Pesquisar por palavra-chave

quinta-feira, janeiro 31, 2008

O Lobo e o Homem


do blog Hiroshi.


Há algo estranho, muito estranho, nas andanças do chefe de Gabinete do governo, João Cláudio Arroyo. O blog recebeu na noite de ontem e-mail de empresário de Belém, amigo de longas datas do poster, relatando que amigo dele, também conhecido empresário da capital, recebeu dois telefonemas de Arroyo comunicando-lhe que a governadora gostaria de conversar com ele.

Ao chegar no Palácio dos Despachos, o empresário foi comunicado que, infelizmente, naquele momento a governadora deixara seu gabinete para cumprir agenda de ultima hora, delegando a João Arroyo a missão de repassar ao iluestre convidado o motivo do encontro.

Estranhamente, para o empresário visitante, Cláudio Arroyo começou a falar de um projeto desenvolvido pela Chefia de Gabinete denominado “Economia Solidária”. Após alguns minutos destrinchando o tal programa, Arroyo disse que o governo, através dele, iria depois apresentar mais detalhes ao empresário sobre o projeto.

Terminada a reunião, e já na solidão noturna da cama acomodado num travesseiro, o empresário entregou-se a pensamentos.

Acha que tem coisa no Projeto Economia Solidária.

Coisa estranha, melhor dizendo.



------------------XX---------------------XX-----------------XX---------------XX-------------

"Para a sociedade burguesa, a forma-mercadoria
do produto de trabalho é a sua forma económica celular".


Karl Marx, O Capital, Livro Primeiro.



Ei Hiroshi...quem disse que o empresariado - da velha economia de mercado - vê com bons olhos a economia solidária?

A primeira concentra, quer o lucro, emprega - mas suga e explora o trabalhador - ignora a divisão do lucro e acumula sem divisas ou limites o capital e depois - quando robusto - emprega-o na especulação e muitas das vezes, isso é preferido, pois dá mais lucro que a produção.

A Segunda - Solidária, embrionário em sua proposta e efetivação, mas não em sua origem teórica fundadora, faz o contraponto ao capitalismo, redefine os papéis administrativos, divide o poder, socializa o lucro e reemprega o capital na produção, tornando a economia nacional, fortalecida e dinâmica e faz a divisão de renda algo mais táctil.


Como seu leitor do blog, admiro que este continue tratando dos fatos que realmente são graves em nosso Estado - como vire e mexe é feito ao analisar, denunciar e faz isso bem feito! - mas supor que há em toda relação entre Estado e Iniciativa Privada um elo de corrupção é exagero retórico. Se for assim, o que esperava da reunião, o amigo do teu amigo leitor ?

Estaria ele frustrado por não ouvir as palavras "convênio sem licitação", "contrato" e "cooperação empresarial", como de praxes sempre ocorre(u) ??

Acho que o que ele estranhou foi a ausência disso!

E por falar no Arroyo, este há tempos estuda e desenvolve a temática Econômia Solidária, tanto na acadêmia, quanto onde atua profissionalmente, seja no Estado como na sociedade civil organizada e considera-se Socialista.

Assim pensa As Falas!

quarta-feira, janeiro 30, 2008

Sitiado pelo Medo

Para quem achou maravilhoso ter a Presidente Vargas livre dos vendedores ambulantes, fica o blog do amigo competente e poético Advogado Marcelo Costa para esclarecer a forma truculenta que a tal 'operação de limpeza' da avenida trouxe, quem viu ou ouviu o que aconteceu nao pode ficar na insanidade da naturalizacao da violencia ser institucionalizada.

terça-feira, janeiro 29, 2008

Rumo ao Fórum Social 2009


Parabéns para a marcha que reuniu novos e velhos militantes sociais de Belém. Edmilsom Rodrigues (PSOL) foi o único pré-candidato à prefeitura desta pólis visto por lá, entre diversas outras lideranças Sindicais, Populares - e outros nem tanto!


Fico devendo uma bela foto do evento para ilustrar o post.

Dudu, Dudu, dá-lhe Dudu...

