Pesquisar por palavra-chave

domingo, dezembro 08, 2019

Quem lucrou com o polêmico "puxadinho" da Casa das Onze Janelas

A Casa das Onze Janelas teve seu restaurante privatizado, em contrato de concessão. A empresa que explora o lucro ganhou a obra realizada com dinheiro público para atender mais clientes e quem paga é o povo do Pará, que pouco frequenta o lugar?

Por Diógenes Brandão

A instalação de uma estrutura de ferro e vidro levantou o debate sobre a desconfiguração de obras tombadas como patrimônio cultural. Se melhorou ou não, o tempo nos dirá, mas o que precisa ser explicado agora é quem fez, quanto custou, quem são os beneficiados, pois a obra envolve o uso de espaço e recursos públicos para benefício de uma empresa que goza da exploração comercial do prédio da Casa das 11 Janelas.

Em meio a toda essa polêmica quanto ao “puxadinho” da Casa das Onze Janelas, me vem algumas dúvidas, ainda não reveladas por quem de direito. 

Afinal, perguntar não ofende:

Quem é o responsável por essa Obra? A Secult/Governo do Estado? Ou a “Casa do Saulo”, restaurante que vai explorar comercialmente o espaço e, por isso mesmo, o mais beneficiado com a colocação de mesas e cadeiras no corredor e na parte dos fundos que dá pra Baía do Guajará, justamente os espaços que serão cobertos pela estrutura que está sendo montada? 

Qual o valor dessa obra? 

De quem é o projeto com essa estrutura pesada de ferro e vidro?

Qual foi a empresa contratada pra fazer essa obra no espaço público? 

Por que não tem nenhuma placa com as informações de custo e prazo de conclusão, como é de praxe e obrigatório por lei em qualquer obra pública? 

Afinal, essa é a primeira obra do governo Helder Barbalho, pra chamar de sua. E seria prudente que o respeitado público, que paga impostos, fosse informado pra onde está indo o seu suado dinheirinho.




Jader Barbalho Filho quase é vaiado em evento do PT

Jaderzinho quase é vaiado em evento do PT. O motivo seria de promessa não cumprida pelo irmão, o governador Helder Barbalho, de pagar o Piso Nacional da Educação.


Por Diógenes Brandão

Jader Filho, presidente estadual do MDB, os deputados estaduais Miro Sanova (PDT) e Marinor Brito (PSOL), além do dep. federal Edmilson Rodrigues (PSOL) foram as únicas figuras públicas que estiveram na, segundo informado por petistas, esvaziada posse do deputado federal Beto Faro, como presidente estadual do PT, na noite deste sábado, 7, em um hotel de Ananindeua. 



AMEAÇA DE VAIA 

A rápida passagem de Jader Filho causou revolta em um grupo de professores petistas que ameaçaram vaiar o presidente do MDB, irmão e sócio do governador Helder Barbalho, caso ele entrasse ou fizesse um discurso no evento.

Inconformados pelo não pagamento do Piso Nacional da Educação, 'Jaderzinho' foi Informado da rejeição dos militantes e após cumprimentar Beto Faro na parte externa do hotel, saiu do local pela "porta dos fundos".

CONSTRANGIMENTO

Outro que também causou um grande mal estar entre os presentes foi o Secretário do Sistema Penal do estado, Jarbas Vasconcelos, que ficou conhecido por no passado, ter sido defensor dos Direitos Humanos e assim que assumiu um cargo político, foi responsável pela Chacina de Altamira, a maior já ocorrida no Pará e a segunda maior do Brasil. 



SEM PRESTÍGIO 

Além da posse mais esvaziada na história do PT, segundo militantes históricos nos informaram, o novo presidente do partido no Pará, Beto Faro, não teve a presença de nenhum dirigente nacional do PT, sem falar que um dos três deputados estaduais, Dirceu Ten Caten, também não prestigiou o evento. 

Além de Dirceu, o PT tem dois deputados estaduais: Carlos Bordalo e Dilvanda Faro, esposa de Beto Faro. Ela e Bordalo são do grupo interno de Beto e, claro, não poderiam faltar.