Pesquisar por palavra-chave

quinta-feira, outubro 13, 2016

DOXA: Eleições 2016 tiveram a maior taxa de renovação nos municípios paraenses

Por Dornélio Silva

Um estudo realizado pela DOXA Pesquisas, revela que as eleições municipais em Belém do Pará, vem com algumas peculiaridades que nos chamaram a atenção e que valem a pena serem socializadas com os leitores do blog AS FALAS DA PÓLIS.

A primeira questão destacada no cruzamento de dados das últimas cinco (05) eleições é de que a eleição de 2016, no Pará, trouxe o maior índice de alternância no poder. A taxa de renovação ultrapassou 69%. 

Desde a instituição da reeleição no Brasil (sendo primeira reeleição para prefeito foi em 2000), a alternância de grupos políticos no poder é bem maior do que o continuísmo.

Do ano 2000 até 2012, a diferença vinha sendo equilibrada. No entanto, as eleições de 2016 mostraram que a insatisfação dos eleitores para com os governantes, foi muito maior. 

Dos 109 prefeitos que tentaram defender seu mandato, isto é, disputaram a reeleição, 69,0% foram derrotados nas urnas, enquanto que apenas 31,0% conseguiram se reeleger.


Pior ainda para os 34 prefeitos que já tinham sido reeleitos e que nestas eleições (2016) indicaram seus sucessores. 

Destes, 71,0% não conseguiram fazer seus sucessores e apenas 29,0% conseguiram essa proeza. 

Esse índice só perde para o pleito de 2008, em que 80,0% dos prefeitos ocupantes do cargo não fizeram seus sucessores. 

Nas eleições de 2012, o índice de prefeitos que conseguiram fazer seus sucessores foi o maior de todos, 39,0%.


No decorrer deste segundo turno iremos fazer novas comparações com os resultados eleitorais e das pesquisas que realizamos durante as eleições.