R$ 10.890.000,00. Esse é o valor que o inimigo nº 1 da pólis teria contratado com a CEF Federal, mas que até agora não executou sequer um terço do pretendido na bacia do Tucunbuba.
Quem nos conta é o ex-petista e agora verde Zé Carlos em seu blog.

Vale acompanhar







No blog do Hiroshi, a vitória do prefeito de Parauapebas sobre a Vale, a qual foi inserida na dívida ativa da união e que agora terá que desembolsar a bagatela de R$ 460 milhões pela atualização dos roialtes de minérios devidos aos 91.618 cidadãos e cidadãs daquele município que possui o 5º maior PIB do Estado e que hoje tem o petista Darci Lermen como prefeito daquela pólis.




sábado, janeiro 26, 2008

Consenso, no way!

O PT terá prévias para definir que, disputará a prefeitura da Pólis. Mário Cardoso e Regina Barata são os primeiros e únicos pré-candidatos anunciados e confirmados por seus grupos. Até agora! Será que Brasília vai novamente meter o bedelho?

A Pólis não Pára

Uma garota que diz ter 19 anos, negra, com uma mochila nas costa e visivelmente debilitada, roda pelas redondezas do terminal rodoviário de São Brás em busca de socorro. Vinda do Maranhão no trem da Vale, a jovem, declarou que já passou por vários locais, sofreu diversas agressões, estupro, violência física e emocional, mas que não quer voltar para seu município de origem por não aguentar tanta miséria por lá. Vítima de uma sociedade excludente, anda pelos bares, moteis e barracos que lhe dão arrêgo.

sexta-feira, janeiro 25, 2008

Gente Hipócrita !!

“uma vez cumprida a ordem de desocupação ali contida, deverá o Município promovido destinar área própria, para fins de recolocação dos ambulantes que ali se encontravam afim de que possam dar continuidade às suas atividades legítimas, com meios lícitos de sobrevivência.”

Acima, o trecho da ordem Judicial que autorizou a retirada dos camêlos da frente da Agência Central dos Correios, na Av. Presidente Vargas, causando tumulto e protestos, tanto dos trabalhadores e trabalhadoras informais que foram retirados na marra por ordem do prefeito falso-médico, quanto de moradores, logistas, oportunistas e - alguns "nobres" que sempre consideraram passeata, coisa de vagabundos. Agora quando é que a ordem vai ser cumprida na íntegra é que não se sabe, pois como sabemos, nesta cidade ninguém mais tem ilusão do quanto Gil estava certo quando compôs, nos barracos da cidade. Ôôô , ôô Gente estúpida! Ôôô , ôô Gente hipócrita!

O Povo Fala, Fala Mesmo!

Charge de A.Torres no Diário


Comentários "Anônimos", extraídos do Quinta Emenda sobre o post da Vereadora Marinor Brito.

A Cidade ilegal, transporte ilegal kombis, motos, vans, onibus, comercio ilegal, ambulantes, feirantes, camelos, bomboseiros, carros de lanches, pirataria, cds. dvs, segurança ilegal, execuções diárias, prisões de menores, torturas, sáude médicos que recebem e não vão trabalhar, educação que nunca tem vagas para as crianças, Presidência da Camara de Vereadores ilegal, tudo anulado as leis do orçamento, iptu, tudo ilegal, Prefeito fora da lei condenado como falso médico, mente sobre as calçadas da presidente vargas, tudo ilegal, quando a justiça federal vai prender o dudu?


---------- ---------- ---------- ---------- ----------


Não há politica pública de integração dos camelos ao mercado, a situação que nasceu com o desemprego continua hoje, com a crescente oferta de emprego, esta na cara que na vida informal o lucro é total, não tem aluguel, não tem conta de energia, conta de água, direitos do consumiro, direito do trabalho, cnpj, cpf, atestado de antecedentes criminais, laudo do corpo de bombeiros, sefin, sefa, drt, crea, seurb, receita federal, pm,pc, pf, os vereadores com o dudu, construiram o seu palácio com milhões de dinheiro público, mas não arrumam um teto p os camelos, livrarem as ruas de belém da nova deli, cairo, saara, luanda, cidade do méxico, ou de qualquer mercado favela do mundo, parabens a vereadora pela exposição mas vamos a propostas?


