Pesquisar por palavra-chave

terça-feira, julho 29, 2008

As Falas de Charles

DEFINITIVAMENTE, O governo de Ana Júlia não é uma tese, um experimento; Não é um clube de ciência; Não é meio para enriquecer uns e conferir prestígio a outros; O governo de Ana Júlia veio para mudar e só faz sentido se puder operar essas mudanças. MAIS E MENOS Mais governo e menos intriga! Mais governo e menos fofoca! Mais governo e menos fantasmas! Enquanto há tempo... Postagem reproduzida do blog de Charles Alcantâra, ex-chefe da casa cilvil do governo Ana Júlia que por mais de um ano ditou as regras, agora, define o cenário que situa-se a gestão da qual um dia fez parte.

domingo, julho 27, 2008

Pesquisa Vox Popoli

Sobre a intensão de voto do povo de Belém, perguntou-se: Se as eleições municipais fossem hoje, em quem você votaria para prefeito de Belém? O Resultado foi: Duciomar Costa (PTB) - 28% Valéria Pires Franco (DEM)- 22% Priante (PMDB) - 11% Mário Cardoso (PT) - 8% Arnaldo Jordy (PPS) - 7% Marinor Brito (PSOL) - 2% João Moraes (PSL) - 1% Já sobre o cenário do segundo turno: Duciomar 37% x 37% Valéria Duciomar 40% x 32% Priante Duciomar 40% x 31% Jordy Duciomar 43% x 26% Mário Cardoso Agora avaliem a rejeição: Duciomar – 28% Mário Cardos – 16% João Moraes – 8% Valéria – 7% Priante – 6% Marinor – 6% Jordy – 5%

quarta-feira, julho 23, 2008

Cade a Leila?

Fig 01
Fig 02

A chamada arte final para o material visual da Campanha de Mário Cardoso, assinado na integra, pela Agência de Publicidade & Marketing Vanguarda, retrata a falta de atenção da valorosa agência, que pelo que se vê não tem disponibilizado a merecida dedicação e atenção ao cliente, o qual precisa sair dos pontos percentuais em que se encontra pelas pesquisas e que conta com a força da comunicação visual para isso.

Note que o nome (fig. 01) - com fontes pretas - de Leila Márcia (PC do B), a vice na chapa de Mário Cardoso, some quando é projetada no fundo da mesma cor. (Fig.02) A impressão é que a demanda tá deixando a equipe do companheiro Chiquinho ocupada demais para priorizar a reconquista de Belém para o comando do partidos dos trabalhadores onde o publicitário já foi militante.

Como se não bastasse, ainda tem o fato de que o material acima além de sofrer críticas de diversos publicitários, só foi repassado para os candidatos à vereadores da Frente Belém Popular (PT, PC do B, PSB, PMN, PTN e PNS) na sexta-feira, 18 de Julho, ou seja: Exatos 13 dias depois do start da campanha eleitoral.

sexta-feira, julho 18, 2008

Moral

"Moralmente, esse cidadão tem de continuar no caso até terminar esse relatório e entregar ao Ministério Público".
Presidente Lula, defendendo a ação do Delegado que colocou um ladrão de colarinho branco para trás das grades, mas que foi libertado pelo ministro do Suipremo Tribunal Justiça, Gilmar Mendes.

Encaixe


A imagem acima é pura propaganda comercial premiada, mas que aqui serve para ilustrar que Duciomar com sua campanha irregular, vai empurrando devagar e sempre. E olha que a multa de 50 e poucos paus nunca foi, nem será motivo de intimidação para quem já teve 3 CPF e clinicava outrora criminosamente como oftamologista e até hoje está impune.


sábado, julho 12, 2008

Pós-Politização

Curso de pós-graduação em Democracia Participativa Com o intuito de contribuir para o fortalecimento da participação social no governo federal, a Secretaria-Geral da Presidência da República em parceria com a Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) está promovendo o Programa de Formação para Conselheiros Nacionais de Políticas Públicas.O objetivo do Programa é contribuir para a formação qualificada de conselheiros nacionais de políticas públicas, gestores do governo federal e representantes de organizações da sociedade civil, para criar um espaço de reflexão e troca de experiências relacionadas à participação social e à democratização da gestão do Estado. O Programa é composto, entre outras atividades, pelo curso de pós-graduação em Democracia Participativa, República e Movimentos Sociais, nas modalidades especialização e aperfeiçoamento, além de 23 cursos de curta duração. Todos os cursos são oferecidos pela UFMG coma tecnologia de Educação à Distância possibilitando aos participantes o desenvolvimento de uma visão crítica e global da sociedade, associado ao aprimoramento de competências básicas e de gestão específicas para a gestão democrática do Estado. O Programa foi lançado nessa terça-feira . Mais informações poderão ser obtidas pelo fone 61-3411-1273 ou pelo e-mail: joaquim.oliveira@planalto.gov.br

