Pesquisar por palavra-chave

segunda-feira, setembro 18, 2017

Flagrante: Van do IFPA é usada em encontro do PT-PA

Van com adesivo do Governo Federal, que deveria ser de uso exclusivo do Poder Executivo foi flagrada transportando petistas para participarem de um encontro de mulheres, na tarde deste domingo (17).
Por Diógenes Brandão

Com o tema "+política, +poder=Sociedade mais justa!", o Encontro da Secretaria de Mulheres do PT-PA tornou-se acirrado, a ponto de provocar uma busca frenética das forças internas petistas para abocanhar a titularidade da pasta. Fraudando o processo eleitoral, ocorreu o que podemos chamar de falta de ética e de igualdade de condições, onde o abuso do poder econômico e de aparato estatal pela tendência interna controlada pelo senador Paulo Rocha, a levou a ser vencedora e elegeu sua candidata.

Mais uma vez, o diretório estadual do PT-PA se vê exposto diante de uma denúncia de fraude em seu processo de eleição interna. Dessa vez, o fato se deu na disputa para a sucessão da Secretaria de Mulheres, a qual aconteceu neste último domingo (17), no Sindicato dos Bancários do Pará, onde disputaram duas candidatas: Ray Cascaes, militante da Democracia Socialista de Barcarena e Elisângela Pinto, da Unidade na Luta, de Bragança. Elisângela venceu com uma diferença de 35 votos, de um total de 198 votantes e mais de 20 mil filiadas aptas a votar.

A baixa participação é um reflexo da má gestão que se repete no PT paraense, que vem de sucessivas derrotas eleitorais e tropeços em suas estratégias de campanha, o que soma-se ao bombardeio midiático e praticamente enterra o partido no Pará, tornando-o o que mais perdeu prefeitos no Estado e na capital, que acumula o total de 3% e 5% dos votos válidos nas duas últimas eleições para a prefeitura, onde o partido disputou com Alfredo Costa e Regina Barata, respectivamente.

Como se isso não fosse suficiente para uma mudança radical nos quadros e na postura dos seus dirigentes, a chapa da candidata eleita foi flagrada realizando o transporte de eleitores para a eleição da nova secretária de mulheres do PT-PA. Com a placa de Bragança, cidade da candidata eleita, a van do IFPA - Instituto Federal do Pará - foi fotografada em frente ao sindicato onde ocorria o encontro e a eleição petista.

Para a maioria dos filiados que o blog ouviu, os interesses que se escondem por de trás de uma eleição interna como essa, vão muito além da vaga no diretório. Só para se ter ideia do que representa eleger uma secretária de mulheres no PT paraense, tomamos alguns elementos para análise. 

O Estatuto garante que a titular da pasta tem direito a voz e participa das reuniões da Executiva Estadual do partido, o que garante maior poder de decisão dos grupos internos, sobre estratégias eleitorais e definições como a de abertura ou engavetamento de processos, que porventura cheguem para serem apurados pela comissão de ética. Além disso, a secretaria de mulheres é a única que tem verba partidária garantida por lei e por isso conta com 5% do Fundo Partidário do Diretório Estadual. 

Acontece que no final do evento, uma van do IFPA - Instituto Federal do Pará - com placa de Bragança, foi flagrada em frente ao sindicato onde acontecia o evento, transportando eleitores para a votação que acabara de acontecer.

Segunda uma fonte do blog, em uma foto da van, a mãe da candidata aparece olhando para a pessoa que a fotografou e na outra, a filha da candidata eleita aparece subindo no veículo.

Mãe da candidata eleita como Secretária de Mulheres do PT, dentro da Van do IFPA, logo após o encontro.
Em consulta ao site do Detran, o blog identificou que a van é registrada em Bragança, município da candidata eleita.

Filha da candidata eleita como Secretária de Mulheres do PT-PA, subindo na Van do IFPA, logo após o encontro.


Pelas redes sociais, o senador Paulo Rocha (PT-PA) comemorou e parabenizou sua candidata, eleita com o uso de veículo de um órgão federal.



Consultado pelo blog, o reitor do IFPA, Cláudio Alex informou que está tomando providência e já determinou um procedimento interno para averiguar os responsáveis pelo uso de um veículo da instituição federal a serviço de um grupo do Partido dos Trabalhadores.

O blog também tentou conversar com o presidente do partido no Pará, João Batista e com a secretária de finanças, Cláudia Lima e até com a candidata eleita, com o pedido de esclarecimentos, mas nenhum deles respondeu, até o fechamento desta matéria.

Leia também: