Pesquisar por palavra-chave

sexta-feira, julho 28, 2017

Polícia prende suposto coordenador da campanha de Eder Mauro, deputado que encenou a prisão de Lula

Durante manifestações pelo Impeachment de Dilma, Eder Mauro (PSD-PA) encenou a prisão de Lula. Imprensa diz que um dos seus coordenadores de campanha é o acusado de ser mandante do assassinato do ex-prefeito de Breu Branco.

Por Diógenes Brandão

Um ano e meio depois de encenar a prisão do ex-presidente Lula, o deputado federal Eder Mauro (PSD), teve o suposto coordenador de sua campanha eleitoral preso, junto como mais 03 pessoas, acusadas pela morte do prefeito de Breu Branco, há pouco mais de dois meses.



Segundo informações da SEGUP-PA o presidente do Partido Social Democrático (PSD) do município de Breu Branco,  Ricardo José Pessanha Lauria, conhecido como “Ricardo Chegado”, é apontado como  o mandante pelo assassinato do prefeito da cidade, Diego Kolling, conhecido como “Diego Alemão” (PSD). 

Além de Ricardo, mais três outros presos não tiveram a identidade revelada, teriam tido participação indireta, auxiliado na execução do crime. Celulares e outros objetos foram apreendidos. A expectativa é que os presos sejam encaminhados ainda hoje em uma aeronave para Belém.

A prisão do assassino e mandante do crime cometido há pouco mais de dois (02) meses, acontece três (03) dias depois da morte de Jones William, o 3º prefeito assassinado no sudeste paraense, durante o período de um ano e meio.         

Eleito pelo partido presidido no município pelo seu algoz, “Diego Alemão”, foi assassinado a tiros no início da manhã do dia 16 de Maio deste ano, quando pedalava com um grupo de amigos na rodovia PA-263.  A vítima foi atingida pelas costas e chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Regional de Tucuruí, sudeste paraense. Na ocasião, “Diego Alemão” tinha 33 anos e era casado. 

Conforme investigações da Polícia Civil, o acusado de ser o executor do crime trabalhou para o presidente do PSD, como tratorista.  O suspeito confessou ter executado o prefeito a mando de Ricardo Chegado.  O diretório do PSD informou que a direção do PSD em Breu Branco foi afastada e encontra-se sob intervenção.

O acusado foi preso na fazenda de um amigo, depois que a justiça expediu mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão solicitados pela polícia e cumpridos nas áreas urbana e rural do município, localizado a 248 km de Marabá. 

Órgão de comunicação do governo do Estado, a Agência Pará divulgou nota onde revela que o delegado geral Rilmar Firmino foi o responsável pela ação que reuniu cerca de 40 policiais, entre civis e militares. Às 17 horas, na sede da Delegacia Geral, está prevista uma coletiva de imprensa, quando serão apresentados detalhes da operação deflagrada em Breu Branco.

Jornalista poupa jornais e sites, mas acusa internautas de irresponsáveis

De Marabá, o jornalista  Hiroshi Bogéa usou seu blog para chamar de irresponsáveis os internautas que usam as redes sociais para, segundo ele, vincular Eder Mauro à morte do prefeito de Breu Branco

O deputado nega o vinculo. Leia aqui.

Jornalista chama de irresponsável vinculação de Eder Mauro à assassinato de prefeito

Deputado Federal Eder Mauro nega que mandante do assassinato do ex-prefeito de Breu Branco tenha sido coordenador de sua campanha no município. PSD interviu no comando municipal do partido.

Por Diógenes Brandão

De Marabá, o jornalista  Hiroshi Bogéa usou seu blog para chamar de irresponsáveis os internautas que usam as redes sociais para, segundo ele, vincular Eder Mauro à morte do prefeito de Breu Branco.

Veja um trecho de sua publicação: 

"Em grupos do WhatsApp e até em perfis do Facebook alguns afobadinhos passaram a fazer suposições irresponsáveis,  ligando o nome do deputado federal ao crime.  O perfil violento do delegado licenciado, eleito deputado com maior votação do Estado, e propagador de discursos de prevalência da máxima “olho por olho, dente por dente” não autorizam ninguém a acusá-lo sem que as autoridades policiais e judiciárias concluam as investigações.  É sabido que as redes sociais abriram espaço à manifestação de uma legião de imbecis, desinformados e ignorantes políticos, mas fazer prejulgamento de alguém que talvez nada tenha a ver com o fato, é ato tão criminoso quanto o assassinato em si de uma pessoa".



Integrante da "bancada da bala" em Brasília, Eder Mauro foi um dos principais líderes que encabeçavam os protestos pedindo o impeachment de Dilma no Pará e é protagonista de diversas polêmicas na Câmara dos Deputados, onde voscifera contra os defensores dos Direitos Humanos, as cotas raciais, os direitos LGBT e demais temas que envolvem direitos das minorias sociais.

Embora o jornalista diga que foram internautas que propagaram o vínculo do nome do deputado Eder Mauro ao assassinato do ex-prefeito de Breu Branco, diversos portais, sites e blogs de notícias iniciaram a divulgação do caso, diante da prisão do mandante do crime, afirmando que ele foi coordenador da campanha de Eder Mauro, no sudeste do Pará, onde já vinha sendo investigado há dois meses pela polícia.

Em nota, o deputado usou suas redes sociais para chamar de mentira, a notícia veiculada.

Leia:



O portal Diário Online chegou a mudar a chamada da matéria, mas talvez tenha sido a primeira fonte a afirmar que o mandante do crime contra o prefeito de Breu Branco, era coordenador da campanha de Eder Mauro. 


Veja o print de um dos principais sites de pesquisa online: