss Mundo Brasil 2015 das mãos de Julia Gama.


A Miss Mundo Sergipe, Ana Luísa Castro, e o Mister Ilhabela, Anderson Tomazini, foram coroados, na noite deste sábado (27), os mais belos do país, em concurso realizado em Florianópolis e transmitido ao vivo pelo UOL.

Ana Luísa concorreu com outras 36 candidatas, mas levou a melhor e virou a sucessora da bela Julia Gama, Miss Mundo Brasil 2014. Já Anderson venceu 41 bonitões e recebeu a faixa das mãos de Lucas Montandon, Mister Brasil 2014.

O top 5 masculino ainda teve os candidatos de Ilha de São Francisco do Sul (3º), Mato Grosso (5º), Santa Catarina (4º) e São Paulo Capital (2º). Já o top 5 feminino foi composto ainda por Distrito Federal (5º), Ilhabela (2º), Mato Grosso do Sul (3º) e Rio Grande do Sul (4º).

Na despedida da faixa, Lucas Montandon, Mister Brasil 2014, agradeceu e falou sobre sustentabilidade. "Que possamos fazer deste mundo um lugar melhor para todo mundo". Já a bela gaúcha Julia Gama, Miss Mundo Brasil 2014, agradeceu a família, amigos e coordenadores.

Anderson Tomazini, Mister Ilhabela, recebe a faixa de Mister Brasil 2015

Provas

Pela segunda vez, os concursos masculino e feminino aconteceram juntos. Foi uma semana intensa de provas classificatórias e agenda de compromissos em Jurerê Internacional.

Esportes, entrevista preliminar, talento, desfile top model, desfile em traje de gala e Beleza Com Propósito são as etapas que classificam os semifinalistas das disputas, avaliados por um júri técnico. O desfile em traje de banho foi abolido pela organização mundial em dezembro passado.

"A CEO da Miss World Organisation, a filantropa inglesa Julia Morley, considerou retrógrado que pessoas vestidas julguem o corpo de meninas de biquíni. É um divisor de águas na história dos concursos de beleza. Nós adotamos a medida no Brasil, que pela primeira vez em 57 anos não faz o desfile", conta Henrique Fontes, diretor-geral do concurso.

A miss mais talentosa foi a Espírito Santo, que apresentou-se na final cantando, além de ter sido a mais bem colocada na entrevista. Do lado masculino, a melhor entrevista foi do Mister São Paulo Capital.

Na prova de Beleza com Propósito, o Mister Rio de Janeiro levou a melhor, do lado feminino, a candidata do Distrito Federal venceu.

Anderson Tomazini, Mister Ilhabela, recebe a faixa de Mister Brasil 2015 das mãos de Lucas Montandon.

Um ano depois

Julia Gama e Lucas Montandon fizeram, a pedido do UOL, uma análise de seu um ano de reinado contando sobre os pontos positivos e negativos.

A obrigação de estar maquiada todo o tempo é avaliada como um ponto negativo pela simpática morena, 22, que pode viajar o mundo após conquistar o título no ano passado. Para o Mister Brasil 2014, Lucas Montandon, um dos pontos negativos da vida de mister é zelar pela vida social regrada --até uma cervejinha com os amigos pode ser visto como algo ruim, segundo ele.

Mas se há alguns pontos negativos na vida de miss e mister, sobram pontos positivos. Viajar pelo mundo e ser uma espécie de embaixador e embaixatriz do nosso país estão entre as coisas boas de ostentar a faixa durante um ano.

"Ser Miss Mundo Brasil me abriu um leque de oportunidades que gosto de explorar", diz Julia Gama. Já o Mister Brasil 2014 encontrou em sua vitória um horizonte para sua vida profissional: o teatro.

Esquerda se une contra onda conservadora e reacionária


Depois de muitos anos sendo proferido, o bordão: "A esquerda só se une na cadeia", parece que está com seus dias contatos. Pelo menos é essa a impressão que fica, após a matéria de Daniela Lima, "Negociação avança e frente de esquerda é batizada de 'Grupo Brasil'", publicada na Folha de São Paulo, deste sábado. 

As negociações pela criação de uma frente de esquerda avançaram neste sábado (27). Após uma longa reunião em São Paulo, dirigentes do PT, PSOL, PCdoB e movimentos sociais, fecharam uma pauta de eventos para divulgar as atividades e anseios do que agora será chamado de "Grupo Brasil", o embrião da coalizão.

Os cabeças do movimento marcaram um novo encontro para o dia 25 de julho, no qual vão discutir as diretrizes do grupo num encontro que contará com a participação de economistas que falarão sobre os problemas da economia e o ajuste fiscal promovido pelo governo da presidente Dilma Rousseff.

Dois nomes foram mencionados pelos integrantes da reunião de hoje para integrarem o próximo encontro: Luiz Gonzaga Beluzzo e Márcio Pochmann. Ambos têm feito críticas à política econômica implementada no segundo mandato da presidente. Após essa segunda reunião, o grupo pretende lançar um documento apontando o que pensa sobre os rumos do país e da esquerda.

O "Grupo Brasil" também definiu que haverá uma primeira conferência nacional da frente, prevista para acontecer dia 5 ou 6 de setembro. A ideia é que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vá a esse encontro.

A iniciativa é uma aposta para fortalecer os partidos de esquerda, em especial o PT, que atravessa a mais grave crise institucional de sua história. No encontro deste sábado, integrantes do grupo argumentaram que está em gestação um escalada do conservadorismo no Brasil, que não mira só o petismo, mas uma série de pautas progressistas, como os direitos LGBT.

Apesar de fortalecer alas e bandeiras históricas do PT, a formação do grupo pode contribuir para pressionar ainda mais o governo Dilma a mudar os rumos de suas decisões na economia e a condução das negociações com o Congresso Nacional.

RETOMADA

Militantes de esquerda que se afastaram do PT desde sua chegada ao poder, em 2003, aceitaram conversar sobre a construção da frente e participaram da reunião do grupo neste sábado. Ex-preso político e ex-deputado federal, Vladmir Palmeira, que rompeu com a sigla por discordar de sua política de alianças, por exemplo, participou do debate hoje.

O encontro foi convocado pelo líder do MST, João Pedro Stédile. Dirigentes do PT, como o presidente nacional da sigla, Rui Falcão, e o secretário nacional de comunicação, deputado José Américo Dias (SP) também ajudaram a organizar a reunião.

O PCdoB foi representado pela deputada Jandira Feghali e o ex-presidente da legenda, Renato Rabelo. O deputado federal do PSOL de São Paulo, Ivan Valente, enviou um representante. O sociólogo Leo Lince, articulador da legenda no Rio de Janeiro, também participou das discussões.

O grupo que promover, logo após seu lançamento nacional, na conferência em setembro, um "grande ato de massas", com a presença de militantes das diversas siglas e integrantes dos movimentos sociais e sindicatos.

"A ideia é ter unidade popular mesmo, não é apenas uma questão eleitoral", disse Rui Falcão, ao deixar o encontro.