sexta-feira, outubro 14, 2016

IBOPE: Falsa pesquisa é espalhada em Belém


Por Diógenes Brandão

A divulgação de pesquisa eleitoral fraudulenta está prevista como crime, na Lei n. 9.504 /97, art. 33 , § 4º, mas em Belém, há quem desafie a justiça eleitoral, que assiste de braços cruzados, a divulgação ilegal e  de números adulterados e atribuídos, como sendo do Instituto IBOPE.

O fato colocou a militância de Edmilson Rodrigues (PSOL) e de Zenaldo Coutinho (PSDB) em alvoroço. 

"Ainda não se sabe de onde partiu, mas pela elaboração, tem tudo para ser fruto de um produto criado pela equipe de marketing de um dos dois candidatos", conclui uma fonte do blog, que afirma decepcionado, que é por essas e por outras que votará nulo neste segundo turno.

Artifício já utilizado em outras campanhas eleitorais do Pará e de outros estados, onde a justiça eleitoral se faz de cega, a peça foi lançada nesta quinta-feira (14) e continua sendo compartilhada pelos mais desavisados, através das mídias sociais.

Para dar um ar de legitimidade, os fraudadores utilizaram o número de registro da última pesquisa publicada pelo IBOPE em Belém e divulgada nas vésperas do primeiro turno das eleições 2016. 

O instituto emitiu uma nota onde esclareceu que não tem nada a ver com os resultados apresentados pela divulgação criminosa.



Na opinião deste blog, a divulgação deste tipo de crime eleitoral deveria ser investigada pela polícia e pela justiça federal e os internautas também deveriam aprender a consultar as informações que circulam na internet, antes de compartilharem, ajudando a passar em frente e viralizar mentiras e fraudes como essa.



A imagem acima é da consulta ao site do TSE, onde todas as pesquisas são registradas e podem ser acessadas por qualquer cidadão. Nela, o número da última pesquisa IBOPE publicada no dia 01 de Outubro, na véspera do primeiro turno das eleições municipais deste ano.