Pesquisar por palavra-chave

domingo, fevereiro 17, 2019

Remo e Paysandu têm patrocínio da VeganNation, empresa de produtos veganos

Mascotes do Paysandu e do Remo pousam para foto depois da assinatura de contrato de Patrocínio com a VegaNation. Foto: Fernando Torres.

Via VegaNation

Agora é real: a empresa VeganNation é patrocinadora oficial do Clube do Remo e do  Paysandu. A assinatura dos contratos ocorreu há pouco no hall de acesso à Tribuna de Imprensa no Estádio Mangueirão.  

A VeganNation também garantiu patrocínio a dois clubes do futebol amazonense,  o Iranduba, no futebol feminino, e o Nacional.   

A assinatura dos contratos reuniu o diretor executivo da VeganNation, Isaac Thomas, e os presidentes do Clube do Remo,  Fábio Bentes; do Paysandu, Ricardo Gluck Paul, representado pela vice-presidente Ieda Almeida; o presidente do Iranduba, Amarildo Dutra, e do Nacional, Nazareno Melo.  

A diretoria do Remo e Paysandu assinaram contrato de patrocínio com a VegaNation. Foto: Fernando Torres.

"Queremos aproveitar a força do futebol para melhorar o mundo a partir da integração da comunidades", afirmou o diretor executivo e fundador da VeganNation, Isaac Thomas. Argumentou que "a cada hora estamos destruindo 4 mil campos de futebol no valor de floresta  tropical".

O presidente do Clube do Remo, Fábio Bentes,  comemorou o patrocínio válido por 12 meses.   

"Estamos em um momento novo de reestruturação do clube e este suporte da VeganNation  é um bom suporte", afirmou.    
A vice-presidente do Paysandu,  Ieda Almeida, resaltou: "Essa parceria com a VeganNation vem ao encontro do que a Diretoria de Responsabilidade Social do Paysandu vem fazendo  com relação à uma vida mais saudável das pessoas  e à preocupação com o meio ambiente", destacou.  

Conquista  

Para o presidente do Nacional, Nazareno Melo,  "é salutar a iniciativa desse patrocinador de agregar  o futebol com a preservação da Amazônia, a alimentação saudável e a integração das comunidades",  destacou.  "A dificuldade para se colocar um time de futebol em campo, em um certame, é grande; então, o patrocínio da VeganNation chega, sim, em boa hora", completou.   O futebol feminino do Norte do País também comemora o patrocínio.  "Essa é uma conquista não só do Iranduba, mas da modalidade do futebol feminino do Brasil. 

O fato de uma empresa de porte internacional apoiar um clube dessa modalidade da Regiao Norte , com oito anos de atividades, é muito significativo", declarou o presidente do Iranduba, Amarildo Dutra.  

A VeganNation atua na propagação da cultura veganation - um estilo de vida que valoriza a alimentação saudável e sem maus tratos aos animais e, de forma abrangente, a integração de comunidades no mundo e na preservação do meio ambiente.    Isaac Thomas também assinou um contrato de patrocínio de preservação ambiental na Amazônia, reforçando as ações que o empresário David Benzecry desenvolve na região há 20 anos.   


Senador petista tenta agredir simpatizante do PT no carnaval de Belém

Simpatizante do PT foi mostrar fantasia com sátira ao senador Paulo Rocha (PT-PA), que não entendeu a brincadeira e partiu pra cima da mesma. 

Circula pelas redes sociais a denúncia de que o senador Paulo Rocha (PT-PA) protagoniza mais uma confusão com militantes e simpatizantes do PT. Dessa vez foi durante o desfile do bloco "Petralhas", que saiu de frente à sede do partido, em direção à Cidade Velha, onde juntou-se aos demais brincantes do carnaval de rua, em Belém do Pará. 

Até agora, nenhuma entidade feminista emitiu Nota de Repúdio ao ato do parlamentar. 

Não foi a primeira vez que o senador Paulo Rocha se envolve em confusão com petistas e simpatizantes. Em Agosto de 2017, o senador partiu pra cima de militantes do PT e gritou com eles. Em Setembro do mesmo ano, deu tapas em um idoso, fundador do PT.  

