Pesquisar por palavra-chave

quinta-feira, maio 03, 2012

Jordy, o aborto e o prisma da blogosfera e redes sociais


Não ia comentar. 

O fato me indignou e me fez lembrar de vários discursos coroado pelo moralismo que igualmente é expelido por bocas geralmente lavadas com caros enxaguantes. 

Lembrei também do tempo que a oposição era governo e o governo era oposição. 

Mas uma coerência alienígena me silênciou por quase 24 horas, desde o momento que vi pela primeira vez, o vídeo da gravação onde o deputado federal Arnaldo Jordy induz uma jovem amante à abortar um suposto filho seu. 


O tema me assustou pelas proporções que poderiam acarretar para a saúde política do deputado e pelo risco de vida da jovem, bem como de seu filho/a, afinal a pressão psicológica numa gestação pode trazer danos ao desenvolvimento da criança e/ou criar problemas durante o parto.


Não posso deixar de dizer que temi por minha vida. Nasci dentro da doutrina espírita e mesmo tendo contato com o materialismo dialético, o marxismo e outros ismo, confesso que não sou completamente cético e tenho medo mandingas, feitiçaria e outras maldades lançadas contra pessoas que desagradam outras pessoas neste planeta que conhecemos como Terra. 

Uma outra opnião me incomodava e mesegurou para não fazer o blog bombar de acessos desde ontem: A particularidade da questão e seu mau uso por conta do processo político-eleitoral que se avisinha: Não queria que a divulgação do vídeo, denotasse um revanchismo piegas e sem pudor e isso também pesou no meu silêncio.


No entanto, ao ler o blog do amigo que vi formando-se economista pela UFPA e blogueiro na militância política, Vicente Cidade, com sua retórica contundente, que linkado à forma sagaz e inteligente do blogueiro e professor Luis Cavalcante, unindo-se à foto publicada no blog do Jeso, fui convencido de que não poderia deixar de perguntar aos leitores deste blog Quem é Jordy afinal? 

Com esse epsódio, confirma-se novamente que a blogosfera e as redes sociais mostram que independente do querer dos ditos "formadores de opinião" dos veículos de comunicação de massa e dos grandes grupos no comando da máquina estatal, a liberdade de expressão é ampla e incontrolável.
  
Clique aqui e veja o vídeo que provavelmente detonou a candidatura do pretenso candidato à prefeitura de Belém, hoje Deputado Federal e vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal que em sua página na internet nem nega, tão pouco afirma uma só palavra sobre o epsódio que ao certo tirou-lhe o sono, ontem, hoje e quem sabe, por muitas e longas noites.