Pesquisar por palavra-chave

quarta-feira, julho 12, 2017

Em defesa de Temer, Wladimir Costa chama Letícia Sabatella de "patifa" e Wagner Moura de "vagabundo" e "ladrão"

O deputado paraense ofendeu diversos artistas brasileiros ao defender Temer e criticar site criado para pressionar os demais parlamentares a aprovarem o início das investigações de todas as denúncias contra o presidente.

Por Diógenes Brandão

Em mais um discurso inflamado, repleto de ofensas aos seus alvos e em defesa de Michel Temer, o deputado federal Wladimir Costa (SDD-PA) usou a tribuna da Câmara dos Deputados para ofender e caluniar os artistas de teatro, televisão e músicos que criaram um movimento nas redes sociais, com o objetivo de pressionar os deputados federais a votarem pela admissibilidade da abertura de processo investigativo contra o presidente Michel Temer.

O que incomodou o deputado paraense que defendeu Eduardo Cunha (PMDB-RJ) durante o processo de sua cassação e hoje faz parte da tropa de choque de Temer na Câmara dos Deputados, foi o fato destes artistas terem lançado nesta segunda-feira (10), o site www.342agora.org.bronde revelam os nomes dos deputados que que se manifestam contra, a favor e aqueles que estão indecisos sobre o afastamento do presidente.

Veja dois vídeos do movimento e visite o canal #342 Agora:



Ao ver a repercussão dos vídeos que rapidamente viralizaram nas redes sociais,o deputado federal Wladimir Costa comprou a briga por Temer e disparou: Hoje eu vim com a finalidade de prestar um grande serviço aos artistas, cantores, sertanejos, atores das grandes redes de televisão, supostamente a serviço, a mando dos seus patrões que hoje lançaram um site na Internet (...) Vocês vão conhecer os verdadeiros vagabundos da Lei Rouanet que assaltaram os cofres públicos da Lei Rouanet: Glória Pires recebeu mais de 2 milhões de dinheiro e não prestou conta. Wagner Moura é outro vagabundo, o tal do Capitão Nascimento. O personagem combatia a injustiça, mas, na vida real, como ator, um verdadeiro ladrão. Outra patifa é a Letícia Sabatella, vulgo Letícia Mortadela. Tem também a Sônia Braga que tem uma carreira inteira nos Estados Unidos, mas ela vem buscar dinheiro da Lei Rouanet aqui.

Um deputado então fala da platéia: "Lava a boca para falar de Wagner Moura e Letícia Sabatella, Deputado".

Wladimir então finaliza dizendo: "Viva o Presidente Temer!"

Assista:



Em resposta, Xande de Pilares gravou uma resposta ao deputado na fanpage Xô Vampirão

Assista:

Moro condena Lula a nove anos e meio de prisão, mas ex-presidente vai recorrer em liberdade

Sem provas e coragem de prender o maior líder político da América Latina, o juiz  de primeira instância se recolheu a uma decisão já esperada: Absolveu Lula das acusações de corrupção e lavagem de dinheiro, mas o condenou por um Tripex mixuruca no Guarujá.

Com informações do Portal G1, da Globo.

O juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância, condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no processo que envolve o caso da compra e reforma de um apartamento triplex em Guarujá, no litoral de São Paulo. 

Ele foi condenado a nove anos e seis meses pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. (veja abaixo a lista dos condenados). É a primeira vez, desde a Constituição de 1988, que um ex-presidente é condenado criminalmente. A sentença foi publicada nesta quarta-feira (12) e não determina a prisão imediata do presidente. Na decisão, Moro permite que Lula recorra em liberdade.

"[...] Considerando que a prisão cautelar de um ex-Presidente da República não deixa de envolver certos traumas, a prudência recomenda que se aguarde o julgamento pela Corte de Apelação antes de se extrair as consequências próprias da condenação. Assim, poderá o ex-Presidente apresentar a sua apelação em liberdade", diz a decisão. Veja a íntegra da decisão de Sérgio Moro

O juiz absolveu Lula das acusações de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo o armazenamento do acervo presidencial numa transportadora, que teria sido pago pela empresa OAS, por falta de prova suficiente da materialidade. 

"Por fim, registre-se que a presente condenação não traz a este julgador qualquer satisfação pessoal, pelo contrário (..)", disse Sérgio Moro.

O blog AS FALAS DA PÓLIS aguarda o posicionamento dos advogados de Lula ou do próprio ex-presidente.

A chacina de Pau D'Arco e a prisão de 10 policiais

Chacina de Pau D'Arco: 10 trabalhadores rurais assassinados e 10 policiais presos.

Por Carlos Bordalo, no Facebook

O avanço das investigações no caso Pau D'Arco vai confirmando as linhas centrais do relatório emitido por mim e pelos deputados Lélio Costa e Ozório Juvenil, membros titulares da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará. 

Nosso relatório foi atacado ferozmente, eu sofri agressões nas redes sociais e uma tentativa de agressão física por deputado federal policial, dentro do prédio da Alepa. Com as prisões de dez policiais militares e dois civis ontem (10), solicitadas pelo Ministério Público do Estado, a verdade vai jogando luzes sobre a tenebrosa operação que vitimou dez pessoas na agora comprovada Chacina de Pau D'Arco

As instituições policiais precisam ser preservadas e defendidas. As polícias Civil e Militar do Pará são inestimáveis para a garantia da ordem pública e defesa da população. 

É preciso coragem e determinação para não sucumbir diante de corporativismos cegos e efetivamente afastar desvios de conduta e a captura das corporações por interesses incompatíveis com a missão constitucional das instituições policiais. 

As delações premiadas de policiais presentes naquele teatro de horror devem trazer novas e importantes informações. E mais uma vez ressaltamos que não nos alegra - pelo contrário, nos entristece o envolvimento de agentes da lei em práticas avessas ao Estado Democrático de Direito. 

Continuamos acompanhando o caso com tranquilidade, principalmente pela zelosa e firme condução das investigações conduzidas pelo MP paraense. 

Nossa principal declaração à época do massacre foi esta: "Houve de tudo na fazenda Santa Lúcia em Pau D'Arco, menos confronto. É preciso chegar às motivações que conduziram àquela aberração e identificar possíveis financiadores da matança. Chega de impunidade e crime de mando no Pará".