Pesquisar por palavra-chave

quinta-feira, novembro 03, 2011

O PT-Belém e as eleições 2012 – Parte II


O Encontro Municipal do PT realizado em Maio deste ano, aprovou resoluções que sinalizaram a força e a vontade do partido em retomar o comando da capital, trabalhando para a reconquista do poder popular e assim poder reeditar importantes programas sociais e políticas públicas inclusivas, as quais a gestão de Duciomar Costa fez questão de sepultar.

O presidente do PT-Belém, Apolônio Brasileiro, defendeu durante a última reunião da executiva do partido, uma agenda que prevê a realização do Encontro Municipal para Fevereiro e caso não haja consenso no nome para a candidatura à prefeitura, as prévias ficariam para o mês de Março. A proposta foi rechaçada veementemente por Flávio Lauande, secretário municipal de formação política, ligado à DS e manteve-se a indefinição de datas e métodos para a escolha do nome do candidato petista para as eleições de 2012. 

Uma coisa é certa: O PT vem tendo dificuldades em fechar o nome que unificará o partido para fazer frente às pré-candidaturas de partidos adversários, como a do ex-prefeito e hoje deputado estadual Edmilson Rodrigues (PSOL), Zenaldo Coutinho (PSDB), o federal Arnaldo Jordy (PPS) e até mesmo o ex-governador Almir Gabriel, que se filiou no PTB e também está se enxerindo para assumir a prefeitura de Belém.

Enquanto isso, o PSOL avança pra cima dos filiados do PT, visitando e ligando para casas de militantes históricos do partido, conclamando o espírito de luta dos mesmos para o projeto da “verdadeira representação da esquerda nacional”, tal como se vangloriam os ex-petistas que fundaram o “Partido do Socialismo e Liberdade”.

Mesmo assim, várias lideranças do PT dizem que é melhor ter calma e fazer o dever de casa como se deve, isso significa dizer que a unidade partidária necessária para o embate que se avizinha requer de mais tempo e maturação interna. 

Iran Moraes ingressa no PT ungido por Beto Faro e Carlos Bordalo
Desde o final do governo até o a data limite imposta pela justiça eleitoral para os pretensos candidatos poderem troca de partidos, o PT recebeu 211 pedidos de desfiliação e conquistou outros 350, fechando o processo até o dia 07/10 com um saldo positivo de 139 novos filiados, entre eles o vereador Iran Moraes que deixou o PSB e filiou-se ao PT, ligando-se à tendência do deputado estadual Carlos Bordalo e do Federal Beto Faro, ambos mirando a Câmara Federal e o Senado, respectivamente (Caso Bordalo não seja candidato e/ou eleito prefeito de Belém).
 
Pelo raciocínio, Iran Moraes que já foi candidato será candidato à Deputado Estadual e abrirá a possibilidade do grupo, que vem crescendo vertiginosamente no interior do Estado e conquistando importantes cargos no governo federal e instâncias partidárias, ter finalmente um vereador da base do movimento popular, que pode ser o professor Eliezer - que já foi candidato a vereador em 2008 - ou Altair Vieira, presidente do Sindicato dos Rodoviários de Belém.  

O PT-Belém e as eleições 2012 – Parte I


Ainda falta muita água passar por debaixo da ponte do PT-Belém, até que o partido defina quem será de fato, o candidato à prefeitura da cidade das mangueiras. 

É verdade que pretendentes não faltam: Entre eles, já haviam sidos apresentados como pré-candidatos durante do Encontro Municipal, realizado em Maio deste ano, o deputado estadual Carlos Bordalo, da tendência Articulação Socialista; o vereador Alfredo Costa, da Unidade na Luta e o também deputado estadual Valdir Ganzer, do PT pra Valer. 

A Democracia Socialista - Tendência interna do PT, a qual a ex-governadora Ana Júlia é ligada - ainda não havia se pronunciado, mas recentemente, resolveu dizer que também tem pré-candidato e o nome dele é Cláudio Puty, deputado federal e presidente da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados.

Como a agenda do PT-Belém previa que os nomes dos pretendentes fossem apresentados e debatidos até este mês de Novembro e isso não foi possível, a executiva municipal conta agora com um impasse para definição de datas que atendam os interesses do Campo Majoritário (UL, AS e PTV) e da Mensagem ao Partido (DS e outras forças menores). 

Com os nomes sendo “ventilados” em vários lugares, Paulo Rocha e Ana Júlia descartam com firmeza a possibilidade de disputarem eleições municipais em 2012. 

Alfredo Costa no café da manhã do PT. Apoio de Miriquinho e Paulo Rocha.

Primeiro presidente de Honra do PT-PA, Paulo Rocha reuniu-se terça-feira num café da manhã principais lideranças as principais lideranças do PT, em sua sede e foi categórico ao afirmar que irá descansar sua imagem pública e não disputará eleições municipais. A idéia do candidato ao Senado Federal, que ficou em 3º lugar nas eleições de 2010 e ainda alimenta expectativas de ser proclamado Senador, é rodar o interior do Estado e “costurar” a articulação política necessária para manter o maior número de prefeituras sob o comando do PT e até ampliá-la, fazendo um número maior de prefeitos, vices-prefeitos e vereadores, fortalecendo assim o partido para o processo eleitoral de 2014.


Já a ex-governadora Ana Júlia, estuda um convite feito pelo Palácio do Planalto para assumir um cargo no governo federal. Por enquanto, Ana Júlia tem se desdobrado para desempenhar papel pró-ativo em defesa da continuidade dos projetos de infraestrutura estratégicos para o desenvolvimento do Estado, tais como a contrução do novo berço e a ampliação de Vila do Conde para a efetivação do projeto da Hidrovia Araguaia-Tocantins que garantirá o escoamento da produção de minério das siderúricas de Marabá.

Ana preocupa-se que as grandes obras e projetos que teve a oportunidade de iniciar, não fiquem paralizados pela atual gestão tucana e para isso tem participado de reuniões com líderes partidários, em Belém e em Brasília, com o alto escalão do governo Dilma.