Pesquisar por palavra-chave

BATE-PAPO DA PÓLIS

segunda-feira, outubro 30, 2017

Polícia procura o principal suspeito de ser o mandante do assassinato de Jones William, prefeito de Tucuruí. Artur Brito (PV) chorou no velório da vítima

Graciele Galvão esposa do prefeito assassinado recebe o afago de Artur Brito, principal suspeito de ter sido o mandante do assassinato de seu marido.

Por Diógenes Brandão  

Três meses após o assassinato do prefeito de Tucuruí, Jones William (42), atingido por tiros na cabeça, a Polícia Cívil deflagrou uma operação que já ouviu a mãe do vice-prefeito, o irmão (vereador) e está na caça do suspeito de ser o mandante do crime, vice-prefeito na época e atual prefeito da cidade, Artur Brito (PV).

Fontes do blog AS FALAS DA PÓLIS já haviam adiantado a autoria do crime, mas o mesmo ainda não foi solucionado, mesmo após a prisão do pistoleiro Bruno Oliveira, preso dias após ter sido acusado de matar um empresário em Itaituba.


Segundo fontes do blog, a mãe, o irmão (vereador) e diversos assessores do vice-prefeito já estão sendo interrogados. Resta agora, o principal suspeito do crime. A cidade aguarda ansiosa pelo desfecho deste caso que chocou o Pará. A procuradora do município nega que tenham ocorrido prisões.

Artur Brito (PV) está foragido da polícia por ser o principal suspeito de ter planejado o assassinato de Jones William.

O vice-prefeito, que não foi encontrado em sua casa, chegou a chorar pela morte do prefeito, ao lado da esposa, durante e após o velório da vítima e em suas redes sociais é comum ter fotos ao lado da vítima.


A cena em que o vice-prefeito Artur Brito (PV) chora sobre o caixão do prefeito Jones William (PMDB).

Ainda segundo as informações exclusivas recebidas pelo blog, uma queima de arquivo deixou um lastro de outros cinco (05) assassinatos após a morte de Jones William, todas ligadas à morte do prefeito. Os nomes das vítimas são: Zé Davi, Edvaldo, Elden, Juan e Miúdo.



Comandada pelo delegado geral da Policia Civil Rilmar Firmino, a equipe composta por 50 agentes de segurança pública que participam da operação, cumprem 10 mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária e mais 13 de condução coercitiva, entre elas das seguintes pessoas citadas no inquérito. São eles: Artur Brito (Vice-prefeito), Josy Brito (Mãe do vice-prefeito), Lucas Brito (Vereador e irmão do vice-prefeito), comandante Wilson (Chefe de Gabinete), Patrick (Pistoleiro e segurança da mãe do vice-prefeito) Marlon (Amigo e sócio do vice-prefeito), Birinha (Assessor do vereador Lucas Brito), Tiago Canaã (Motorista do vice-prefeito), Clóvis e Cleiton (Agiotas e sócios do vice-prefeito).