sexta-feira, julho 11, 2008

Na Contra-mão de Tudo

"Estamos tornando legais aqueles que se apropriam, que grilam terras. Amanhã uma nova lei poderá surgir e ampliar a área. Estamos indo na contramão de tudo que vem sendo feito no plano de combate ao desmatamento". Marina Silva, Senado PT-AC, discussando no Senado sobre a aprovação da Medida Provisória 422, que, na visão dos ambientalistas, pode aumentar a área desmatada na Amazônia. Os favoráveis ao texto afirmam que a MP apenas regulariza uma situação já existente.

O projeto amplia de 500 para até 1,5 mil hectares a área que pode ser concedida pela União na Amazônia Legal sem licitação. Até 20% desta área pode ser desmatada. Como sofreu alterações no Congresso, a medida volta para a sanção presidencial.

O texto provocou discussões acaloradas no plenário. A ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva (PT-AC), tentou alterar a Medida Provisória por meio de uma emenda excluindo as áreas de florestas públicas da possibilidade de ampliação da concessão. O relator e líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), recusou a proposta.

Marina chegou a afirmar que o único objetivo da MP era legalizar a grilagem na Amazônia. "Estamos tornando legais aqueles que se apropriam, que grilam terras. Amanhã uma nova lei poderá surgir e ampliar a área. Estamos indo na contramão de tudo que vem sendo feito no plano de combate ao desmatamento".

quinta-feira, julho 10, 2008

A Morte Nossa de Todos os Dias

Senador Nery diante da tribuna do Senado Senhor Presidente, Senhores Senadores, Senhoras Senadoras, 

Na semana passada relatei o caos da saúde na capital de todos os paraenses e apresentei meu juízo de valor sobre a desastrosa administração do prefeito Duciomar Costa. Esta semana voltei a esta tribuna, de maneira muito indignada, para protestar contra a resposta do governo estadual diante de dezenas de crianças recém-nascidas que morreram na Santa Casa de Misericórdia. Hoje os jornais paraenses confirmam minhas denúncias em relação ao Pronto Socorro Municipal de Belém. Matéria publicada no Jornal Diário do Pará, intitulada "Falta alimento a pacientes no PSM" denuncia a falta de alimentos para os pacientes ali internados, obrigando os funcionários e retirarem dos seus próprios salários os recursos necessários para comprar até leite em pó. Além disso, o desprezo do atual prefeito com a saúde obriga os parentes dos pacientes a garantirem a alimentação de pacientes, conduta totalmente inadequada e perigosa. Quero falar também novamente da Santa Casa, administrada pelo Governo do Estado. Quero que conste nos anais desta Casa o comovente artigo da jornalista e fotógrafa paraense Paula Sampaio, que acompanhou o enterro dos doze recém-nascidos mortos na UTI Neonatal no Cemitério do Tapanã. É um relato que deixa claro que o desrespeito à vida humana é, infelizmente, uma rotina encenada pelas autoridades estaduais e municipais. Esta Casa aprovou a ida de uma Comissão na semana que vem. Estarei lá. Porém, mais do que comissões, precisamos de providências que tornem a saúde pública digna do povo brasileiro. É dever do governo federal, do governo estadual e das prefeituras paraenses, especialmente a da capital, adotarem urgentes providências para que este quadro não continue.

Depois disso, o senador então leu o artigo abaixo.

