Pesquisar por palavra-chave

quarta-feira, dezembro 04, 2019

Prisão de brigadistas faz Helder Barbalho passar Bolsonaro no sonho do AI-5 próprio

Helder já havia ganhado quatro atos institucionais do pai, Jader Barbalho, quando completou 18 anos.

Por Diógenes Brandão

A postura vacilante do governador Helder Barbalho lhe rendeu mais uma matéria em revista de circulação nacional. Dessa vez foi a Piauí, do grupo Folha/UOL.

Com seu humor político, a publicação lembrou de como Helder se esforçar para superar Bolsonaro em sua investiga policialesca contra minorias, ONGs e movimentos sociais.

Leia a matéria AMAZÔNIA ILEGAL, da revista Piauí.

“Se eu conquistei isso é porque eu me-re-ci!”, afirmou Helder Barbalho, durante a cerimônia de entrega de atos institucionais na tarde dessa quarta-feira. O governador do Pará recebeu a honraria após a Polícia Civil do seu estado prender quatro brigadistas responsáveis por combater queimadas em Alter do Chão. O Ato Institucional nº 5 foi entregue a Barbalho num grande evento televisionado, que contou com a presença do famoso Caminhão do Olavão. “Ô loco, meu, a gente sabe que o Jair Bolsonaro é um grande fera, pai de família, que sempre batalhou por um ato institucional pra ter na sala de casa”, revelou o apresentador Olavão. “Mas antiguidade é posto. Tem que respeitar os Barbalhos, gente batalhadora, que mesmo não sendo do PSL, está botando pra quebrar aqui no Pará há mais de três décadas, meu!” Emocionado, Helder Barbalho contou que pretende enquadrar o AI-5 com uma moldura feita de pau brasil fresquinho, extraído de uma área de proteção ambiental. “Esse documento é uma vitória pra todos os grileiros – quer dizer, brasileiros – que passaram anos sendo reprimidos por ONGs que não nos permitiam prender brigadistas de incêndio só por causa de um detalhe irrisório como falta de provas”, declarou Barbalho, que aproveitou pra dedicar o prêmio ao juiz que determinou a prisão preventiva dos brigadistas e depois negou a liberdade deles na audiência de custódia. “É um verdadeiro herói do meio ambiente, como o Ricardo Salles.”

Sem o PT, partidos de oposição a Bolsonaro criam Frente Centro-esquerda

A reunião com dirigentes do PSB, PDT, Rede e PV deu um passo decisivo para construir uma frente de partidos de oposição a Bolsonaro e uma agenda positiva e progressista ao país.

Por Diógenes Brandão.

Acaba de ser realizada uma reunião que pode entrar para a história da centro-esquerda brasileira.

Reunidos na noite desta terça-feira, 4, em Brasília, dirigentes do PSB, PDT, Rede e PV acertaram os primeiro passos para construir uma frente de partidos, com uma pauta em comum: Atuarem coletivamente para encontrar saídas em favor do Brasil.

Um paraense esteve presente na reunião. Trata-se de Zé Carlos Lima, ou Zé Carlos do PV.

Além dele, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da oposição no senado, Carlos Lupi, presidente Nacional do PDT, Carlos Siqueira, presidente nacional do PSB, Alessandro Molon (PSB-RJ), líder da oposição na Câmara dos Deputados, além de Pedro Ivo, Porta-voz da REDE Sustentabilidade, André, Penna entre outras lideranças destes partidos.

A ideia não é nova, mas tem ganhado mais consistência com a oposição programática ao governo Bolsonaro.

Amanhã o blog informa se a frente dialogará ou se manterá um certo distanciamento do PT e partidos mais a esquerda, como o PSOL e PCdoB, mas já adianta que essa possibilidade é muito remota.