Pesquisar por palavra-chave

segunda-feira, fevereiro 17, 2014

Evento defenderá candidatura própria do PT para 2014


Cerca de 1.300 pessoas foram convidadas pelo Facebook e até agora apenas 90 confirmaram presença, mas os organizadores da Plenária "Sou PT. Quero votar 13", esperam lotar o auditório da APPD – Associação Paraense das Pessoas com Deficiência e acumular apoio junto à militância petista para o lançamento de candidatura própria para as eleições de 2014 para o governo do Pará.

O evento é fruto da articulação de tendências petistas contrárias à aliança com o PMDB ( que prepara-se para lançar o ex-prefeito de Ananindeua, Helder Barbalho), na qual este receberá o apoio do PT para o governo e o PT terá como retorno o apoio do aliado nacional para a única vaga ao Senado Federal, até aqui combinada para que seja do ex-deputado Paulo Rocha. 

O PT ainda não bateu o martelo sobre a tática eleitoral e o fará no fim de Março, mas as tendências majoritárias do partido já acenaram positivamente para consolidarem o acordo feito pela direção nacional petista com o PMDB, garantindo assim mais um Estado pedido pelo PMDB, para que este mantenha-se aliado na reeleição de Dilma.

Para muitos petistas, o que já não é fácil no cenário nacional, no Estado Estado do Pará se torna ainda mais difícil e o PMDB, que já teve apoio negado pelo PT no primeiro turno das eleições municipais de 2008 e só foi receber no 2º turno, observa com cuidado a movimentação de grupos minoritários, que conseguem convencer a base dos maiores grupos, de que a candidatura própria do partido é condição sine qua non para manter a coerência e o discurso petista de anos de luta contra as oligarquias empresariais e o fisiologismo na política.

A página do evento está aqui.

2 comentários :

  1. Bom Dia, apenas um esclarecimento: Nós, que somos a favor da candidatura própria de um candidato petista no 1º turno em momento algum das discussões que estive deliberamos por sermos contrários a uma aliança com o PMDB. Muito pelo contrário, entendemos a aliança nacional com o governo Dilma e sabemos a importância do PMDB neste cenário, mas não é por isso que vamos nos anular aqui no Pará. Não há necessidade disso, temos uma história a zelar, porque agir como sublegenda se temos capital político para disputar as eleições? nossa proposta é respeitar a candidatura do Helder, ter a nossa própria candidatura e no 2º turno, quem passar, um apoia o outro incondicionalmente. Este seria o melhor acordo e não um acordo derrotista e entreguista..Poderíamos estar com o PMDB? sim, claro e com outros partidos também, a frente teria que ser ampla para vencer o PSDB, mas esta aliança teria que ocorrer na hora certa e com o PT na cabeça, com o nosso programa de governo guiando os passos do governo. Obrigada pelo espaço! :-)

    ResponderExcluir
  2. É isso Josie. O Partido não pode ser subserviente de alguns "iluminados", que pegam a corda de um coronel da política. O PT tem história. E, lembrando a vitória do ex-prefeito Edmilson, que correu por fora e venceu em Belém. Agora não é diferente. Candidatura já !

    ResponderExcluir