segunda-feira, novembro 18, 2013

Desabafo petista: É preciso radicalizar a democracia brasileira



Não adianta reclamar no Facebook e no Twitter e achar que estamos lutando, resistindo e enfrentando o poder midiático, dos escravocratas em suas fazendas e empresas, com seus representantes nos fóruns de justiça e gabinetes institucionais Brasil à fora. 

Os partidos de esquerda, os movimentos sociais e todos aqueles que sentem-se injustiçados, precisam ir às ruas, organizar a classe trabalhadora e exigir a radicalização da democracia no Brasil, tendo como princípios o cumprimento da lei, a cobrança por avanços constitucionais, através da regulamentação de vários de seus artigos e com a implementação das propostas debatidas nas diversas Conferências Nacionais e engavetadas pelo governo Dilma, como aconteceu com as de Comunicação e Direitos Humanos, só pra citar alguns exemplos.

Enquanto os que sempre foram adversários do povo não forem enfrentados de forma contundente, o Brasil continuará sendo um dos países mais injustos com os mais pobres, os negros e demais minorias e um dos mais benéficos com os ricos e poderosos, que fazem o que bem entendem e ditam de forma autoritária o sistema financeiro, político, jurídico e a chama opinião pública.

Quanto ao governo Dilma, este precisa sinalizar um distanciamento gradual dos setores conservadores que aliou-se nestes 10 anos de gestão petista. Não dá mais pra deixar com que partidos fisiologistas usem esta conquista para continuarem operando contra  o povo e os setores progressistas.

Se nada for feito, continuaremos vencendo eleições e perdendo nossa liberdade e dignidade.

Diógenes Brandão, militante da UNMP/CMP e ativista digital filiado ao Partido dos Trabalhadores em Belém do Pará.