---------- ---------- ---------- ---------- ----------


No papel, tudo isso é lindo e maravilhoso. Parece que estamos em Estocolmo ou Bruxelas.A real é outra, dona Marinor.Nem governo, nem justiça e muito menos os infratores cumprem o que está escrito.Há muuuuuito tempo é só papo e papo.Que tal, com todo o respeito, levar algumas barracas para a calçada da sua residência.Deixe lá e vai ver o que acontece...

quinta-feira, janeiro 24, 2008

Um pouco sobre o empresário Marcelo Gabriel

Do antenado Paulo no Espaço aberto
Em depoimento nesta quinta-feira, o filho do ex-governador Almir Gabriel diz que foi procurado para interceder em favor de empresa de Chico Ferreira sobre dívidas, admite ser dono de várias firmas e confirma que teve participação em investimentos no Terminal Rodoviário de Belém
Em todos os interrogatórios até agora tomados pelo juiz federal substituto da 3ª Vara, Leonardo Aguiar, os acusados de envolvimento em supostos crimes de formação de quadrilha, fraudes em licitações e sonegação previdenciária, descobertos pela Operação Rêmora em novembro de 2006, têm sido unânimes em afirmar que ou não conheciam Marcelo Gabriel, filho do ex-governador Almir Gabriel, ou que Marcelo jamais usou de suas influências e amizades junto ao governo do Estado para beneficiar qualquer empresa. Trecho da denúncia do MPF assim se refere a Chico Ferreira e ao réu que depôs hoje: "Chico Ferreira e Marcelo Gabriel estão no topo da organização criminosa. Eles eram os responsáveis pelo direcionamento empresarial ilícito, a partir do contato com agentes públicos, bem como a definição da estrutura societária falsa, além do acobertamento do grupo diante da fiscalização previdenciária." Conceda-se a Marcelo Gabriel o benefício da dúvida, que o próprio direito consagrou na velha, surrada, mas sempre atual expressão latina in dubio pro reo (em caso de dúvida, não se pode condenar o réu). Mas é certo que muito embora Marcelo, na melhor das hipóteses, se esquivasse e não exercesse a condição de influente junto a gabinetes situados em bem postas esferas de poder, era no mínimo tido como alguém que poderia, de alguma forma, interceder junto ao Poder Público para resolver pendências que favorecessem empresas particulares. Estação das Docas Ao depor hoje de manhã na Justiça Federal, Marcelo Gabriel manifestou-se pela primeira vez, em juízo, sobre interceptação telefônica da Polícia Federal, transcrita nos autos. Na conversa, seu amigo Chico Ferreira pede que Marcelo seja o intermediário de negociações sobre a dívida que a Estação das Docas com empresa do próprio Chico. O juiz perguntou-lhe por que Chico Ferreira procurou o depoente. Marcelo respondeu que isso deve-se ao fato de que ele é amigo de Paulo Chaves há mais de 25 anos. Um dos tucanos mais próximos do ex-governador Almir Gabriel, Paulo Chaves, ex-secretário de Cultura, tem sido apresentado como um dos prováveis nomes do PSDB para disputar as eleições para prefeito de Belém, em outubro. Em recente jantar de despedida de Almir, que vai fixar residência em São Paulo, o ex-secretário foi um dos poucos oradores. E chegou a comparar a mudança do ex-governador como se fosse um exílio, para o qual também iriam todos os seus amigos. Na época em que Marcelo foi procurado por Chico Ferreira, segundo informado durante o depoimento, Paulo Chaves exercia o cargo de titular da Secretaria de Cultura, à qual se subordinava a Estação das Docas. Ao final do depoimento, em resposta às perguntas de seu próprio advogado, Marcelo afirmou que, apesar do pedido de Chico Ferreira, não entrou em contato com Paulo Chaves para tratar da tal dívida. Várias empresas Marcelo confirmou de própria voz que tem uma vida empresarial movimentada. Afirmou que é dono das seguintes empresas: * Cateto Comércio e Distribuidora Ltda., que trabalhava na área de distribuição de alimentos e material de escritório; * Celta Construtora e Incorporadora Ltda., que atuava na área de construção civil; * Ponto Um Comércio e Distribuidora Ltda; * Reciclean Indústria e Comércio Ltda. O réu garantiu ao juiz, entretanto, que todas essas empresas se encontram sem movimentação. Algumas, disse ele, funcionaram por pouco tempo, outras nem chegaram a entrar em atividade, como seria o caso da Ponto Um. Esclareceu ainda que constituiu as empresas Ponto Um e Reciclean com o fim específico de registrar seus nomes e impedir que outra pessoa usasse tais expressões, uma vez que trabalha na área de marketing. No mais, Marcelo Gabriel disse que não recebeu nenhuma proposta e nem exigiu qualquer participação financeira nos valores devidos pela Estação das Docas à empresa da família. Acrescentou que nunca teve qualquer relacionamento profissional com a Service Brasil, de Chico Ferreira. Assegurou que nunca teve nenhum poder de gerência ou administração na Service e nunca intermediou qualquer contrato a favor da empresa, seja com pessoas jurídicas públicas ou privadas. Negócios no Terminal Confirmou ainda que, para a Clean Service, sua atuação se limitava à área de marketing e planejamento estratégico e que prestou serviço para a empresa Athiva entre 2005 e 2006. Disse que, na Athiva, sua atuação se limitou basicamente a intermediar a contratação da empresa Sinart (Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico), empresa privada que explora o Terminal Rodoviário de Belém. Marcelo garantiu que não é sócio da Sinart, mas teve participação em dois investimentos. Afirmou ter investido juntamente com a Sinart na construção de 15 salas no segundo pavimento do prédio do terminal rodoviário. Por isso, recebia 40% dos aluguéis de tais salas. O valor da obras, segundo Marcelo, foi de aproximadamente de R$ 20 mil a R$ 25 mil, em valores atualizados.