Naquela terça-feira, 24 de junho, no cemitério do Tapanã [foto acima, da própria autora], periferia de Belém, algumas famílias esperavam desde cedo por seus mortos - recém-nascidos que haviam falecido na Santa Casa de Misericórdia do Estado, no final de semana. Nove, treze? Afinal, quantos foram ao todo? A notícia "vazou" para a Imprensa na noite da segunda-feira. O “Jornal da Globo” deu manchete... Aí, pronto, estava feito o escândalo. Indagada sobre aquele alto índice de mortalidade na única UTI neonatal pública do Estado, a secretária de Saúde, Laura Rosseti, disse em entrevista à TV: "Essa taxa de mortalidade é normal, está dentro das estatísticas aceitáveis." Enquanto isso, no cemitério, naquela manhã, o movimento era intenso: cinco enterros em menos de uma hora. Cerimônias rápidas e com pouco choro. Aos poucos, a Imprensa foi chegando, curiosos vinham perguntar o que estava acontecendo. Todos esperavam pela chegada dos corpos dos bebês. Mas o carro com as crianças não chegava. Quase 11h da manhã, e as famílias começavam a se impacientar. Um dos porteiros do cemitério comentou ser costume a Santa Casa oferecer o transporte, a cova no "cemitério dos pobres", como é conhecido o do Tapanã, além da "embalagem" para os mortos das famílias carentes. Num dos bancos de cimento do lugar, um jovem chorava copiosamente e enxugava as lágrimas numa fralda, cercado pela família. Perdeu seu primeiro filho. Sua companheira deu à luz na Santa Casa: o parto foi feito por uma tia que a acompanhava, porque nenhum médico apareceu para prestar-lhe o socorro na hora. A criança não resistiu. O pequeno Nicolau, ia ser esse o nome dele, morreu. Do outro lado do grande salão aberto onde os caixões são recepcionados, mais uma família. O pai de outro dos bebês mortos pergunta para a repórter: "Será que ainda vai demorar? Sabe, eu tô aqui desde cedo. Tenho plantão no serviço, preciso trabalhar, não posso ficar aqui o dia todo." Sabe-se, pouco depois, que o carro disponibilizado pela instituição para levar os corpos havia quebrado no caminho. Mais espera, mais dor, desrespeito, exaustão. Quase ao meio-dia, sol escaldante chega a Kombi branca e enferrujada, com os bebês amontoados em caixas de madeira. Silêncio. O carro estaciona na entrada do salão dos mortos. Dois funcionários descem e abrem as portas. As pequenas caixas e três "caixõezinhos de anjo" são retirados rapidamente e dispostos, lado a lado, em um canto do salão. Na tampa de cada um deles, a identificação: um número e o nome da mãe. E as crianças não têm nome? Não, só Nicolau, o filho daquele jovem que chorava muito, desde o início. As famílias se aproximam lentamente. Um funcionário grita: "Essa caixa, não! Tira isso daí, é só uma perna!" Perna? Sim, um pedaço de perna encaixotado para descarte. Na tampa da caixa está escrito: "PERNA", assim, em letras graúdas. Será que o hospital aproveita a ida ao cemitério para se livrar de pedaços humanos que não podem ser levados para o lixo hospitalar? Um dos parentes dos bebês retira da sacola um martelo e começa a abrir uma das caixas, com a perícia de quem já fez isso muitas vezes. Surge um embrulho. Sim, um pacote branco, que vai sendo aberto lentamente pelo homem do martelo. Um rostinho aparece, como uma flor, emoldurado pelo papel branco com o qual fora embalado. O homem olha, respira fundo... Logo outras pessoas lhe pedem o martelo emprestado e, aos poucos, as caixinhas começam a ser abertas, uma a uma. Um jardim de pequeninos rostos inertes povoa o grande salão dos mortos. Todos, como em uma orquestra, começam a enfeitar seus filhos com flores azuis, algumas brancas, tudo igual. Um burburinho toma conta do lugar. Outro pai abre uma caixa maior e deixa à mostra dois bebês siameses nus. Curiosos se aproximam. Um dos funcionários do cemitério tenta afastar as pessoas, mas o pai das crianças esbraveja: "Nada disso! Deixa eles verem, são meus filhos, meus! Eu faço o que quiser com eles. Pode olhar, gente, pode olhar. Vocês, da Imprensa, podem gravar, podem gravar". Enquanto isso, ele mesmo toma uma certa distância dos corpos e fotografa os filhos com seu celular. Em seguida, todas as caixas são reunidas em um carro de mão. Um funcionário grita: "Vamos, gente, vamos. Todo mundo já achou o seu? Então, vamos logo, temos que enterrar". E toma a frente, empurrando o carro com as caixas de bebês empilhadas. O cortejo segue pela alameda principal do cemitério. Depois de uns 15 minutos andando sob o sol escaldante, chega-se ao local onde as covas rasas já estão abertas. Uma grande fileira de buracos. Apressados, os coveiros vão retirando as caixas do carro de mão e colocando-as nos buracos, em seqüência: número 1, 2, 3... Epa! Alguém alerta: "Calma, calma, esse não é o 4 é o 5, é o meu filho!" O pai de Nicolau, meio afastado de tudo, olha perdido para a fileira de covas, não pode esquecer o rosto do filho morto, a quem viu, pela primeira vez, minutos atrás. O homem do martelo se aproxima devagar, coloca-se ao lado dele, num gesto mudo de solidariedade. Ficam em silêncio. Uma nuvem imensa faz sombra no Tapanã, alívio para o calor infernal. Um cidadão sai falando alto: "Aquela Santa Casa? Aquilo, sim, é um cemitério, um inferno, um cemitério, gente!". E vai embora. As famílias começam a se dispersar lentamente. No descampado do "cemitério dos pobres" ficam as novas cruzes, algumas flores de plástico e um sentimento estranho, fruto dessa precária condição humana. No dia 28, sábado, a Santa Casa de Misericórdia do Pará admite a morte de mais oito bebês. Foram 20 em sete dias? É isso mesmo? Reconhece também as péssimas condições de atendimento e o déficit de quase 70 médicos. A clientela do hospital é formada pelos "excluídos socialmente". Gente pobre, meninas que engravidam e não têm nenhum acompanhamento médico, mulheres com saúde frágil em função das limitadas condições de vida: miséria gerando mais miséria e morte. No jornal O LIBERAL de 29 de junho, domingo, há um histórico da Santa Casa, criada em 1650, onde glória e decadência se alternam. Lá nasceram personalidades da História do Pará: Almir Gabriel, ex-governador do Estado, a cantora Fafá de Belém... Parece que a própria Laura Rossetti, atual Secretária de Saúde do Estado, também nasceu lá. Eles sobreviveram, Nicolau, não. Ele e mais 19 pequenos seres, pobres, parecem não ter nascido para fazer história, são apenas "estatística", números cravados em caixas de madeira e nas planilhas da burocracia. Segunda-feira, 30 de junho, uma semana depois das primeiras mortes anunciadas, os jornais estampam a notícia da morte de mais dois bebês gêmeos e uma foto grotesca de uma câmara frigorífica com 14 pequenos corpos. Na mesma matéria, o governo do Estado informa que já foi nomeada uma comissão de intervenção na Santa Casa, o diretor foi afastado e o governo federal já mandou auditores. Pronto! Foi instalada uma CPI. E agora? O certo é que por enquanto, o movimento deve continuar a ser grande no cemitério do Tapanã, para onde vai todo mundo que não tem chance de construir sua própria história, o cemitério dos pobres, como dizem. E esta vai continuar sendo a morte nossa de todos os dias. Um jardim de perdas, cultivado em covas rasas. Nada mais. 

