Pesquisar por palavra-chave

quarta-feira, junho 12, 2019

URGENTE: Por matar duas pessoas embriagado, Giovanni Maiorana vai a júri popular




Giovanni Maiorana, filho do empresário Rômulo Maiorana Jr, vai a Júri popular respondendo por dolo eventual. Foi o que decidiu no mês passado a juíza Blenda Nery Rigon Cardoso, titular da 2º vara criminal. Dolo eventual é quando o autor, mesmo sem intenção direta de cometer o ato ilícito, assume o risco de produzi-lo. 

Relembre o caso: 

Em Setembro de 2018 Giovanni Maiorana, um dos herdeiros de um dos maiores impérios de comunicação do estado, o grupo ORM, atropelou duas pessoas no centro de Belém. Uma jovem de 19 anos morreu na hora e a outra vítima chegou a ser socorrida, porém não resistiu aos ferimentos e também morreu. Antes de atropelar e matar as duas pessoas, o seu carro de luxo colidiu com outros 5 carros estacionados e em seu interior foram encontradas latas de cervejas e garrafas de bebidas alcoólicas.  


Com sinais de embriaguez, Giovanni Maiorana foi preso em flagrante e conduzido pela polícia até a delegacia de São Brás. Após ser levado ao centro de perícia Renato Chaves, recusou-se a fazer exame de embriaguez e foi liberado após pagar fiança de R$ 500 mil que depois duplicou para R$ 1 milhão, em função do óbito da segunda vítima no hospital. Atualmente, Giovanni responde ao processo em liberdade provisória.  

Na época, o fato chegou a ser noticiado pelo DOL, todavia apagado do site logo que se soube de quem, de fato, se tratava. Por razões óbvias, tampouco o Jornal Liberal ou o site Roma News deram cobertura ao evento.  

Situação semelhante parece estar se repetindo agora, em que nenhum dos meios de comunicação paraense parece ter interesse em noticiar a decisão de levar o caso ao júri. Pela repercussão do caso à época; pela importância dos personagens envolvidos e principalmente pela gravidade dos crimes cometidos ao volante e ineficácia de nossa legislação em puni-los, essa omissão é demasiadamente grave e serve para nos mostrar o quanto a notícia que nos chega diariamente é sempre filtrada pela política ou pelo interesse de grandes empresários.

Turismo despenca em 2018 e Pará se torna um dos menos visitados do Brasil

De 13º estado mais visitado do país em 2017, agora o Pará passou para 15º, sendo ultrapassado por Amapá e Acre.

Que o Pará é um estado com serviços de saúde e educação ruins, sem saneamento básico, com alto índice de violência, com desemprego bombando, sem atratividade para negócios e com qualidade de vida precária, isso todo mundo está careca de saber. E agora, o que já não era muito bom acaba de ganhar reforço: o estado despencou na lista das Unidades da Federação mais visitadas, com queda no número absoluto de turistas. 

As informações foram levantadas com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu, que teve acesso ao Anuário Estatístico do Turismo 2019, uma produção do Ministério do Turismo (MTur) que compila indicadores das visitas realizadas por estrangeiros ao estado. Em 2017, exatos 30.524 “gringos” passearam pelo Pará, volume que baixou para 28.720 em 2018. 

De 13º estado mais visitado do país em 2017, agora o Pará passou para 15º, sendo ultrapassado por Amapá e Acre, estados com menos infraestrutura hoteleira e que, ainda assim, recepcionaram 33.383 e 31.537 visitantes internacionais, respectivamente. O maior impacto ao Pará foi no mês de fevereiro, quando as chegadas de turistas caíram de 3.323 em 2017 para 1.926 em 2018. 

Continue lendo no blog do Zé Dudu.

Bandidos deixam "Territórios pela Paz" e assaltam 30 pessoas na UNIMED

Bandidos saem dos "Territórios pela Paz" e assaltam 30 pacientes e funcionários em hospital no centro de Belém.

Por Diógenes Brandão

As informações trazidas pela Roma News revelam que o crime está sempre à frente das estratégias de segurança, tanto pública, quanto privada e se o Estado designa as forças policiais para combater o crime na periferia, os criminosos migram para os bairros do centro de Belém e lá ficam a vontade para fazer o que bem entendem.

Tudo isso com a presença de 44 viaturas e 200 homens da Força Nacional, que em Março deste ano, vieram a pedido do governador Helder Barbalho ajudar nas atividades ostensivas, realizadas em parceria com o sistema estadual de segurança, pelo prazo inicial de 90 dias, mas que hoje, depois de 79 dias, a população da capital paraense ainda não viu os efeitos desta ação.

Leia a matéria do portal Roma News e tire suas conclusões:

Quatro homens armados invadiram no início da tarde desta quarta-feira, 12, o hospital Unimed Belém, localizado na rua Senador Manoel Barata, bairro do Reduto. Segundo testemunhas, os criminosos levaram pertences pessoais de funcionários e pacientes que aguardavam na sala de espera do hospital. Cerca de 30 pessoas foram vítimas dos assaltantes.  

Os bandidos estavam usando máscaras hospitalares para não serem reconhecidos pelos clientes e pacientes e nem serem identificados pelas câmeras de segurança. Uma cliente teria reagido ao assalto e levou uma coronhada de um dos assaltantes.   

As vítimas do assalto estão na delegacia prestando queixa contra a falta de segurança privada dentro da Unimed e pedindo ressarcimento dos prejuízos. "Na tentativa de abafar o caso, a gerência da Unimed orientou algumas vítimas a descreverem seus prejuízos passarem por um cadastro de ressarcimento e indenização pelo ocorrido", afirma uma das vítimas que prefere não se identificar.  

A Polícia Militar vai analisar as câmeras de segurança e está realizando rondas no entorno do bairro para tentar identificar os criminosos. Ninguém saiu ferido.

ALEPA: Cidadão Paraense para Sérgio Moro?


"Alguém sabe me dizer se já tem algum título de Cidadão do Pará engatilhado na Alepa para o Moro?"
Jeso Carneiro, autor do blog do Jeso.