A nova queda de Zeca Pirão

Justiça anula eleição anterior e manda eleger nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Belém. Mandado de segurança concedido determina ainda o afastamento da Mesa e a imediata realização de nova eleição para a escolha dos novos dirigentes que completarão o restante do mandato. O juiz Marco Antônio Lobo Castelo Branco, em exercício na 3ª Vara da Fazenda de Belém, decidiu, em sentença, anular a eleição para a Mesa da Câmara Municipal de Belém realizada em dezembro de 2006, determinou o afastamento da Mesa eleita e também que a Mesa anterior proceda, imediatamente, a eleição para a nova Mesa Diretora da Casa Legislativa, a fim de completar o período restante do mandato. A decisão do juiz foi em resposta ao Mandado de Segurança impetrado pelo vereador Victor Cunha. A Mesa eleita em dezembro de 2006 tem como presidente o vereador Zeca Pirão.

Tudo fresquinho no site do TJE

Da Coluna do Hiroshi Elegibilidade Vereadores cassados por infidelidade partidária podem concorrer às eleições de outubro. Não há quarentena para eles. Segundo especialista em legislação eleitoral, “a perda de mandato por infidelidade é uma causa diferenciada, não inserida no rol das elencadas na Constituição e Lei Eleitoral, as quais importam na aplicação conjunta da perda e inelegibilidade”. Assim, o mandatário que perder o cargo em razão de infidelidade não está inelegível, podendo se recandidatar ainda neste pleito de 2008.
Da Coluna do Papudinho SALINAS Amiga minha resolve ir a Salinas de ônibus na segunda-feira para desfrutar da companhia de familiares de férias no aprazível município. Sai do Terminal Rodoviário às 13h. Passagem “veículo com ar-condicionado”. Ao subir na marinete, um primeiro susto: sujeira. Um segundo susto: não havia cinto de segurança. Os sustos não pararam aí. Às proximidades de Castanhal, o ônibus passa a se movimentar com baixíssima velocidade, quase parando. Depois, pára mesmo. Quase meia hora. Então o motorista anuncia falhas no acelerador e a troca de carro na garagem da empresa. Para encurtar o relato, a troca foi feita em Castanhal. Por ônibus ainda mais sujo, mais velho, sem cinto de segurança e sem o “ar-condicionado” já pago. Chegada em Salinópolis com desconforto e atraso. A querelante - deu um jeito de voltar para Belém de carona e jura que nunca mais pisa em ônibus Belém / Salinas - diz que não ligou para a Arcon para reclamar porque não faz fé nem no “0800” nem nessas agências inventadas pelos tucanos e que os petistas ainda não deram jeito. - Taí a Anca pra provar a minha tese: agências reguladoras não funcionam nem na terra nem no ar. Usuário e consumidor sofrem sempre. Podes crer e escrever.

