Pesquisar por palavra-chave

quinta-feira, setembro 12, 2019

Rebelião no MDB impõe derrota a Junior Hage

Junior Hage pretende ser prefeito de Castanhal, mas MDB o rejeita.


Por Diógenes Brandão

Antigos caciques do MDB de Castanhal se rebelam contra decisão, já anunciada pelo governador Helder Barbalho e seu pai senador Jader Barbalho, de impor o nome do deputado estadual Júnior Hage na disputa à eleição para prefeito do município em 2020.

Sob a liderança do ex-prefeito Paulo Titan, que hoje ocupa o escritório da Setran em Castanhal, por toda a última quarta-feira foi realizada a eleição para a escolha dos novos membros do diretório do MDB no município.

Em chapa única, Titan foi mais uma vez eleito para presidir a legenda, tendo como vice o vereador Carlinhos Bacabal, outra velha liderança do partido que se rebela contra a imposição dos Barrbalhos de fazer Júnior Hage prefeito de Castanhal.

Também faz parte da nova/velha direção partidária emedebista castanhalense a vereadora Regina Abreu, que há pouco tempo ensaiara apoiar Hage, mas desistiu por pressão dos caciques do partido em Castanhal.

O enfrentamento contra a decisão dos Barbalhos de impor o nome de Hage uniu rivais históricos do partido em Castanhal. É o caso do empresário Raimundo Flor e seu filho Ivan Figueiredo. O último sonha com uma vaga na Câmara Municipal.

Titan disse que o objetivo agora é mostrar a unidade da legenda no município, e dessa forma fazer com que ele tente novamente a cadeira do executivo municipal em 2020. 

Rejeição

Segundo fonte do blog, o deputado estadual Júnior Hage teve a família escorraçada nas eleições do ano passado pelo voto da maioria dos eleitores de município da região do Baixo Amazonas (Santarém, Almerim, Prainha e Monte Alegre), reduto eleitoral da família Hage, quer ser prefeito de Castanhal, depois de ter rompido com o ex-governador Simão Jatene e o ex-presidente da Alepa, Márcio Miranda e ter passado a apoiar Helder no segundo turno das eleições do ano passado. Qualquer semelhança com Jefferson Lima, apresentador da RBA e na época candidato ao senado nas eleições de 2014, não é mera coincidência.

Júnior Hage achou que teria respaldo do atual governador para conseguir seu objetivo de ser prefeito de Castanhal, conforme combinado, mas agora percebe que seu desejo é do tamanho da rejeição a seu nome dentro do próprio MDB de Castanhal que, na última quarta-feira, mostrou unidade e força ao se rebelar contra a imposição dos Barbalhos.

Nenhum comentário :

Postar um comentário