Pesquisar por palavra-chave

quarta-feira, janeiro 06, 2016

Dossiê SINTEPP: Graves denúncias envolvem líderes do PSOL-PA


Por Diógenes Brandão

Considerado o maior sindicato do Pará, tanto em número de filiados, quanto em arrecadação, o SINTEPP entrou em recesso no dia 21 de dezembro de 2015 e retornou às suas atividades nesta primeira segunda-feira (04) de 2016, coincidindo com o dia em que vieram ao conhecimento público, nada mais do que sete publicações do jornalista Augusto Barata, feitas em seu blog, onde apresentou uma série de denúncias de uma representação anônima, protocolada na Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e da Moralidade Administrativa, no Ministério Público do Estado do Pará.

A assessoria jurídica do sindicato apresentou seus esclarecimentos ao MP, no dia 12 de novembro de 2015, quando cobrou o arquivamento daquilo que chamou de "procedimento repleto de graves afirmações caluniosas, difamatórias e injuriosas". Apesar da gravidade das acusações, que podemos chamar de um verdadeiro dossiê sobre o SINTEPP, não há qualquer menção às informações sobre estas denúncias no site e redes sociais do sindicato.

Volto logo em seguida.

Leia agora a publicação no blog do Barata, sob o título SINTEPP – Representação ao MPE expõe denúncias de corrupção e aparelhamento no sindicato dos professores.

Alberto Andrade, um dos alvos das denúncias feitas ao Ministério Público aparece como doador de R$8.000,00 para a campanha de Fernando Carneiro, quando este foi candidato a deputado estadual pelo PSOL, em 2014.

Com um total estimado de cerca de 22 mil associados e uma receita anual calculada em R$ 12 milhões, o Sintepp, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará, está no epicentro de graves suspeitas de malversação de seus recursos financeiros e do seu patrimônio pela atual diretoria da entidade, em desvios que, se confirmados, resvalam para a corrupção pura e simples. O estopim do escândalo é uma representação anônima, feita ao MPE, Ministério Público do Estado do Pará, elencando um vasto repertório de denúncias de corrupção, supostamente ocorridas na esteira do alegado aparelhamento do sindicato pela APS, Ação Popular Socialista, uma tendência do PSOL, o Partido Socialismo e Liberdade, na qual pontifica o vereador de Belém Fernando Carneiro. A diretoria do Sintepp rebateu parcialmente as denúncias em alegações encaminhadas ao MPE, prontamente rebatidas.

Vereador de Belém, Fernando Carneiro é o expoente da tendência do PSOL que dirige o SINTEPP e seria o principal beneficiado dos recursos supostamente desviados do sindicato, conforme denúncia apresentada ao Ministério Público.

O elenco de denúncias abrigado na representação anônima é devastador e comprometem visceralmente Conceição Holanda, tesoureira do Sintepp. Ele inclui de suspeitas de prestações de contas obscuras até concessão de empréstimos valendo-se de recursos sindicais, ao arrepio da lei, passando por pagamentos indevidos a diretor da entidade, incluindo Alberto Andrade, o Beto Andrade, vice-diretor geral. As denúncias ainda incluem despesas não devidamente esclarecidas com consumo de combustível; utilização de veículos do sindicato em locais inadequados e em períodos injustificáveis; custeios de diárias, hospedagem e alimentação não suficientemente justificados; financiamento de campanha eleitoral do PSOL, beneficiando a campanha a deputado estadual do vereador de Belém Fernando Carneiro. As denúncias ainda mencionam o uso indevido do espaço físico do Sintepp para fins político-partidários; relações absolutamente informais com prestadores de serviço, propícias a mascarar desvio de recursos; pagamento de diárias de hotel, de nomes estranhos ao sindicato, em período que coincide com a eleição de nova diretoria.

Para entender melhor o caso, sugiro a leitura dos outros posts do blog do Barata, abaixo:







O blog AS FALAS DA PÓLIS aguardará o posicionamento do Ministério Público do Estado para retornar com mais informações sobre este fato, mas registra a existência de outra grande polêmica envolvendo o SINTEPP e outro blogueiro, neste caso o Hiroshi Bogéa, que alega ter sido caluniado por diretores do sindicato, que por sua vez emitiu uma Nota de repúdio contra o prefeito de Marabá, o Secretário de Educação e ao Blog do Hiroshi.

Como diria um amigo deste blogueiro: O ano de 2016 começou cunscarvalhos!