Pesquisar por palavra-chave

terça-feira, janeiro 15, 2019

Traições e expulsões podem trazer mudanças na bancada do PSDB na ALEPA e fazer Helder perder apoio

Suplentes estão ansiosos pela possível expulsão dos traidores do PSDB que pularam do barco tucano para o de Helder Barbalho.

"As oportunidades multiplicam-se à medida que são agarradas". 

Sun Tzu, século IV a.C. 


Por Diógenes Brandão

Segundo 3 advogados consultados pelo blog AS FALAS DA PÓLIS, o Diretório Municipal do PSDB em Ananindeua não tinha competência para expulsar um membro do Diretório Estadual, tal como foi anunciado por alguns blogs, que prestam auxílio voluntário ao governo de Helder Barbalho.  

No entanto, pessoas ligadas ao ex-vereador e deputado estadual eleito e diplomado, Dr. Daniel (PSDB) entraram em contato e disseram que a instância municipal, controlada pelo prefeito de Ananindeua, Manoel Pioneiro (PSDB), pode sim expulsá-lo, pelo fato de que Daniel ainda  é vereador e presidente da Câmara Municipal do município. 

Nossos advogados porém contestam a afirmação, dizendo que Dr. Daniel já foi diplomado como deputado e que o Diretório Estadual do PSDB é quem tem a prerrogativa de avaliar se ele ou qualquer outro membro desta instância da estrutura partidária tucana traiu ou não os interesses e programa do partido e assim tomar suas providências, que podem incluir sua expulsão e a perda do mandato, já que conforme já foi abordado por este blog, o art. 22-A da Lei 9.096/95, que foi acrescentado pela Reforma Eleitoral de 2015, especifica os três casos considerados como justa causa para desfiliação partidária sem a perda de mandato.  São eles:    
  1. Mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário;   
  2. Grave discriminação política pessoal e   
  3. Mudança de partido efetuada durante o período de trinta dias que antecede o prazo de filiação exigido em lei para concorrer à eleição, majoritária ou proporcional, ao término do mandato vigente.
Por isso, além do Dr. Daniel, o PSDB pode apreciar o pedido de expulsão de outro deputado tucano que debandou par ao lado adversário: O deputado reeleito Luth Rebelo (PSDB).



O curioso de tudo isso é que diante de tudo que está acontecendo, o deputado eleito que segundo alguns blogs alardearam que havia sido expulso pelo Diretório do PSDB de Ananindeua, em nenhum momento reclamou da sua expulsão e nem se manifestou sobre a as decisões das instâncias de seu partido e segue recolhido e calado nas redes sociais.

Talvez o recolhimento do Dr. Daniel seja pela preocupação em buscar uma saída para a grande ameaça a cadeira que ainda nem sentou: É que deputados estaduais aliados do governador Helder Barbalho continuam a pressionar e disputam a presidência da ALEPA, que segundo blogueiros voluntários, estava prometida ao agora "deputado expulso".  

Para piorar, Dr. Daniel também já sabe que os candidatos do PSDB que também disputaram cadeiras na ALEPA e ficaram como suplentes, também pressionam dirigentes do partido, através de mensagens, telefonemas e encontros reservados, em busca de apoio dos colegas para uma reviravolta nos bastidores do poder legislativo, onde muitos já davam como certo, de que Daniel seria ungido e proclamado presidente da casa. 

A pergunta que circula agora é se for expulso do PSDB pela instância estadual e o partido requerer e ganhar o direito do mandato, quem assume no lugar do Dr. Daniel? Fontes que circulam e interagem com maestria nestes bastidores, sempre mantém o blog atualizado com informações quentíssimas e uma delas acaba de nos dizer que nos dizer que Alexandre Von (PSDB) com seus 30.419 votos e Sancler (PSDB) que obteve 28.247, já não dormem de tanta ansiedade pela reunião do diretório estadual tucano, que pode avaliar o pedido de expulsão dos "traidores" e os suplentes reivindicarem na justiça, junto com o partido, as duas vagas na ALEPA. 

Há quem dizia que tudo sairia do jeito que Manoel Pioneiro e Helder Barbalho planejaram e agora percebem que não será tão fácil assim. Conversas de ambos os lados estão em curso e a disputa, pelo menos agora, é pela maioria no Diretório do PSDB.

PSDB estadual anula expulsão de deputado tucano cotado para presidir a ALEPA

Após ser expulso pelo Diretório Municipal do PSDB, Dr. Daniel teria caminho livre para ser presidente da ALEPA.