Dessa vez, em pleno carnaval, Paulo Rocha cria outro fato lamentável para sua história política.


Leia o post de Edgar Chagas.

Sobre o acontecido de ontem: 

Chegamos à Praça do Carmo por voltas das 19hs e fomos ao bar do Salomão onde ficamos lá por uma hora mais ou menos.

Em seguida o pessoal resolveu atravessar a praça para o outro barzinho da esquina onde estava o carro do “Quase Lindo” (vendedor de cerveja) e grande amigo nosso. Todos saíram e fomos atrás, eu e Maíra.

Quando chegamos do outro lado da praça vimos o Paulo Rocha com mais duas pessoas, Maíra resolveu ir cumprimentá-lo e mostrar a fantasia pra ele, que tratava de uma sátira à ideia de que o PT destruiu o Brasil, vestida de Bárbie com uma placa na mão que dizia: “O PT acabou com a minha vida”!. A fantasia foi uma das mais fotografadas dentro do bloco os “Petralhas” o qual acompanhávamos, desde o seu início na Gaspar Viana. 

O senador, visivelmente bêbado, partiu pra cima da Maíra a chamando de “elite exploradora” e teve que ser contido pelas pessoas que estavam próximas.

Obviamente que, a esta altura, eu já estava sendo segurado por amigos que viram a confusão e correram pra acalmar os ânimos. Ninguém vê uma cena desta e fica incólume! 

Nada justifica a atitude agressiva incontrolada de alguém que não tinha a menor capacidade nem de estar ali, já que, ao se sentir contrariado, se mostrou um valentão como é comum àqueles que bebem e se sentem super-homens. Mesmo que fosse uma mulher defensora deste governo de estúpidos recentemente eleito, nada justificaria uma tentativa de agressão a uma mulher. Repudiamos com toda veemência qualquer forma de violência, e pelo acontecido, o senador demonstrou que se assemelha muito aos que critica. 

Estamos ainda bastante consternados com a situação ocorrida, principalmente por se tratar de alguém que sempre acreditamos e trabalhamos, mesmo sem pertencer ao partido, ou termos cargos comissionados.

Na verdade o conhecemos meio que de longe por acompanhar sua história e sua atuação política que, nos últimos anos, infelizmente, tem sido marcada por controvérsias como o apoio à oligarcas saqueadores históricos como os Barbalhos, sem falar nas votações em favor de conchavos dos grandes partidos no Congresso Nacional. 

A estupidez tem que ficar apenas com quem a tem e, neste episódio, fica claro que o machismo não tem ideologia, nem partido, é uma praga cultural de um país que nunca deixou de ser patriarcal. 

Todo (sic) minha solidariedade à Maíra e meu completo desprezo à este estúpido senador.

terça-feira, fevereiro 12, 2019

Diálogos Capitais debate a privatização dos Bancos. Assista!


Por Diógenes Brandão

No próximo dia 12/02, com o tema “Bancos públicos sob ataque: Desafios, Riscos e Perspectivas”, Diálogos Capitais chega a Curitiba. 

Para debater propostas contra a privatização dos bancos públicos, que têm papel determinante no desenvolvimento sócio-econômico do país, estarão presentes o presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa (Fenae), Jair Ferreira, o jornalista e escritor Fernando Morais, o Professor Luiz Gonzaga Belluzzo, Doutor em Desenvolvimento Econômico pela Unicamp, e o executivo da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Mário Bernardini.  

O debate, que também contará com a participação do público, terá transmissão ao vivo no canal da CartaCapital no Youtube e na fanpage da Fenae no Facebook.  Diálogos Capitais é uma realização da FENAE em parceria com a revista CartaCapital, com produção da CobraCriada – #Inteligência em Rede.

Assista aqui ou aqui.

