Pesquisar por palavra-chave

sábado, fevereiro 17, 2018

Dornélio Silva: números do IBOPE são muito estranhos



Por Diógenes Brandão

Após a publicação do artigo A pesquisa IBOPE e a acirrada disputa pelo governo do Pará, o blog recebeu diversas mensagens nos aplicativos de mensagens e redes sociais com opiniões e comentários, entre os quais destacamos a nota enviada pelo cientista político Dornélio Silva, diretor-presidente do Instituto Doxa Pesquisas.

Leia o que ele disse:

Chama a atenção a questão Espontânea de aferição de intenção de voto da pesquisa Ibope. 

Essa pergunta, nesse momento que antecede a eleição, é fundamental, tendo em vista que ela mede a notoriedade, isto é, que nome está mais marcado, mais presente na mente do eleitor. 

No entanto, o Ibope apresenta um número que transgride qualquer aferição histórica de pesquisa de opinião. 

O Ibope apurou que 77% dos eleitores paraenses não sabem indicar um nome ou preferem não opinar. Além disso, 12% declararam que pretendem votar em branco ou anular o voto. Ao somarmos, obteremos 89% de votos flutuantes, quer dizer que apenas 11% dos eleitores paraenses indicaram algum candidato. 

Isso é muito estranho, uma vez que Helder Barbalho tem notoriedade, é candidato declarado, está fazendo campanha há muitos anos, tem todo um aparato de comunicação a seu favor para levar seu nome aos quatro cantos do Pará. Helder aparece com apenas 5%, depois Simão Jatene com 2%, Márcio Miranda e Edmilson Rodrigues com 1%. 

E o que é mais gritante é que Helder, ao estimular pula de 5% para 36%. Para essas eleições, já fizemos três pesquisas em 2017, e posso garantir que esses números da questão espontânea aferidos pelo Ibope não tem explicação lógica.