Por Diógenes Brandão

O Diretório Estadual do PSDB resolveu agir e anulou a expulsão do vereador e presidente da Câmara Municipal de Ananindeua e deputado estadual eleito e empossado, Dr. Daniel (PSDB).

No documento, a direção estadual tucana lembra que o art. 29 do Estatuto Partidário diz que compete a ele e não ao Diretório Municipal de Ananindeua, remeter ao Conselho de Ética e Disciplina, qualquer infração e violações cometidas por membros do Diretório Estadual, o qual Dr. Daniel integra. 

A decisão pode jogar um balde de água fria nos planos do prefeito de Ananindeua, que controla o Diretório Municipal de Ananindeua e que é o principal padrinho político do ainda tucano Dr. Daniel.

Segundo o documento que acaba de chegar ao blog, a decisão da direção estadual do PSDB determina que o Diretório Municipal apresente documentos que comprovem a tentativa de expulsão, já que a instância superior não foi oficialmente notificada da expulsão, divulgada através de blogs e das redes sociais.

O clima é tenso entre os tucanos após a vitória de Helder Barbalho, que segundo blogs de política, tem feito cooptações de tucanos a fim de enfraquecer o PSDB, principal adversário do MDB no Pará.

Diretório Estadual do PSDB anula expulsão de deputado eleito.
Fontes consultadas pelo blog, dizem que Manoel Pioneiro (PSDB) foi complacente com a estratégia de expulsão do seu amigo e aliado, que apoiou Helder Barbalho (MDB) contra o candidato apoiado pelos tucanos, o Democrata Márcio Miranda. Para muitos analistas, Pioneiro está se vingando pelo fato de ser preterido pela cúpula tucana, quando pensou que seria o nome certo para disputar a sucessão de Simão Jatene, o ex-governador do Pará.

15 dias de muita violência e assassinatos de PMs e cidadãos no Pará

Números extra-oficiais revelam que em apenas 15 dias, mas de 50 pessoas já foram assassinadas no Pará, nos primeiros dias deste ano.

Por Diógenes Brandão

No começo da noite desta segunda-feira, 14, três moradores foram assassinados em um bar no bairro da Cremação, há apenas 200 metros de um quartel da PM, em Belém. 

Na manhã desta terça-feira, um sub-tentente foi assasinado dentro da sua casa, no bairro da Pedreira, em Belém. Segundo a polícia, os 4 homens que mataram o PM já chegaram atirando diversas vezes no policial. Com ele, 6 policiais militares já foram executados nestes primeiros 15 dias do ano.

Agora a pouco, um empresário foi morto ao sair de uma academia, onde praticava exercícios físicos, levou 7 tiros, sendo 6 na cabeça e morreu, em Ananindeua. Leia a postagem que trouxe em primeira mão, o último assassinato que tem deixado muita gente indignada nas redes sociais:



Esses casos nos mostram que ao contrário do que o governo do Estado diz,  a violência não diminuiu e o crime segue com força total no Pará. Qualquer número oficial, não passa de um recorte temporal, que o tempo se encarregará de desmentir. Infelizmente é essa a realidade que nos impõe, a falta de governantes com um olhar mais profissional sobre as políticas públicas. 

quinta-feira, janeiro 10, 2019

Exonerações de DASs tiram programas da TV Cultura do ar

Helder Barbalho foi obrigado a recuar e tornar sem efeito a exoneração de DASs da gestão tucana.


Por Diógenes Brandão

Após completar 30 anos em 2018, o programa Sem Censura Pará não foi ar pela primeira vez nesta quarta-feira, 9. Não por motivos técnicos, mas por faltas técnicos, que foram exonerados pelo governador Helder Barbalho, nesta última terça-feira, 8. 

O governador já havia usado suas redes sociais e os veículos de comunicação de sua família para justificar que precisava economizar 52 milhões de reais e por isso exonerou 2.500 DASs, entre eles, 90 DASs da FUNTELPA, que abriga juridicamente a rádio e a TV Cultura.

Com a exoneração dos DASs nomeados pela ex-presidente Adelaide Oliveira, que assumiu a casa depois de Ney Messias, seu amigo pessoal e penúltimo presidente, além do programa Sem Censura Pará, o Jornal da Cultura também não teve nenhum técnico para colocá-lo no ar. 

O problema de técnico, virou político e causou muitos constragimentos e discussões nos bastidores da FUNTELPA, empresa pública, mas de direito privado.

