Pesquisar por palavra-chave

terça-feira, setembro 26, 2017

Críticas nas redes sociais causam troca de tapas entre senador e militante do PT

Segundo o militante histórico, o Senador Paulo Rocha (PT-PA) bateu duas vezes no peito de Luis Cavalcante que reagiu.

Por Diógenes Brandão

Uma semana depois deste blog ter trazido à tona a denúncia de que uma van do IFPA havia sido usado de forma irregular no transporte de militantes do PT-PA, que participaram do Encontro de Mulheres do partido e elegeram a candidata indicada pelo senador Paulo Rocha (PT-PA), o partido resolveu anular o resultado do pleito. Agora, a principal secretaria ligada às setoriais do PT deve ficar sem titular e a delegação paraense ficará sub-representada no Encontro Nacional, previsto para ser realizado em Outubro. 

Para alguns decisão demorada se deu após a análise de dois recursos impetrados por grupos internos que se opõem ao grupo dirigido pelo senador Paulo Rocha e os deputados federais Beto Faro e Zé Geraldo, o chamado CNB, antes denominado de "campo majoritário". No entanto, o que se pode analisar é que a notícia correu longe e colocou em cheque a tentativa de abafar o caso, como o presidente estadual do partido tentou, chegando inclusive a ameaçar - implicitamente - de expulsão, aqueles que divulgassem o ocorrido nas redes sociais.

O ato gerou grande indignação no seio da militância. Filiados históricos cobraram de forma enfática a apuração e punição não de quem havia denunciado e criticava a fraude, mas sim quem a cometeu. Um desse foi Luis Cavalcante, ex-vereador de Ananindeua e ex-secretário de educação do governo Ana Júlia, que escreveu no seu perfil de uma rede social:


No último domingo, Luis Cavalcante encontrou-se com o senador Paulo Rocha durante os encontros setoriais, alguns deles esvaziados pela ausência de filiados e veja o que aconteceu:


Aqui, Cavalcante explica com detalhes o ocorrido.


Outro militante histórico, o ex-radialista e sindicalista Luiz Cunha também se manifestou: