Pesquisar por palavra-chave

quarta-feira, agosto 28, 2013

Marcha pela Reforma Urbana cobra audiência com Governador do Pará

A Marcha pela Reforma Urbana chegou meio-dia no Palácio do Governo do Pará onde uma comissão foi recebida pelo chefe da Casa Civil que recebeu um documento com reivindicações.

Por Aldebaran Moura*
 

Neste dia 28 de agosto os movimentos de luta e defesa da Reforma Urbana tomaram as ruas do Brasil para se manifestar e cobrar a realização de mudanças!

Nossas cidades não podem continuar atendendo somente ao interesse de poucos. Temos direito a cidades com moradia digna, transporte público de qualidade, trabalho decente, educação, saúde e cultura.

Em Belém do Pará a MARCHA PELA REFORMA URBANA aconteceu com a realização de um ato de rua, que reuniu cerca de 200 pessoas na Rodovia Augusto Montenegro, com concentração na entrada do Conjunto Satélite e caminhada rumo ao Palácio dos Despachos para a entrega da plataforma de reivindicações ao Governador Simão Jatene.

Uma comissão de 07 pessoas foi recebida pelo subchefe da Casa Civil para apresentação do documento e cobrança da audiência com o Governador, destacando entre as propostas da plataforma 5 pontos considerados URGENTES e que precisam de respostas imediatas:

1. Eleição e Posse do Conselho Estadual das Cidades e do Fundo Estadual de Habitação de Interesse Social com respectivo Conselho Gestor;

2. Implementação da Política Estadual de Habitação de Interesse Social;

3. Adesão do Pará ao Programa Federal Mais Médicos;

4. Constituição e funcionamento imediato de uma Comissão Estadual de Prevenção a Despejos Forçados de acordo com orientações do Ministério das Cidades, com a suspensão imediata de todas as remoções;

5. Conclusão de todas as obras paradas relativas ao PMCMV e PAC.

O Governo assumiu compromisso de realizar audiência com o movimento de Reforma Urbana até o dia 10 de setembro, antes da Conferencia Estadual das Cidades, com a equipe de secretários estaduais para formar grupos de trabalhos e construir soluções concretas ás reivindicações do movimento. 

Aldebaran Moura* é educadora da FASE Amazônia.