DASs NO LUGAR DE CONCURSADOS

No último concurso realizado pelo governo do Estado, em 2010, ainda na gestão da petista Regina Lima, foram ofertadas 83 vagas, sendo 21 para jornalista + cadastro reserva. 

Desde que assumiu a presidência da FUNTELPA, a jornalista Adelaide Oliveira (gestão 2011-2018) nunca realizou um concurso público, mesmo tendo ficado 8 anos no comando da casa. 

Adelaide assumiu a presidência e chamou uma pequena parcela dos concursados, deixando a maioria esperando até que a validade do concurso venceu e ela então passou a contratar DASs para cargos técnicos na FUNTELPA.

LAMBANÇA NAS EXONERAÇÕES

Após mandar exonerar 2.500 DASs, sem antes tomar pé da realidade da gestão de diversos órgãos públicos, o governador Helder Barbalho (MDB) foi obrigado a ordenar a publicação de um novo decreto, onde voltou atrás em sua decisão anterior e tornou sem efeito a exoneração de centenas de DASs. 

A medida foi uma forma de corrigir a lambança do governador, que tentou a estratégia-político-midiática de "mostrar serviço".

Na FUNTELPA, sua amiga pessoal e assessora de comunicação, Vera Oliveira, teve que convencer os DASs da gestão tucana que foram exonerados, para que se mantivessem trabalhando. 

Hoje, já com os DASs do governo anterior mantidos na TV Cultura, a Secretária de Cultura, Ursula Vidal foi escalada para falar dos novos ares em sua pasta, que abriga petistas, artistas e produtores culturais que antes criticavam a família Barbalho e hoje estão assessorando Helder Barbalho.

sexta-feira, janeiro 04, 2019

Palanque armado: A guerra de narrativas de Jatene e Helder

Simão Jatene reage às acusações de irregularidades nas obras de hospital visitado por Helder Barbalho, que prometeu investigar os contratos e rever o pagamento da OS responsável. 

Por Diógenes Brandão

A polêmica em torno das obras do Hospital Abelardo Santos, acabou revelando a disposição do ex-governador Simão Jatene (PSDB) em enfrentar a artilharia do atual governador Helder Barbalho (MDB) contra seu legado. 

Cientes de que tanto o ex-governador Simão Jatene, quanto o atual governador Helder Barbalho são responsáveis pelo que escrevem em suas redes sociais, estamos aqui para expor na íntegra as duas versões sobre este fato que tomou conta dos noticiários da grande imprensa.

Vamos por onde tudo começou.

Leia abaixo o post do governador sobre a visita que fez a alguns andares do hospital Abelardo Santos, nesta última quinta-feira (03).


Os veículos de comunicação da família do governador amanheceram com um intenso bombardeio ao ex-governador, usando para tal, as imagens e fotos de dois andares do hospital. Tanto as rádios, quanto o jornal, o portal e a TV RBA, foram usados para levantar suspeitas e fazer acusações, em reforço à narrativa apresentada pelo governador Helder Barbalho.

Leia a matéria e assista o vídeo que acusam haver irregularidades nas obras do hospital Abelardo Santos. 

Demostrando disposição a não deixar nada sem resposta, mesmo sem contar com a mesma estrutura comunicacional do seu adversário,  o ex-governador Simão Jatene se defendeu e contra-atacou, revelando que defenderá seu nome e de sua gestão. 

Leia abaixo o post de Simão Jatene: 



Para quem não lembra, ou não soube, o Diário do Pará já cometeu erros jornalísticos gravíssimos em sua missão de fazer política e tentar atacar os adversários dos Barbalhos. 

Aconteceu contra o ex-governador Hélio Gueiros, depois deste romper com o PMDB e com seu cacique, o senador Jader Barbalho, assim como com a ex-governadora Ana Júlia (PT), depois de ser eleita em 2006 com a ajuda do PMDB e logo em seguida (2010), retirada do poder, com uma campanha difamatória e extremamente desgastante, na qual o PMDB ressuscitou Simão Jatene e o abandonou dois anos depois, exatamente como havia feito com a ex-governadora.

Considerando um verdadeiro vexame pelo qual os jornalistas do Diário do Pará passaram, O blog AS FALAS DA PÓLIS registrou quando o Observatório da Imprensa noticiou a barrigada que rendeu ao jornal dos Barbalho o apelido de Diário de Onduras, por este ter usado fotos de bebês mortos em um hospital de Honduras e dizer que as fotos eram da Santa Casa de Misericórdia, em um claro sinal de desespero em tentar macular a gestão de Simão Jatene, quando este perdeu o apoio do PMDB, que passou a fazer-lhe uma oposição implacável, que dura até hoje.  