Paula Sampaio é jornalista e fotógrafa profissional Belém - Junho de 2008

País da Piada Pronta

Tal como sempre acontece num distante reino encantado, aqui no Brasil quando raramente um bacana vai pra prisão é de se contar as horas nos dedos para que o "equívoco", seja rapidamente "corrigido" por algum juíz, desembargador ou magistrado qualquer. É vergonhoso que tenhamos tanta impunidade e nossa justiça banhada à ouro líquido não esteja interessa em fazer cumprir a lei igualmente para todos os cidadãos. O coorporativismo existente na burguesia nacional é espantoso e ao mesmo tempo flagantemente covarde, pois retira o direito moral de cobrar dos demais criminosos o devido comportamente social adequado, já que demostra claramente, que a impunidade existe e impera neste país, que como diz o cronista Zé Simão, é da piada pronta. Mais uma.

Miopia

O Blog do médico filiado ao PPS, Waldir Cardoso, já está no ar e não está prosa. Começa logo acusando o governo do Estado de miopia e incompetência administrativa, pelas mortes dos recém-nascidos da Santa Casa.

quarta-feira, julho 09, 2008

Alfinetada


"Com a prisão de tanto banqueiro de peso em São Paulo, teve corrupto de peso em Belém que tremeu nas bases. Qualquer descuido e vai ter que arranjar outro livro para esconder as algemas."


Os Maioranas em seu Repórter 70, dando uma alfinetada em seu concorrente, o dono da RBA/Diário, aí em cima.


Pérolas do Último ENEM

"Imaginem a bandeira do Brasil. O azul representa o céu, o verde representa as matas, e o amarelo o ouro. O ouro já foi roubado e as matas estão quase se indo. No dia em que roubarem nosso céu, ficaremos sem bandeira" "Vamos deixar de sermos egoistas e pensarmos um pouco mais em nos mesmos" "A concentização é um fato esperansoso para todo território mundial" "Não preserve apenas o meio ambiente e sim todo ele." "Nesta terra ensi plantando tudo dá." "'Isso tudo é devido ao raios ultra-violentos que recebemos todo dia."

Um Punhado da Santa Casa

O novo diretor da Santa Casa, Maurício Bezerra, vai aproveitar a visita de uma comissão de senadores ao hospital, para pedir que se empenhem, junto ao ministro da Saúde, José Temporão, para que os recursos prometidos para a fundação (R$ 6 milhões), sejam imediatamente liberados. Bezerra lembrou que, até hoje, nenhum senador paraense apresentou qualquer emenda ao orçamento da União, destinando recursos para a Santa Casa.
Fonte: Repórter Diário _______________________x__________________________

Quase 20 dias após a revelação do problema envolvendo mortes de recém-nascidos na Santa Casa de Belém (PA), o novo presidente do hospital divulgou na terça-feira (8) que 63 bebês morreram na instituição desde junho --54 no mês passado e nove até o último dia 7.