Serviço  

Evento: Diálogos Capitais Curitiba Data e hora: 12/02 (terça-feira), de 18h00 às 21h00. 
Local: Auditório da FAE Business School, Av. Visconde de Guarapuava, 3263 – Centro, Curitiba (PR) 
Entrada franca.

quinta-feira, fevereiro 07, 2019

Depois da grande repercussão negativa, Helder Barbalho nega que fará corte nos salários

Por Diógenes Brandão

O governo de Helder Barbalho, através da secretária de Estado de Planejamento e Administração, Hanna Ghassan, negou que tenha assinado uma carta solicitado ao Supremo Tribunal Federal (STF), autorização para corte de salários de servidores públicos. A negativa do governo estadual foi uma resposta ao que informou o jornal Folha de São Paulo, na tarde desta quinta-feira, 7. 



Percebendo que a nota emitida pela secretaria estadual não seria suficiente para estancar a sangria, o governador Helder Barbalho gravou um vídeo de dentro do seu veículo, no começo desta noite, onde afirma categoricamente, que não haverá cortes nos salários dos servidores públicos do Estado, mas limitou-se a isso, sem dizer se o governo emitiu nota ao jornal que trouxe a informação, pedindo reparação ou correção do que foi divulgado.

A fanpage do blog traz o vídeo que recebeu pelo Whatsapp e que foi publicado pelo governador. 

Assista:


Vice-governador peita Bolsonaro contra a privatização do BASA

"Não aceitamos a desestatização do BASA", disse o vice-governador Lúcio Vale,  ao lado de Helder Barbalho,  e o presidente do Banco da Amazônia.

Por Diógenes Brandão

O vice-governador do Pará, Lúcio Vale (PR) usou sua fanpage para desafiar o governo federal e disse que é totalmente contra a desestatização do Banco da Amazônia, projeto que segundo ele está sendo movimentado pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL). 

O tom elevado pode ser considerado uma afronta e uma tentativa de fazer resistência ao programa neoliberal da equipe econômica do Ministro da Economia, Paulo Guedes, um radical defensor da privatização e da entrega de empresas públicas para mega-empresários brasileiro e internacionais.

Leia abaixo o ousado post do vice-governador do Pará, que até dezembro de 2017 chegou a ser incentivado a ser candidato ao senado, para dar continuidade nas suas atividades em defesa dos interesses do Estadom, no Congresso Nacional, mas aceitou o convite de ser vice de Helder Barbalho, eleito governador do Pará.

quarta-feira, fevereiro 06, 2019

A Lei da Ficha Limpa e a 1ª baixa no governo Helder Barbalho?

Respondendo inúmeros processos, Iran Lima sabe que a imunidade parlamentar pode ser melhor que ser secretário de Helder.

Por Diógenes Brandão

Uma fonte do blog informa que o indicado a ser o futuro Secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia do governo do Estado, Iran Lima, já pensa em desistir da oferta e retornar à ALEPA. 

De Brasília, o deputado estadual reeleito pelo MDB, deu sinais de que pode ser a primeira baixa na formação do governo de Helder Barbalho (MDB).

Tendo tomando posse junto com todos os demais deputados eleitos, na última sexta-feira, 1, Iran Lima, estava prestes a pedir o seu afastamento da ALEPA, para poder assumir oficialmente o secretariado de Helder, mas hoje deu sinais de que pode mudar de ideia e permanecer deputado, ao invés de assumir a secretaria no governo estadual.

FICHA LIMPA

Conforme publicado pelo site do MPF e replicado pelo blog AS FALAS DA PÓLIS e o jornal A Província do Pára, antes das eleições de 2018, baseado na Lei da Ficha Limpa, o Ministério Público Federal pediu o indeferimento da candidatura de Iran Lima, Wladimir Costa, Chico da Pesca e mais outros 19 candidatos paraenses.

No caso de Iran Lima, o deputado estadual teve suas contas reprovadas e foi acusado pelo crime de Improbidade Administrativa, em relação ao tempo em que foi prefeito de Moju e foi alvo de diversos pedidos de impugnação por conta de uma condenação do Tribunal de Contas da União. Iran conseguiu manter-se candidato e conquistou os votos necessários para ser reeleito, mas agora está em Brasília, vendo sua situação junto à Justiça Federal e pode ser que a busca pela imunidade parlamentar, tenha feito que o deputado eleito pensar em abrir mão da secretaria estadual para preservar a liberdade.

