Pesquisar por palavra-chave

terça-feira, julho 18, 2017

Exclusivo: seis em cada dez senadores são suspeitos de práticas criminosas

Jader Barbalho e Paulo Rocha aparecem entre os 48 senadores com pendências criminais no Supremo Tribunal Federal.

Por Diógenes Brandão

Segundo a Revista Congresso em Foco, os senadores paraenses Jader Barbalho (PMDB) e Paulo Rocha (PT) são citados em levantamento que identificou 48 senadores com pendências criminais no Supremo Tribunal Federal (STF) – um recorde histórico, de acordo com o monitoramento iniciado por este site em março de 2004. 

Veja o que a revista levantou sobre os dois senadores paraenses:

Jader Barbalho (PMDB)

O ex-presidente do Senado está na mira da Lava Jato desde 2015. O ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró afirmou em delação premiada que pagou propina de US$ 6 milhões a ele e ao senador Renan Calheiros (PMDB-AL), em 2006. A suspeita resultou na abertura de inquéritos contra o ex-governador paraense. Responde a seis inquéritos (2909, 3993, 4171, 4172, 4267 e 4326) no Supremo Tribunal Federal. As acusações vão de crime contra a ordem tributária a corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Não respondeu às solicitações da reportagem para apresentar sua defesa em relação às acusações.

Paulo Rocha (PT)

Alvo do inquérito 4449, que apura os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, é suspeito de ter pedido doações eleitorais na forma de caixa dois para a campanha de Helder Barbalho, hoje ministro da Integração Nacional, ao governo do Pará, em 2014. Na época, os dois integravam a mesma chapa.

“A utilização desses recursos obedeceu estritamente às normas da legislação eleitoral", disse o senador.

Clique aqui e confira todos os demais senadores sob suspeita, que inquéritos e ações penais estão em curso contra cada um deles e o que eles disseram sobre as acusações.