Pesquisar por palavra-chave

domingo, outubro 15, 2017

Deputado da Tatuagem de Temer pode perder mandato. Segundo delator, Wladimir Costa era comprado a toda hora

Depois de ser delatado como um dos corruptos que era "comprado a toda hora", o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados abriu processo contra Wladimir Costa (SD-PA) por quebra de decoro e o parlamentar paraense pode perder o mandato e ficar inelegível.

Por Diógenes Brandão

O deputado federal Wladimir Costa (SD-PA) volta a ser destaque na imprensa nacional. Além do comportamento reprovável e extremamente vergonhoso na Câmara dos Deputados, em Brasília, Wlad, como gosta de ser chamado, foi acusado pelo corretor financeiro Lúcio Funaro de ser comprado “a toda hora”, quando Eduardo Cunha (preso) precisasse aprovar alguma matéria de interesse da organização criminosa que ele comandava no Congresso Nacional.

Assim, Funaro revelou num dos depoimentos de sua delação premiada ao Ministério Público Federal, o motivo de todas as bizarras encenações daquele que ficou conhecido por tatuar o nome de Michel Temer no ombro e de pedir nudes em plena sessão da Câmara dos Deputados. Uma matéria do quadro "Cadê o Dinheiro Que Estava Aqui?", do Fantástico, Wladimir Costa teve parte de sua vida pregressa exposta na TV para o Brasil. Mas tem muito mais

Wladimir Costa foi cassado pelo TRE-PA e agora é alvo de uma representação no Conselho de Ética da Câmara por quebra de decoro parlamentar. A acusação é por assediar e ofender uma jornalista da radio CBN. 


Com elementos suficientes para perda do mandato, os deputados que fazem parte do Conselho, resolveram instaurar processo contra Wlad. A representação foi apresentada pelo PSB, que acusa o parlamentar de quebra de decoro por ter assediado e ofendido a jornalista Basília Rodrigues, da Rádio CBN. O deputado paraense nega o assédio.


Deputado Wladimir Costa não explica seu patrimônio

Denúncia feita pelo Ministério Público Federal ao Supremo Tribunal Federal de que uma ONG do município de Barcarena-PA recebeu em dinheiro vivo, a bagatela de R$ 230.000,00 através de um convênio com a Secretaria de Esporte e Lazer do Estado do Pará para a realização de um torneio de canoagem, que nunca ocorreu e da compra de uma luxuosa cobertura tríplex, em Copacabana-RJ, em nome da mãe do deputado federal Wladimir Costa (SDD-PA).

Assim como o senador Aécio Neves (PSDB-MG) que prefere viver na cidade maravilhosa - no Rio de Janeiro - ao invés de sua cidade-natal, o deputado Wladimir Costa também tem todo o direito de gozar com sua família de uma vida de luxo em qualquer lugar do mundo. Basta no entanto, comprovar a fonte do dinheiro que possibilita ostentar tantos imóveis, automóveis e empresas, entre elas rádios comunitárias em nomes de laranjas.