Pesquisar por palavra-chave

domingo, agosto 19, 2018

Roma News erra e diz que Paulo Rocha é o mais rejeitado no Pará



Por Diógenes Brandão


Ao publicar a pesquisa DOXA, divulgada neste sábado, 18, o portal Roma News se confundiu e acabou afirmando que Paulo Rocha, candidato do PT na disputa pelo governo do Pará é o mais rejeitado entre os demais competidores. 


A afirmação equivocada foi feita na matéria publicada no portal lançado no mês de Maio deste ano, sob a tutela de Romulo Maiorana Jr., ex-presidente das Organizações Romulo Maiorana. 

Baseado nas informações do Instituto DOXA, em um parágrafo anterior, a matéria afirmar que Helder Barbalho lidera a pesquisa, mas também tem a maior rejeição. Isso sim está correto.

Veja:



O blog AS FALAS DA PÓLIS também divulgou a pesquisa, mas de forma correta informou aos seus leitores que os candidatos Helder Barbalho (MDB) e Paulo Rocha (PT), possuem as maiores rejeições nesta disputa eleitoral.

LAVA JATO

Em Julho deste ano, o blog noticiou em primeira-mão, que tanto Helder Barbalho, quanto Paulo Rocha tiveram seus processos - onde já são investigados pela Polícia Federal e pelo STF - enviados para o TRE-PA, que ficou de verificar se a dupla cometeu crime eleitoral durante a campanha eleitoral de 2014, quando Helder disputou o governo, mas foi derrotado por Simão Jatene (PSDB), que se reelegeu, mas Paulo acabou sendo eleito senador, onde conclui esse ano o seu primeiro mandato e tem mais quatros anos pela frente, caso não seja eleito governador.

Adeus Miguelzinho: Morre uma das principais lideranças dos movimentos sociais por Reforma Urbana no Brasil

 Miguel Lobato, ou Miguelzinho fez história na luta por habitação, saúde, controle social e participação popular.

Por Diógenes Brandão

A UNMP - União Nacional de Moradia Popular emitiu nota de falecimento de Miguel Lobato, mais conhecido como Miguelzinho. Coordenador do MNLM - Movimento Nacional de Luta por Moradia, Miguelzinho passou mal nesta madrugada e foi levado por familiares à UPA de Icoaraci, onde veio a óbito, após uma parada cardíaca.

Além de Reforma Urbana, Miguelzinho fez história na organização e nos debates promovidos por governos e movimentos sociais, sobre direito à saúde pública de qualidade, participação popular e controle social em todo o país. 

Foi um do fundadores da CBB - Comissão de Bairros de Belém, importante entidade que entre outras lutas, ajudou a organizar os moradores de bairros periféricos que sofriam com os problemas causados pela falta de saneamento e as enchentes em Belém. A luta dos centros comunitários e associações de moradores filiados à CBB acabou conquistando a Macrodrenagem da bacia do Una, obra que resolveu em parte os problemas dos moradores atingidos por esse pedaço da capital paraense. 

Como membro da primeira formação do Conselho Nacional das Cidades e de diversos outros conselhos, fóruns e movimentos sociais e populares, Miguelzinho sempre foi um líder com voz altiva e preponderante. 

Sua inteligência e sagacidade marcaram todos que o conheceram e ele deixa importante contribuição à luta pela Reforma Urbana e o direito à moradia popular no Pará e no Brasil.