sábado, maio 20, 2017

Denúncia: Falsificação da pesquisa DOXA em Tomé-Açu

Resultado da pesquisa DOXA foi falsificado. A terceira colocada na pesquisa foi colocada como primeira e o primeiro como terceiro, uma inversão sem cabimento e que se configura como crime eleitoral, passivo de multa e prisão de até um ano.

Por Diógenes Brandão, com informações da DOXA Pesquisas

A falsificação do resultado da pesquisa DOXA sobre as intenções de voto dos eleitores do município de Tomé-Açu, onde dia 04 de Junho acontecerão eleições suplementares, está sendo divulgada de forma criminosa pelas redes sociais. 

Dornélio Silva, cientista político responsável pelo instituto DOXA, esclarece que um dos gráficos da pesquisa de intenção de voto, foi falsificado com o intuito de confundir os eleitores daquele município. 

Segundo Dornélio, o resultado da pesquisa realizada para avaliar o cenário desta véspera das eleições suplementares é a que está registrada no T.R.E, sob o nº PA-01934/2016, publicada nos blogs da DOXA, As Falas da Pólis e no jornal Amazônia deste domingo (21/05). 

A pesquisa verdadeira mostra o candidato Jonas (PSC) liderando a corrida eleitoral, com 23,8%, a segunda colocada é Bruna Eudes (PSDB), 19,7%; em terceiro lugar vem a candidata do PMDB, Aurenice com 18,0%. Caliman (Rede) é o quarto colocado com 16,4%. 

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a divulgação de pesquisa fraudulenta é crime punível com detenção de seis meses a um ano e multa que varia entre R$ 53 mil a R$ 106 mil. As providências jurídicas já estão sendo tomadas pelo instituto DOXA e um Boletim de Ocorrência (BO) na delegacia de crimes virtuais já foi registrado, para investigações sobre a origem da fraude e de todos que a compartilham nas redes sociais.

Leia aqui o resultado da pesquisa DOXA, realizada no município de Tomé-Açu, entre os dias 15 e 18 de Maio de 2017.