Acerto !

O Conselho Estadual das Cidades foi aprovado na 3ª Conferência das Cidades do Pará, nos dias 27 a 29 de outubro de 2007.

No dia 11/10/2207. A governadora publicou o Decreto nº 507/2007 criando o Conselho Estadual das Cidades. Em seguida foi enviada a Mensagem de nº116/07 com o Projeto de Lei 341/07 de 18 de dezembro de 2007 criando o FEHIS e Conselho Estadual das Cidades. O projeto já foi aprovado na Assembléia Legislativa e deve ser promulgado pela Governadora até o fim de janeiro.

A Composição tem 61 membros sendo distribuídos pelos segmentos da seguinte forma:

Movimento Popular-16

Trabalhador-06

Empresários-06

Organizações Não Governamentais -03 Academia-04 Poder Público Municipal -07

Poder Público Estadual Executivo-13

Poder Público Estadual Legislativo/Assembléia Legislativa do Pará -02

Poder Público Federal- 04

As Falas, aguarda com ansiedade a promulgação do Conselho de forma que este possa vir ser um dos principais espaços de abertura política à participação e controle social e palco de importantes decisões no cenário local da política de desenvolvimento urbano pretendida por este governo e incentivada pelos movimentos sociais historicamente ligados nesta reivindicação.

Ela sabe !

Se mantiver firme a perspectiva do fim, não haverá obstáculo que lhe seja insuperável. Leonardo Boff, teólogo.
Vai dar o que falar o retorno de Ana Júlia e o reitor eleito da UEPA, Sr. Silvio Gusmão. Acontece que o último viajou para o mesmo destino que a governadora, mas não para o mesmo evento. Ana Júlia, com uma agenda lotada e conhecida por toda a mídia, jantou na noite de terça-feira com o Ministro da Justiça, Tarso Genro, já o reitor eleito da UEPA, com amigos acadêmicos da Capes e CNPq em Brasília-DF. Ocorre que além de estarem no mesmo vôo na segunda à noite, a governadora era acompanhada por um talentoso advogado que pelo que o blog apurou, teria aconselhado sua amiga para que esta não ocorresse em erro no momento de decidir-se sobre quem nomear para o cargo máximo da Universidade do Estado do Pará. O clima que alguns que outrora diziam ser-lhes favorável, agora é nitidamente contrariado pelos semblantes dos ex-militantes do PC do B que hoje enfileiram-se na "cota" do "Movimento PT" agora mais assustados ainda pela possibilidade de seus líderes caírem do cavalo. Um como vereador - o simpático camarada Paulinho Fonteles, que periga perder o mandato por trocar o PC do B pelo PT no quase final do ano passado e Bira por não emplacar seu ousado sonho de ser o reitor da UEPA, mesmo não tendo alcançado os votos necessários para tal. O desespero da tchurma que se formou apostando nesta hipótese e que hoje larga fogo pelo nariz, chega à tanto que anunciam como se donos da governadora fossem, que se Bira não for o nomeado, Silvio também não será! Será que a chapa de Bira que hoje é investigada pelo Ministério Público Estadual por indícios de irregularidades graves e que sempre rotulou o candidato Silvio Gusmão de "tucano", "direitoso" e neo-liberal, tá dizendo que prefere a professora Ana Cláudia Hage que obteve a maioria dos votos universais e é sabidamente uma ferrenha e histórica opositora do PT ? Antes do fim-de-semana teremos ainda outros elementos que provavelmente deixarão os blocos fantasiados com mais purpurina. É que o povo dos núcleos da UEPA no interior prometem reagir contra a ofensiva de que seus votos não teriam legitimidade de peso para definir a eleição da universidade. E tiveram mesmo. Professores, alunos e diretores de centro prometem trazer à Belém subsídios nos quais tentarão mostrar o que o candidato Bira Rodrigues andava fazendo pelos municípios para os quais viajou com diárias pagas pelo Estado na condição de Secretário Adjunto de Ensino, sem que este pudesse assumir a função de gestor, já que deveria ser devolvido à UEPA para legitimar sua candidatura no processo eleitoral daquela universidade. À seguir, cenas do próximo capítulo com o esperado grand finale que só Ana Júlia pode dar para este caso, antes que deixe no ar e na história, questões que só à oposição interessam.