Em nota do último dia 2, o governo de Ana Júlia Carepa (PT) disse que 253 dos 1.710 bebês internados na Santa Casa de janeiro a junho deste ano morreram --taxa de mortalidade de 14,8%. Em 2007, segundo o governo, o índice foi de 16,2%.

Dados referentes a abril, maio e junho de 2008 divulgados ontem pelo médico sanitarista Maurício Bezerra, que assumiu a presidência da Santa Casa, mostram que o percentual de mortes no setor de neonatologia do hospital é crescente: 16,2%, 20,6% e 21,7%. Considerando apenas as mortes ocorridas na UTI neonatal, o índice de mortalidade é maior: 41% em maio e 56% em junho.

Bezerra disse que junho foi um mês "atípico". Enumerou fatores como superlotação, falta de médicos e deterioração da estrutura física do prédio para explicar os óbitos. "Uma causa infecciosa também não está excluída", afirmou.

O médico reclamou da ausência de R$ 6,1 milhões pedidos em 2007 ao Ministério da Saúde, que incluíam R$ 1,5 milhão para a neonatologia.

A pasta informou que já liberou R$ 1 milhão para a compra de equipamentos. Outros R$ 200 mil mensais serão repassados ao Estado para contratar leitos na rede privada.

Fonte: Folha On Line

_________________________x____________________-

Ana Júlia em dois tempos

No início de maio de 2005, a morte no município de Marabá de trigêmeos, que teriam mais condições de sobreviver caso ali houvesse hospital com UTI neonatal, motivou um pronunciamento comovido da mulher e mãe, a então senadora Ana Júlia Carepa (PT). Disse ela, em pronunciamento na tribuna do Senado: “Minha fala é carregada de tristeza. Tristeza pela história de uma adolescente, que engravidou precocemente, que não teve acesso ao pré-natal, que viu seus três filhos morrerem pela falta de uma unidade neonatal no hospital para onde se dirigiu. Tristeza aumentada porque eram mortes que poderiam ter sido evitadas.” Em junho/julho de 2008, números diariamente atualizados apontam que, no curto período de pouco mais de 30 dias, mais de 60 bebês já morreram na UTI neonatal da Santa Casa de Misericórdia do Pará. A mortandade tem motivado as seguintes declarações da mulher e mãe, a governadora Ana Júlia Carepa (PT): "......................................................................................... Fonte: Blog Espaço Aberto

Carona Hipócrita

“Nós já assistimos a inúmeros massacres contra seres humanos no Brasil e no mundo, mas não há massacre mais revoltante do que aquele que alcança recém-nascidos. Vidas que mal chegaram, partiram. Foram decepadas pela irresponsabilidade de quem governa.”
Senador Álvaro Dias (PSDB-PR), pegando carona na hipocrizia, já que seu partido é o mesmo que sucateou a saúde pública no Brasil e no Estado do Pará, nas gestões de Fernando Henrique, Almir Gabriel e Simão Jatene, todos exemplos de pura maldade humana, sem falar do Massacre de Eldorado de Carajás, à mando explícito de Almir Gabriel, quem dispensa apresentações.

Última Censura

Do Site Consultor Jurídico

Jornalista é proibido de comparar candidatos

por Daniel Roncaglia

A temporada de decisões da Justiça Eleitoral que cerceiam a imprensa termina com uma inusitada liminar vinda de Santarém (PA). A juíza Betânia Figueiredo Pessoa, da 20ª Zona Eleitoral da cidade, não decidiu sobre o que um jornalista pode publicar, mas sobre como ele deve escrever suas notícias. A juíza proibiu o jornalista Jeso Carneiro de comparar no seu blog a atual prefeita Maria do Carmo (PT) com o deputado e ex-prefeito Lira Maia (DEM). Os dois disputarão a prefeitura este ano. O mesmo limite vale para os partidos.

A juíza deu sua decisão em ação ajuizada pelo DEM contra o Blog do Jeso. Betânia não viu, nos posts bem como nas reportagens que o jornalista escreve para o Gazeta de Santarém, algo que se configure propaganda negativa. “Porém não há que se admitir comparação do ex-gestor com a atual prefeita, pois ai sim há um indicativo de parcialidade que deve ser evitado na imprensa por questões éticas e por vedação da Lei Eleitoral”, anotou a juíza.

