Pesquisar por palavra-chave

sexta-feira, janeiro 10, 2020

Helder nega, mas é investigado por pedir e receber doações legais e ilegais em 2014

Helder Barbalho (MDB) e Paulo Rocha (PT), foram candidatos a governador e senador, respectivamente, nas eleições de 2014,  quando estiveram juntos com João Salame, ex-prefeito de Marabá e o ex-senador Luiz Otávio Campos (MDB), em SP, para pedir 30 milhões de reais, via doação ilegal, afirmaram os delatores da Odebrecht, no âmbito das investigações de uma das etapas da operação Lava Jato. 

Por Zé Carlos Lima

A noticia e as explicações do governador Helder Barbalho postada no Twitter ontem. 



Destaco duas frases centrais da nota do Governador: "afirmo que não sou alvo da ação" e "as doações oriundas da empresa Odebrecht foram integralmente declaradas ao TRE".

Realmente o Governador não foi alvo da ação, pois a Juíza não aceitou o pedido de busca e apreensão em sua residência, mas o Governador está no processo e é um dos investigados.

As doações, segundo o delator, foram feitas de duas formas, as legais, estas prestadas contas ao TRE e uma doação de R$ 1,5 milhão através de caixa dois, pois é justamente isso que o processo investiga.

Devemos aguardar o fim das investigações para ter um conclusão sobre o caso. 

Enquanto isso, o Pará sofrerá graves prejuízos, uma vez que as empresas sérias e com compliance evitarão, com certeza, negociar com o nosso Estado.

Veja a reportagem da Tv Liberal, com o vídeo em que executivos da Odebrecht confirmam as denúncias de recebimento de dinheiro via Caixa 2, o que confirma o crime eleitoral na campanha de 2014.