quarta-feira, janeiro 23, 2008

DEPUTADOS

Do reporter 70 de O Liberal

Extravagâncias

Com um orçamento mensal de R$ 18 milhões, a Assembléia Legislativa do Pará se dá a extravagâncias para rico nenhum botar defeito. Veja as reformas que o presidente Domingos Juvenil autorizou no velho prédio - vão do térreo ao quarto andar, mesmo que a construção da sede-própria, na avenida Júlio César, esteja com o projeto praticamente pronto para sair do papel. Dizem até que as reformas incluem a construção de um salão de beleza.

Retorno

Aliás, os nobres deputados, que entraram em recesso no dia 20 de janeiro e deveriam retomar os trabalhos na segunda-feira, 1º de fevereiro, estão liberados das atividades parlamentares até o dia 11. Portaria da presidência publicada ontem dá conta do adiamento, sob a justificativa de que o prédio está em obras.

Rangar no Hangar na Madruga

Terminou nesta madruga de quarta-feira a Conferência Estadual de Educação, que iniciou Domingo no Hangar e teve sua programação estendida ate às 04 da matina. Fontes militantes, me tiraram da cama para dizer que a escolha da delegação se deu num clima onde quem fechava os olhos, acordava fora do processo. Destaque pela ausência de dois ex-cabeças da SEDUC. Teriam eles esquecido dos compromisso com a Educação do Estado como propagaram durante o ano em que dirigiram aquela secretaria ou estariam ocupado demais cuidando um de ser candidato e outro em ser reitor (na marra)? Nota zero para a contratação das duas empresas que faturam alto com os eventos daquele centro de convenções. Um com lanche (Bob´s) frio e outro (Spazzio) que tentava "esquentar" mixto quente na hora, provocavam filas oméricas e reclamações mil dos educados educadores que alí se acotovelavam pela oferta daquele pacote de serviço oferecido pelo Hangar, sob a gestão da famosa Joana.

segunda-feira, janeiro 21, 2008

A Chapa ta Quente!

Sobre a lista tríplice da UEPA, já se visualiza que o imbróglio venha trazer outras questões pra superfície da opinião pública, entre elas a descoberta de que o candidato da chapa 04, Bira Rodrigues passou um período superior a 03 meses afastado de suas funções academicas sem justificativa.

sexta-feira, janeiro 18, 2008

Defesa?

O procurador-geral do Estado, Ibraim Rocha, anunciou ontem que a PGE ingressará, até segunda-feira, com recurso à liminar do juiz Charles Menezes Barros, da 1ª Vara de Fazenda de Belém, que suspendeu o processo eleitoral na Uepa. A defesa do Estado, em elaboração por um procurador designado por Rocha, pretende, por um lado, restituir à governadora Ana Júlia a caneta de nomeação do novo reitor retirada pela concessão da medida cautelar e, por outro, passar a limpo as denúncias ajuizadas pelo candidato Sílvio Gusmão contra o concorrente Bira Rodrigues.