Segundo Betânia, não se está proibindo que o jornalista critique ou que noticie fato desfavorável. Até a decisão de mérito, Carneiro deve apenas se abster de “fazer comparações entre a atual gestão e as anteriores bem como aos partidos a que são filiados, enaltecendo a atual gestora ou seu partido ou depreciando o ex-gestor ou seu partido.” A multa diária é de R$ 10 mil.

A decisão liminar baseia-se na Lei das Eleições e na Resolução 22.718/08. A juíza lembra que as normas, entre outras coisas, proíbem a propaganda eleitoral antes deste domingo (6/7).

A juíza despachou a liminar no dia 25 de junho, um dia antes de o Tribunal Superior Eleitoral alterar a resolução afirmando que a imprensa não pode ser punida por entrevistar candidatos. A mudança ocorreu depois da grita da opinião pública porque órgãos como a Folha de S.Paulo e Veja São Paulo foram multados por publicar entrevistas de candidatos.

Comparsas

Jeso Caneiro entende que a proibição foi determinada porque ele publicou textos sobre a Ação Penal que o deputado responde no Supremo Tribunal Federal. “Acho que eu não posso mais falar das ações”, explica. A última nota que publicou sobre o assunto tinha o seguinte título: Comparsas de Lira Maia serão interrogados dia 3.

Na petição, o DEM afirma que o jornalista é conhecido por ser “adversário feroz” do ex-prefeito. Para o partido, ele não deve publicar durante todo o processo eleitoral qualquer opinião favorável ou contra a qualquer candidato. Se o processo for julgado procedente, o DEM pede que o blog seja multado em R$ 53 mil.

Em nota no blog, o jornalista afirma que, mesmo sendo paradoxal, “sente-se feliz por protagonizar mais um embate jurídico. São quase 5 em pouco mais de 3 anos de existência. Sinal claro que esse espaço não desviou de sua rota pré-estabelecida: incomodar os poderosos de plantão”.

Revista Consultor Jurídico, 6 de julho de 2008.

terça-feira, julho 08, 2008

Karine, Sempre Karine



Karine Jansen é diretora, atriz e performance, ou seja, vai além disso...pessoa temperamental e ótima profissional, a moça brilha e encanta onde pisa e atua.

Vira e mexe a menina aparece com uma nova montagem, uma nossa peça, seja drama, foto, história, enfim...Karine é mesmo uma de nossas principais estrelas da multifacetada cultura paraense.

A peralta - que me iniciou na linguagem audiovisual, numa de suas inúmeres oficinas da Fundação Curro Velho há uns 15 anos atrás - está com mais uma de suas exposições, que conta um pouco a história do teatro paraense.

Vale à pena conferir.

Quase Inédito



Ao ler em Carta Capital, a notícia de que a gangue - que tinha como principais protagonistas Celso Pitta, Naji Nahas e Daniel Dantas - foi presa, finalmente volta à tona no noticiário brasileiro, a prisão de alguns representantes do crime empaletozado.

Em contrapartida a rigorizidade da PM do Estado do Pará, contra o ato de propostesto do MST em Parauapebas, onde balas de borracha correram soltas nas costas de diversos militantes do movimento.

Se havia ameça de invação do prédio da delegacia de Parauapebas, caberia à Polícia Militar do Pará, mudar de uma vez por todas, a forma truculenta de lidar com os movimentos sociais organizados e apurar os motivos da suposta tentativa de invação, ao que pelo tudo indica, se deu por reação do MST aos maus tratos e prática de tortura ofertados por policias civis ao militante preso.

Diante do absurdo das contradições e injustiça social em nosso país. As falas se manifesta favorável à apuração de todos os fatos ocorridos, no município de Parauapebas e clama por justiça social e paz no campo e nas cidades.

Paz com voz é claro, pois como já havia dito o músico do Rappa, paz sem voz é medo!


Assim, só mesmo dando uma olhada nas fotos de quem orgulha, mesmo que não sendo cantando, escrevendo ou filosofando, mas encanta.

Com vocês, Gisele Bündchen em um ensaio quase inédito no Brasil, tão quase inédito quanto a prisão de "bacanas" por aqui.







segunda-feira, julho 07, 2008

Frente de Esquerda

A Coligação Frente de Esquerda, que é composta pelo Partido Socialismo e Liberdade(PSOL), Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) e Partido Comunista Brasileiro (PCB) lançou 30 nomes para disputar as eleições deste ano, tendo como candidata majoritária a atual vereadora do PSOL, Marinor Brito.

sexta-feira, julho 04, 2008

A PM Exagerou

Na sua opinião o comportamento da PM nas manifestações dos movimentos socais está sendo: Exagerado - 75% Normal - 12% Ineficiente - 12% Resultado da enquete realizada pelas Falas durante o mês de Maio/Junho.

