Pesquisar por palavra-chave

segunda-feira, novembro 07, 2011

Calado por 40 dias, Jatene ofende educadores e a greve continua


"...O que quero conversar com vocês hoje, pode até paracer fora de tempo...

...Qual é o meu interesse, em sendo possível pagar um salário melhor, não fazê-lo?

Porque que eu faria isso?

Ora, me perdoem mas eu creio que só a falta de informação, a ignorância ou o que é pior, a má fé pode fazer alguém crêr diferente disso..."

Governador Simão Jatene falando de forma jocosa sobre a greve dos servidores públicos da educação do Estado e tentando ironicamente isentar-se da culpa de não querer pagar o Piso Nacional determinando pela Justiça Brasileira e a imprensa local ainda acusa os trabalhadores da educação de estarem enfrentando a decisão da justiça paraense que determinou a volta imediata dos professores para as salas de aula, o que não aconteceu e a greve continua no Pará.

'Não há motivo para acatar a decisão judicial porque ela ainda não foi publicada no Diário Oficial. Enquanto isso não acontecer, não há porque a categoria voltar ao trabalho', disse o Advogado do SINTEPP, hoje pela manhã quando estava reunido com cerca de 500 educadores no Centro Social de Nazaré, na Assembléia Geral convocada pela direção do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado do Pará.

Fotos: Bruno Magno (Portal ORM)

A Assembléia do Sintepp decretou a continuidade da greve por tempo indeterminado e o comando prepara novas estratégias para pressionar o governo tucano à pagar o piso e implantar o PCCR, deixado pelo governo anterior para ser executudado pelo governador eleito, que não fez durante estes 11 meses de governo e ganhou de presente o prazo para fazê-lo até Janeiro de 2014 e o pagamento do piso em 12 vezes, o que é rechaçado pela categoria.

Clique aqui ou no link acima para escutar a fala de Jatene que depois de mais de 40 dias da greve dos educadores do Pará, não diz nada com nada, nem tão pouco sinaliza disposição para atender e cumprir o que a Justiça Brasileira determinou. 

Eis aí o Pacto pelo Pará em ação!

Enquanto isso, salários de professores foram descontados e estudantes da rede pública interessados em prestar o vestibular no final do ano, cada dia que passa ficam mais distantes deste possibilidade e a culpa é de quem?