O erro foi corrigido pelo editorial do Diário, mas manchou a credibilidade do jornal pertencente à família mais poderosa do Estado.

Clique na imagem abaixo e relembre o caso:




UFPA cria jogo educativo mostrando o descaso ambiental em Belém, Ananindeua e Paragominas

Jogo se passa em cenários conhecidos dos estudantes paraenses. — Foto: Divulgação/ UFPA.

Via G1 Pará

Avenida Almirante Barroso, praia de Outeiro, Paragominas e outros lugares são cenário do game, que pode ser utilizado de forma didática com crianças.

Estudantes de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal do Pará (UFPA) com o auxílio de professores, criaram um jogo virtual que ensina às crianças processos de conscientização sobre os problemas ambientais do Pará. Batizado de “O Sábio - Uma aventura ecológica”, o game pode ser utilizado de forma didática nas salas de aula ou como lazer e está disponível na internet de forma gratuita.  
O objetivo é mostrar aos pequenos desastres naturais, profundas mudanças ambientais e o aquecimento global. O jogo, criado pelos alunos Beatriz Veras, Francisco Costa, Levi Pacheco, Ney Cristina Oliveira e Verena Ribeiro foca nos problemas ambientais que afetam a sociedade.  

“O grupo optou por enfocar situações que tiveram destaque em jornais locais, retratando situações de fácil reconhecimento pelos alunos, em seu cotidiano”, conta Beatriz.  

De acordo com a pedagoga Janise Viana, mestre em Gestão de Recursos Naturais, que ajudou na criação do game, por meio do jogo “os professores poderão estimular a discussão sobre temas como a contaminação das águas superficiais e subterrâneas por esgotos e lixo, a poluição do ar e o desmatamento da floresta Amazônica”.  

Game 

Na primeira fase é enfatizada a questão do lixo e de ratos nas feiras livres: “Nessa etapa o jogador deve evitar ser atingido pelo líquido escuro (chorume), altamente poluente, liberado pela decomposição da matéria orgânica presente no lixo acumulado nas imediações da feira”, detalha a professora Janise.  

A segunda parte do jogo mostra o cenário exuberante das praias da região e como são danificados pela poluição. De acordo com a docente, “aqueles que chegam nessa etapa só conseguirão se livrar da contaminação se pularem em um barco. A fase é inspirada na Praia do Amor, em Outeiro.  

A terceira fase é voltada para a poluição do ar, consequente da queima de combustíveis fósseis por automóveis. O cenário deste nível foi baseado na avenida Almirante Barroso.

quinta-feira, janeiro 03, 2019

Ananindeua completa 75 anos e Manoel Pioneiro 14 anos como prefeito. Nada a comemorar



Por Diógenes Brandão

Completando 75 anos, Ananindeua não tem nada a comemorar. 

Com apenas 0,75% do município contando com a cobertura de esgoto, apenas 20 mil pessoas são atendidas com o mínimo de saneamento. 


O prefeito Manoel Pioneiro (PSDB) culpa a COSANPA e a falta de dinheiro para oferecer qualidade de vida ao povo que o elegeu 4 vezes. Mesmo assim, em entrevista à TV Liberal, o prefeito prometeu quatro novas UPAS - sem nem ao menos saber se Jair Bolsonaro manterá essa política pública - creches e obras para amenizar o triste quadro em que a cidade se encontra: Umas das piores do país para se viver, segundo diversos institutos nacionais.


Depois de 14 anos no poder, o prefeito Manoel Pioneiro sabe que apenas 29% da população tem direito à água tratada, mas mandou montar um palco na Av. Arterial, na Cidade Nova, para oferecer shows e distribuir brindes para o povão, como manda a boa e velha política do pão e circo.

Amanhã saberemos quantas pessoas foram vítimas de assaltos e outros crimes. 

Infelizmente é assim e os anos passam e nada muda. Exemplo disso é que ano passado, este blog fez uma matéria muito mais ampla, mostrando a realidade nua e crua em que a população de Ananindeua passa, nas mãos de uma classe política cada vez mais rica e poderosa. 

De lá pra cá, a única coisa que temos de novo é um terminal rodoviário meia-boca, inaugurado sem estar terminado.

Os vereadores, que deveriam fiscalizar e cobrar do prefeito o bom uso do dinheiro público, disputam todas semanas, as cadeiras em sua luxuosa mesa de jantar, em um condomínio da BR 316, onde traçam planos para manterem-se no poder e e aproveitando do que é servido.