Pesquisar por palavra-chave

segunda-feira, outubro 30, 2017

População hostiliza e a polícia escolta vice-prefeito de Tucuruí. Advogada é presa após tentar impedir o trabalho da imprensa

A chegada de Artur Brito (PV) à sede da Superintendência Regional da Polícia Civil, em Tucuruí.

Por Diógenes Brandão

Veja o momento em que o vice-prefeito de Tucuruí, Artur Brito (PV), chega para ser interrogado:


Em audio recebido do municípios de Tucuruí, a procuradora do município, conhecida como Glaucia Brasil, diz que o prefeito e nem ninguém de sua família foi preso e em vídeo aparece tentando impedir o trabalho da imprensa. 

Assista o momento em que a procuradora avança contra a reportagem.



Contrariando as informações de que a polícia destacou 50 agentes e dezenas de viaturas de Belém e outras cidades, para dar cumprimento de 10 mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária dos suspeitos, além de outras 13 conduções coercitivas, a advogada diz que foram apenas convites para que o vice-prefeito e seus familiares fossem depor.


Segundo uma rádio local, logo após agredir uma equipe de reportagem, a procuradora recebeu voz de prisão.



Neste exato momento populares acampam em frente da Superintendência Regional da Polícia Civil, em Tucuruí e exigem que seja feita justiça contra os acusados da morte do prefeito Jones William (PMDB), atingido por tiros na cabeça, no mês de Julho deste ano, enquanto fiscalizava uma obra na cidade.