domingo, agosto 28, 2016

Interação nas redes sociais é mais importante do que TV, afirma cientista político

Com menos tempo na televisão, a propaganda eleitoral gratuita começou sem novidades e repetindo o tom de campanhas anteriores. "Esta será a eleição das redes sociais, que certamente vão desbancar a TV, diz o cientista político Luiz Feitosa. (Foto: Celso Rodrigues).

Por Leidemar Oliveira, no jornal Diário do Pará


O primeiro dia de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão não teve muitas novidades em relação aos anos anteriores. A avaliação é do cientista político Luiz Feitosa. Para ele, como já era previsto, a maioria dos candidatos usou o tempo para se apresentar ao eleitor, enquanto o atual gestor municipal optou em prestar contas do primeiro mandato. Apenas um candidato chamou a população para o debate político e outro apresentou propostas.

“O primeiro dia foi de mais apresentações e menos propostas. A tendência é que o conteúdo programático mais forte venha para os próximos dias”, diz Luiz Feitosa. Além de ter o tempo reduzido de 30 para dez minutos, a propaganda eleitoral deste ano tem o desafio de concorrer com a internet. “Esta será a eleição das redes sociais, que certamente vão desbancar a TV. Vai ser muito mais cômodo para o eleitor acompanhar a tudo pelo celular”, afirma Luiz Feitosa.

INTERATIVIDADE

Além disso, na internet, o eleitor tem a opção de interagir, de discordar e sugerir propostas diariamente e de forma instantânea. A mudança vai exigir do candidato carisma e conteúdo para defender a candidatura e prestar contas das ações o tempo todo. A dica do especialista é contratar um webmaster, profissional responsável pelo planejamento e alimentação do conteúdo para a internet. 

Mulheres e jovens são a maioria dos eleitores e são também os que mais acessam a rede, por isso os candidatos devem dar mais atenção para esses dois segmentos. A professora Gorett Ferreira, 49, diz que vai acompanhar tudo pelo celular. “Na TV, todos falam a mesma coisa, sem nenhum atrativo. Prefiro ver nas redes sociais e pelo celular, pois posso acompanhar a qualquer momento do dia”, justifica.