Pelo que o blog entendeu da nota acima, publicada no Reporter 70, a interpretação da liminar que foi concedida pelo juiz de direito Charles Menezes de Barros, a favor da reivindicação do reitor eleito Sr. Silvio Gusmão através de seu advogado, foi recebida pelo Procurador Geral do Estado como uma ação contra o Estado, e não foi. A Medida Cautelar foi para pedir a IMEDIATA RETIRADA DA CHAPA 04 DA LISTA TRÍPLICE PARA INDICAÇÃO DO REITOR E VICE-REITOR DA UEPA. Ou seja, não cabe ao governo estadual nem ao procurador, tomar partido e comprar a favor da chapa 04, ao pedir que a caneta volte as mãos da governadora, ate porque não foi isso que moveu a liminar. Pretende-se a lisura e a continuidade legal do processo de escolha da governadora, por um dos três nomes que concorreram as eleições da UEPA. Se assim for, o nome do quarto colocado nas eleições sobe para compor a lista tríplice, logo que o presidente do Conselho Universitário decida-se sobre o caso. Afinal, cabe ao CONSUN apresentar parecer sobre as denuncias feitas e constatar através de sindicância especifica sobre o fato. Assim, a governadora fica respaldada para nomear quem lhe for conveniente, dentre os nomes aptos para o cargo de reitor daquela respeitada universidade.

sábado, janeiro 12, 2008

Quem e Como ?

O Conselho Superior da Fundação Estadual de Amparo à Pesquisa do Pará (Fapespa) será empossado pela governadora Ana Júlia Carepa na próxima terça-feira (15), a partir das 17 horas, no Teatro Maria Sílvia Nunes, na Estação das Docas.
Instância máxima de deliberação da Fapespa, o Conselho Superior é um colegiado formado por 19 representantes da sociedade civil, sob a presidência do secretário de Estado de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, Maurílio de Abreu Monteiro. A notícia divulgada pela FAPESPA e divulgado na Agência Pará, só não cita a composição do conselho em sua clarevidência. Escolhidos entre pessoas de notória capacidade profissional e reconhecida idoneidade moral, o Conselho Superior e seus suplentes serão nomeados pela governadora para um mandato de dois anos.
A notícia divulgada no site do governo só não elucidou quais serão os representantes da sociedade civil organizada e os critérios de escolha/indicação que definiram as pessoas de notória capacidade profissional e reconhecida idoneidade moral. Seria bom, não?

Pequena Diferença

A Blogsfera está tinindo. O Quinta Emenda e o Espaço Aberto fazem uma cobertura excepcional sobre o que As Falas considera um contra-ataque à tentativa de golpe ao processo Democrático da UEPA. Assim, fica à sociedade, a conclusão do que está por trás deste recente episódio da história paraense. Os adversários do PT, de camarote apreciam a movimentação e registram o desgaste da governadora em não acatar a decisão da UEPA, que através do CONSUN homologou a escolha das urnas que elegeram o Professor Silvio Gusmão, como o novo reitor eleito daquela respeitada universidade. Ana Júlia, por sua vez, consultada limita-se a frases nada elucidativas. Mas o fato do MPE ter sido acionado, freia a tentativa de nomeação de Bira para terça-feira, como comenta-se pelos rios de nossa terra. Aí, diante de tudo isso, fica a pergunta: Qual a atitude do Castelo de Greiscow? Diversas fontes, nos dão conta de que o argumento que está sendo utilizado pelos unidos do golpe, na tentativa de influênciar a retórica da governadora, seria destacar a "pequena" diferença percentual entre Sílvio e Bira e assim dar legitimidade de optar sobre quem lhe for conveniente. Se não me engano, o reitor da UFPA, Alex Fiuza ao concorrer em sua primeira eleição naquela universidade, foi eleito com a diferença 0, alguma coisa %, não lembram?

sexta-feira, janeiro 11, 2008

Estamos Apresentando

O Segundo turno das eleições da UEPA promete continuar na indefinição, mas as últimas "novidades" dão o que falar - e anular - quem sabe?! O Ministério Público entrou de cabeça na parada.
Aí, para não ser repetitivo, As Falas indica o blog do pessoal da UEPA que reune todas as últimas informações e notícias da mídia e da blogsfera paraense e deixa tudo em pratos limpos.
Boa leitura, se der!