O arranjo articulado pelo MDB para que Iran Lima assumisse a secretaria, beneficiaria diretamente o primeiro-suplente do partido, o Ozório Juvenil (MDB). 

Iran Lima já estava insatisfeito com a nomeação de seu secretário-adjunto, supostamente indicado por André Dias, Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. Agora, a gota d'água para sua desistência pode ter sido a informação de que sua condenação em Brasília depende apenas de uma questão de tempo. Por isso, a imunidade parlamentar é o melhor caminho para um dos deputados mais atuantes do MDB paraense.

Edmilson Rodrigues ou Kim Kataguiri: Quem venceu o debate?

Por Diógenes Brandão


A equipe de jornalismo da TV Câmara entrevistou nesta terça-feira, 6, dois parlamentares com visões e posições antagônicas: Os deputados federais Edmilson Rodrigues (PSOL) e Kim Kataguiri (DEM-SP). O assunto abordado pelos divergentes foi o pacote "anti-crime", apresentado pelo Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.


Em um debate intenso, os dois deputados apresentaram narrativas totalmente diferentes e o MBL, movimento do qual Kim Kataguiri emergiu, após a onda de protestos de julho de 2013, editou as partes onde supostamente o deputado federal teria tido um bom desempenho e o vídeo viralizou nas redes sociais, sobretudo no Pará, campo de atuação de seu antagonista, o deputado federal Edmilson Rodrigues.

Assista a entrevista e tire suas próprias conclusões:

Conheça: Um pastor e um delegado assumem a bancada paraense no Congresso

O senador Zequinha Marinho (PSC) e o deputado federal Eder Mauro (PSD) foram eleitos coordenadores da bancada paraense no Congresso Nacional.


Por Diógenes Brandão

O senador Zequinha Marinho (PSC) e o deputado federal Eder Mauro (PSD) foram eleito pelos deputados federais e demais senadores paraenses para coordenar a bancada do Pará no Congresso Nacional. Composta por 17 deputados federais e três senadores, a bancada paraense em Brasília se reúne periodicamente para debater assuntos de interesse do Estado e claro, dos próprios deputados e senadores.

BANCADA DA BÍBLIA

Além de pastor, Zequinha Marinho foi vice-governador até o dia 31 de dezembro de 2018, quando terminou o mandato do governador Simão Jatene (PSDB), com quem rompeu relações políticas para aliar-se ao então candidato Helder Barbalho (MDB), eleito governador nas eleições de 2018 e seu pai, Jader Barbalho (MDB), reeleito senador no mesmo pleito. Tanto Zequinha, quanto Jader podem perder o mandato de senadores, caso algum dos quatro pedidos para anulação da chapa pela qual eles concorrerão nas eleições seja aceito. A Polícia Federal comprovou falsificação de uma assinatura em uma ata que homologou a chapa de Jader Barbalho e Zequinha Marinho.

BANCADA DA BALA

Deputado reeleito, Eder Mauro (PSD) também é delegado de polícia e sobrevive politicamente através de uma imagem de justiceiro. Nas eleições de 2018, sabendo de sua alta rejeição perante o eleitorado paraense, colou sua imagem na de Jair Bolsonaro e passou a visitar e trazer o candidato a presidente ao Pará. Em todos os momentos em que Bolsonaro é hospitalizado, Eder Mauro o visita e registra com fotos e vídeos, que vão parar em suas redes sociais.

Mesmo não tendo projetos aprovados e nem emendas parlamentares voltadas à classe policial, Eder Mauro conseguiu reeleger-se, porém com mais de 120 mil votos a menos, ou seja, 45,23% dos votos que obteve em 2014, quando elegeu-se pela primeira vez deputado.

Segundo a Wikipedia, Eder Mauro responde, desde 2009, pelo crime de tortura, conforme o Processo nº 0017859-70.2009.8.14.0401, que tramitava na Justiça Estadual, e que após sua eleição como deputado migrou para o Supremo Tribunal Federal (STF), atrasando o julgamento. A Segunda Turma o absolveu por falta de provas.