Os Miseráveis

A apuração dos casos de morte de bêbes na Santa Casa de Misericórdia está sendo alvo de especulação e politica eleitoral por parte do DEM e PSDB. Promotores de um verdadeiro caos na Saúde do Estado, pousão agora para os holoforte da imprensa, deputados e um senador, jurando que sempre cuidaram da frágil saúde do povo paraense. Apurar responsavéis e punir os mesmos nunca foi prática dos tucanos e liberais - agora denominados democratas - resta que a mudança em nosso Estado, faça isso para dignificar as famílias pobres que perderam seus filhos e mostrar que a responsabilidade do Estado está acima do protecionismo partidário que nunca admite culpa.

Os Sujos

O Tribunal de Contas do Estado do Pará entregou ao Tribunal Regional Eleitoral do Pará o nome das pessoas que compõem a sua lista de Contas Irregulares.

A lista também foi encaminhada ao Procurador Regional Eleitoral, Dr. Ubiratan Cazetta, e contém nome de diversos gestores públicos cujas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas tenham sido julgadas irregulares pelo Plenário do TCE.

A relação dos 589 (quinhentos e oitenta e nove) processos indicando os gestores condenados pelo TCE foi elaborada observando os processos que transitaram em julgado ou cujos recursos não foram recebidos com efeito suspensivo.

Com esta entrega, o TCE cumpre com o seu papel constitucional na fiscalização da aplicação dos recursos públicos, ficando a cargo do TRE a declaração de inelegibilidade dos integrantes da lista.

Relação de Contas Irregulares (Lei Nº9504 de 30.09.1997)

Fonte: Tribunal de Contas do Estado do Pará

Liberdade Desassistida

Para quem acreditou na estória de que a substituição da Diretora de Assistência Social da FUNCAP, indicada pelo PT, solucionaria a "crise" na FUNCAP, agora pode se ver convencido de que como havia sido dito aqui, a questão foi resultado da negociação do governo com o PSOL, alojando-o nas asas da admistração estadual e abrindo um precedente sério para a governabilidade de Ana Júlia: o de romper com um importante alido: A Unidade na Luta. Os motivos da mexida de pedras foi o "acerto" da contrapartida pelo comando de greve (SINTEP) ter suspendido o ato, que já perdurava há meses, tendo os trabalhadores da educação como fiadores do "negócio", mesmo que esses não tivessem consciência disso. A mais nova tentativa de Fuga, ocorrida no Centro de Internação da Almirante Barroso - CIAB, expõe a fragilidade da segurança do prédio, onde hoje abriga jovens e adoslescente. O espaço mais parece uma prisão mesmo. Monitores da FUNCAP, afirmam que os adolescentes consomem drogas nas dependências do orgão e que recebem instrumentos, tais como cabos de vassouras e outros objetos que permitem que os mesmo perfurem e escavem as paredes, que quase não oferecem resistência. A nova diretora de assistência social da FUNCAP que é ligada ao PSOL, assim com divers@s outr@s militantes de seu partido, que também ocupam funções estratégicas na Fundação, terão que responder porque não sanaram os problemas que acusaram, terem sido criados na gestão anterior de uma execelente e reconhecida Assistente Social, a qual durante 02 meses lutou contra o cooporativismo criminoso e negligente que habita o orgão, tendo como protagnistas diversos militantes do partido do socialismo e liberdade, alí lotados, contrariando as deliberações da coordenação nacional do partido, que definiu que o PSOL não iria compor chapas eleitorais, nem tão pouco gestões do PMDB e PT por exemplo.

