Pesquisar por palavra-chave

quinta-feira, outubro 25, 2018

Linha de tiro: O que podemos esperar desta reta final da campanha eleitoral?



Há 3 dias de sabermos quem será  o novo presidente da República e governador do Pará, a pergunta que se faz por aí é a seguinte: teremos mudanças reais? 

Ou tudo irá piorar? 

Nenhuma coisa, nem outra?  

Como estão os preparativos dos candidatos? 

E como andam as redes sociais, onde amizades continuam caindo no ralo e paixões cada vez mais exacerbadas entre partidários dos candidatos?  

Os analistas do programa "Linha de Tiro", os professores da UFPA Elson Monteiro, historiador, e Alexandre Cunha, sob mediação do jornalistas Carlos Mendes, estarão ao vivo no bate-papo de 20H00 às 21H00 desta quinta-feira.  

Você pode também participar e dar sua opinião. 

Os links do programa são os seguintes:  




Em discurso da virada, Haddad diz que quer Bolsonaro vivo e com saúde


Altman: a virada é possível?


Helder Barbalho tentou censurar aplicativo que revela a ficha de políticos




Aplicativo Detector de Ficha de Político, checa os dois candidatos que disputam o 2° turno das eleições no Pará.

Por Diógenes Brandão


A tentativa dos advogados de Helder Barbalho em retirar do ar, o aplicativo Detector de Ficha de Políticos não vingou.

28 advogados da coligação encabeçada pelo candidato do MDB, entraram com pedido judicial para tentar barrar o aplicativo de ser usado, após o seu adversário, Márcio Miranda, ter sugerido aos eleitores paraenses que consultem a internet e o aplicativo para encontrar a ficha dos candidatos, nos dois debates ocorridos neste segundo turno.


Depois disso, diversas pessoas passara gravar vídeos mostrando como se usa o aplicativo e para tal, usaram as imagens de Helder Barbalho e Márcio Miranda. Resultado: Helder Barbalho aparece com seus quatro processos na justiça, tanto por citações de delatores na Lava Jato, quanto por improbidade administrativa, enquanto foi prefeito de Ananindeua. Já Márcio Miranda não tem nenhum processo.




Também conhecido como Detector de Corrupção, o Detector de Ficha de Políticos é um aplicativo criado pela Grey para o Reclame Aqui, site já ajudou mais de 18 milhões de consumidores que pesquisam a reputação de empresas antes de comprar.    

A nova ferramenta criada em Abril deste ano, tornou simples o ato de identificar os políticos corruptos e os que não tem nada contra eles na esfera judicial.     

Políticos investigados e denunciados em escândalos continuam falando que são honestos e ficha limpa, mas não podem negar a ‘ficha corrida’.


BAIXE E USE   

É muito fácil de usar: basta apontar o celular para uma fotografia ou para as telas de TV ou computador. Daí o aplicativo mostra a ‘ficha corrida’ do candidato: processos e  improbidades administrativas que ele responde na Justiça. Ao acessar a plataforma, o aplicativo destaca, em qualquer  site, os nomes de políticos  que ocupam ou ocuparam  cargos eletivos, além de  Ministros de Estado, com pendências na Justiça.   

Com apenas 3 cliques você consegue saber a ficha de um  político condenado, processado  ou investigado.    

Se preferir, você também pode digitar o nome de qualquer candidato e conferir a ficha  judicial dele. Na versão aplicativo, totalmente gratuita, o Detector de Corrupção utiliza um sistema de reconhecimento facial que pinta de roxo o rosto de políticos envolvidos em denúncias de corrupção.     

O app faturou um prêmio inédito no Cannes Lions 2018: o Grand Prix, na categoria Mobile. Em 2016, quando foi lançada, ferramenta era apenas uma extensão para o navegador Google Chrome.      

O aplicativo dá o parecer a partir de informações disponíveis na base de dados de tribunais como o Supremo Tribunal Federal (STF), Supremo Tribunal de Justiça (STJ), Tribunais de Justiça (TJs) e Tribunais Regionais Federais (TRFs).   

Processos em segredo de Justiça não são revelados, já que essas informações não são divulgadas. 

O Detector de Corrupção está disponível nas versões Android e iOs. Clique aqui para baixar.

Jovem da UJS é agredido quando participava de atividade pró-Haddad em Ananindeua-PA

O clima de acirramento político e ódio aumenta e gera cada vez mais vítimas, inclusive no Pará.

Por Diógenes Brandão

Na noite desta quarta-feira, 24, um grupo de jovens militantes pró-Haddad ao participarem de um bandeiraço com panfletagem, na praça da Bíblia, no conjunto Cidade Nova II, em Ananindeua, cidade da região metropolitana de Belém, foram surpreendidos por ofensas proferidas por três homens, que desceram do carro e sem nada falar passaram a agredir o jovem Bruno, com socos e pontapés.

Um ataque violento e covarde 

Não satisfeitos com as ofensas proferidas de dentro do veículo, os supostos agressores desceram do carro e partiram para cima do grupo. No meio de diversas mulheres, escolheram um jovem chamado Bruno Martins, líder da UJS, que sofreu agressão física. 

Testemunhas que estavam na atividade de campanha Haddad Presidente, confirmaram ao blog as agressões a Bruno e correram para acudi-lo e nesse momento os agressores recuaram de volta para o veículo que estavam, e por medo, diante da desvantagem numérica do grupo da campanha.

Nesse momento, uma viatura da ROTAM chega ao local, dá voz de prisão ao agredido, algema-o e confina-o dentro do camburão, mas, o mais estranho é que um dos policiais ordenou que os agressores o seguissem em seu próprio veículo, enquanto o agredido foi colocado no porta-malas da viatura da PM.

Para Bruno, pelo que se ouviu dos agressores, eles são apoiadores de Jair Bolsonaro. Bruno prestou depoimento na Seccional da Cidade Nova, onde foi acompanhado pelo advogado Jorge Farias.

O blog está em busca de maiores e detalhes sobre esse caso.