Pesquisar por palavra-chave

quarta-feira, abril 16, 2008

Sozinho no Páreo

A Deputada Regina Barata decide não concorrer às prévias do PT, mas deixa seu recado ao PT.

Mário Cardoso agora é o único candidato do partido para disputa da prefeitura de Belém este ano.

O candidatíssimo articulou-se bem, comemorou aniversário em alto estilo, conversou com Deus e o Diabo como se diz, e emplacou apoio da maioria das tendências internas do partido e de outros partidos e agora comemora, mas ao mesmo tempo deve se preparar para a difícil disputa que tem pela frente, com a oposição e o PMDB - Aliado nacional e estadual.

As Falas dos Camponeses de Rondônia

DENÚNCIA: MASSACRE DE CAMPONESES EM CAMPO NOVO-RO

Na manhã de hoje, dia 09 de abril/2008, mais de 100 jagunços fortemente armados e encapuzados, invadiram o acampamento "Conquista da União" localizado na BR-421 km 140, Município de Campo Novo-RO. Os jagunços (membros de milícias terroristas) mantidos e capacitados por fazendeiros e agronegociantes regionais, e apoiados ostensivamente pelo Governo do Estado; assim como policiais mercenários (da Polícia Militar), contratados pelos supra citados Capitalistas, cercaram e invadiram o acampamento e foram atirando em todos os que ali se encontravam. Segundo informações passadas por um camponês que conseguiu escapar fisicamente ileso da refrega, cerca de 15 pessoas incluindo uma mulher grávida foram assassinadas brutalmente e outras apanhadas como reféns. 20 motocicletas e todos os pertences dos acampados foram saqueados e/ou queimados.

A Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia-LCP-RO vinha denunciando há várias semanas a preparação de um massacre de camponeses sem-terra naquela região do Estado. Toda a campanha, orquestrada pela grande imprensa de Rondonia e do País, em especial o jornal Folha de Rondonia e a revista Istoé, esta que acusou falsamente a LCP e os camponeses daquela região de serem "guerrilheiros ligados às FARC", sendo esses mesmos órgãos de imprensa que apresentavam tendenciosamente os pistoleiros matadores dos latifundiários (jagunços e policiais mercenários) como "trabalhadores rurais". Tudo isso para tentar justificar este massacre que estava então em processo de preparação estratégica, conforme denunciamos nós da LCP-RO inúmeras vezes. Essa imprensa acima mencionada, alem de sectária a serviço do Latifúndio e do Capitalismo Agromercantilista, é conivente e dolosamente corresponsável pelo sangue derramado destes camponeses vítimas de mais um genocídio bárbaro em Rondônia.

Tão logo ocorreu o massacre ligamos para a Policia Federal que disse apenas que isso "não era de sua jurisdição" e que "não podia fazer nada". O secretário de estado da segurança pública de Rondônia César Pizzano disse que para ir ao local onde estavam os mortos "precisava de um boletim de ocorrência do fato", justificando sua omissão dolosa e evidente prevaricação funcional com um arroubo burocrático imbecil (???... !!!...). Isto mostra a cumplicidade criminal destes órgãos e autoridades pertinentes com a prática genocida deste massacre hediondo e reincidente na Região, sendo que os mesmos órgãos e indivíduos públicos são os que, há pouco tempo, também, acusavam falaciosamente os camponeses da LCP-RO de serem "guerrilheiros", guerrilheiros que ao momento do ataque genocida não tinham sequer um mínimo de armas para enfrentar inimigos tão cruéis e sanguinários.

A LCP-RO não descansará enquanto os responsáveis por este massacre não forem punidos e a terra destes camponeses não for demarcada e legalmente instituída.

Assinado: Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia

As Falas da Governadora

"Vínhamos conversando, dialogando. E então eles [a Vale] subiram o tom. Foi como um surto"
Governadora Ana Júlia em pronunciamento sobre a ação que a empresa moveu para obrigar o Estado a proteger suas propriedades na região, onde cerca de 600 trabalhadores rurais estão acampados, junto à mineradores que protestam contra tudo que o Estado Brasileiro diz ser direito, mas que historicamente, lhes é negado.

As Falas do Bispo

“...Eu acuso as nossas autoridades de conivência, por omissão...”

Dom José Luiz Azcona, bispo do Marajó, ameaçado de morte tão como inúmeros defensores dos direitos humanos no Pará, não refresca e mete o cacete na omissão do poder público que finge não ver a vergonhosa condição do Estado campeão em exploração e abuso sexual de mulheres e crianças.

O Jogo dos 7 Erros





Quais os 07 principais erros nos Outdoors?

Certamente nenhum, pois na centena destes, espalhados por vários municípios do Estado durante a campanha eleitoral para reitoria da UEPA, houve a padronização do material publicitário, o que é notório tanto nas camisetas que ilustram as interventoras/biônicas abaixo, quanto os baratíssimos outodoors, acima.

O mesmo não pode ser dito por aqueles que encabeçaram a chapa Bira/Jofre no processo eleitoral da UEPA e que agora - como se vê/lê abaixo, dão as cartas por lá, perseguindo e afastando todos que compunham a gestão anterior e que apoiaram outras chapas, que não a dos sorridentes candidatos, perdedores da eleição.

É literalmente, uma atrás da outra !

Por essas e por outras que a liminar se mantém.