quinta-feira, julho 03, 2008

Leitura Vesga

Da advogada Mary Cohen, coordenadora da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da OAB/PA, sobre a tentativa do MPE do Rio Grande do Sul em extinguir o MST. A propósito das decisões do Ministério Público do Rio Grande do Sul, contra o MST, o documento, em seu radicalismo, sua fúria e sua construção de um fantasioso projeto revolucionário, lembra o famoso Plano Cohen, de autoria do capitão Olímpio Mourão Filho, para uso dos integralistas, e que serviu de pretexto para o golpe do Estado Novo, em 1937. Foi divulgado, à época, um suposto projeto terrorista com o intuito de responsabilizar os comunistas pelo falso projeto, com apoio estrangeiro, para a implantação de um regime "soviético" no Brasil. No documento dos promotores, é atribuído, ao MST, ligações com forças militares estrangeiras, guerra de guerrilhas, criação de territórios livres, e uma revolução de caráter socialista no Brasil. Não obstante bem escrito, sua linguagem é de extrema-direita e as idéias são tacanhas, bem assim como os argumentos usados para propor a extinção do movimento. Peca o documento ao ignorar, ao proporem a extinção do movimento, que numa comunidade de centenas de milhares de pessoas, é natural que haja descontentes e talvez mesmo criminosos. Imaginar que os sem-terra devam constituir legião de anjos, descidos ao planeta para combater o latifúndio, é demonstrar absoluta desinteligência do mundo. Mas não podemos ignorar que a maioria ali se encontra empurrada pela miséria absoluta, contando com uma cesta básica, e é de seu direito natural buscar comida para os filhos onde for possível. Eles não são apenas sem terra. Falta-lhes a terra, ou seja, o direito de estar no mundo. Em contrapartida, os promotores gaúchos também esquecem, em seu documento, as milhares de vítimas dos grileiros e da polícia nos últimos vinte anos, só para exemplificar. Não podemos esquecer que, ao mesmo tempo em que os movimentos são atacados e depreciados e que mais de 30 lideranças dos movimentos sociais são investigadas pela Polícia Federal ou tem processos só na Justiça Federal de Marabá, os crimes contra os trabalhadores rurais e seus aliados continuam impunes. O único mandante preso no Pará, Vitalmiro Bastos de Moura, Bida, condenado pelo assassinato de Irmã Dorothy foi libertado por decisão de novo julgamento no tribunal do júri. E as suadas conquistas dos povos tradicionais enfrentam barreiras cada vez maiores como é o caso da suspensão pelo STF da retirada dos arrozeiros da Terra Indígena Raposa Serra do Sol e os constantes ataques de graduados militares do Exército Brasileiro contra a demarcação em área contínua desta área, sob o argumento de defesa da soberania nacional. O mesmo se pode falar dos ataques que acabaram praticamente paralisando as ações de reconhecimento de áreas quilombolas. Não podemos fazer uma leitura vesga dos fatos, como fizerem os promotores gaúchos.

quarta-feira, julho 02, 2008

Absurdos Notáveis

A onda de absurdos e autoritarismo contra blogs e jornais estão alcançando níveis intoleráveis para uma democracia que se queira ser respeitada.

Baderna Articulada

O Quinta Emenda com a postagem abaixo não refresca e recoloca no debate a avacalhação promovida pelo sectarismo arrogante que insiste em fazer da gestão institucional do Estado uma verdadeira orgia para bel prazeres.

UEPA Mergulha no Caos

O Conselho Universitário da UEPA anulou uma eleição em que ele mesmo fez as regras, coordenou e homologou os resultados, uma literal avacalhação contra a instituição. Lamentam os que defendem a legalidade dos processos eleitorais, e outros que só o fazem às vezes. O MPE - despacho do promotor Nelson Medrado - quer a exclusão, da lista tríplice, do candidato Ubiquoracy Rodrigues, instrumento da monumental baderna articulada pelo então chefe da Casa Civil do governo do Pará, Mr. Johnson, e pela diretora da Escola de Governo, Edilza Fontes.

Pesquisa Vox Populi: PT Partido Preferido

67% dos brasileiros estão satisfeitos com o Brasil.

63% acham que o país melhorou nos últimos dois anos.

58% acham que o Brasil vai melhorar ainda mais nos próximos dois anos.

O PT tem 25% da preferência partidária, seguido do PMDB com 7%,PSDB com 6% e do DEM com 2%.

O PT é o partido mais lembrado por 36% do eleitorado.

Para 63% do eleitorado, o PT ajuda o Brasil a crescer.

O PT é considerado um partido de esquerda.

47% da população é favorável à fidelidade partidária e considera que o mandato pertence ao partido pelo qual o político se elegeu.

84% avalia positivamente o desempenho do presidente Lula.

Para 34%, a principal realização do governo Lula é a implantação de programas sociais e para 20% é a política econômica. Destaque para o Programa Bolsa Família citado por 27% dos entrevistados.

Esses são alguns dos dados revelados pela pesquisa de opinião realizada pelo PT, através do Instituto Vox Populi, em todo o território nacional.

Para ver a pesquisa clique aqui.

terça-feira, julho 01, 2008

Back To Real


Uma viagem à Brasília e a estadia de 03 dias me fizeram ter que compensar meus compromissos em Belém e o blog acabou ficando desatualizado.

Para quem visitou, minhas desculpas.

Segue à partir de hoje, uma série de avaliações à cerca do processo eleitoral da pólis, de nossa pólis e das outras, é claro!

Se boi voar, e/ou alguém ver chifres na cabeça de cavalo, a culpa é toda do Bosco.