Ele também é investigado por suspeita de extorsão em outro caso e é réu em um processo por ameaça. O delegado e mais cinco policiais a ele subordinados são acusados de torturar, ameaçar e extorquir uma senhora, a pedido do então prefeito de Santa Izabel do Pará, Mario Kato (PMDB). Sob mira de fogo, a mulher e dois filhos receberam ameaça de morte, ao que a promotoria chamou de "trama abjeta" orquestrada pelo deputado-delegado e o prefeito.

Conselho de ética

O delegado responde também outro processo no comitê de ética por editar e divulgar um vídeo adulterado onde tentou denegrir a imagem do deputado federal Jean Wyllys (PSOL), distorcendo a fala do deputado numa sessão de CPI da câmara.

terça-feira, fevereiro 05, 2019

Paraense propõe mais rigor nos Planos de Ação de Emergência em áreas de barragens

Já em seu primeiro mandato de deputado federal, Cássio Andrade (PSB-PA) propõe mudanças que atingem Estados explorados pelas mineradoras instaladas no Brasil.
  
Por Diógenes Brandão, com informações da Assessoria de Comunicação do Parlamentar

O Deputado Federal Cássio Andrade (PSB/PA), apresentou ontem, em seu primeiro dia de trabalho na Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei n.º 30/2019, que altera a Lei n.º 12.334/2010 (Política Nacional de Segurança de Barragens).   

O objetivo do parlamentar é  aumentar o rigor na implantação dos Planos de Ação de Emergência, para  preservar pessoas e meio ambiente, no entorno de barragens, antes mesmo que elas sejam construídas e, assim, evitar a repetição de tragédias como as ocorridas em Mariana (2015) e Brumadinho (2019), em Minas Gerais.   

O parlamentar paraense quer aprimorar os requisitos de elaboração e os critérios para implantação do Plano de Ação de Emergência (PAE), que estabelece um conjunto de ações que deveria mitigar as consequências de acidentes ocorridos em barragens, porém, como observou-se nas últimas ocorrências, o PAE não funcionou e foram vitimadas centenas de pessoas, causando também danos ambientais gravíssimos.   

Diante da ineficiência desse Plano, o deputado Cássio Andrade quer tornar o PAE obrigatório para todas as barragens, independentemente de classificação de risco ou potencial de dano, prevendo, ainda, a imediata implantação do PAE pelo empreendedor antes do início da operação da barragem, incluindo obras de adaptação, treinamento dos responsáveis e das populações afetadas, bem como a realização de simulações com os mesmos.   

“As medidas que estamos propondo criam condições mais objetivas no marco legal da Política Nacional de Segurança de Barragens, necessárias para aprimorar os requisitos de elaboração e os critérios para a implementação dos Planos de Ação de Emergência”, disse Cássio Andrade.  

Ele concluiu afirmando que “vidas humanas são bens muito mais preciosos do que as riquezas geradas pela exploração mineral. E essas merecem ser preservadas, assim como o meio ambiente”.

sexta-feira, fevereiro 01, 2019

Tudo junto e misturado: PT, DEM, MDB, PSDB, PSD e PR formam nova mesa diretora da ALEPA

A posse da nova Mesa Diretora da ALEPA foi marcada pela tranquilidade e harmonia entre os deputados estaduais eleitos.
Foto: Ozeas Santos - AID/ALEPA.

Por Diógenes Brandão

Com dois dias de antecedência, a blogosfera paraense já havia anunciado a composição da Mesa Diretora da 19ª legislatura da ALEPA. Com apenas uma mudança do que vinha sendo articulado pelo acordo partidário que levou ao consenso para formação de uma chapa única entre os parlamentares, a indicação do PSD, partido que, primeiramente, havia indicado o nome do deputado estadual Gustavo Sefer, mas este foi substituído por sua colega de partido, a deputada Michele Begot, como anunciamos em primeira mão através da fanpage do blog AS FALAS PÓLIS.

Para alguns deputados consultados pelo blog, o clima de tranquilidade que se manteve durante as últimas semanas permitiu que os parlamentares pudessem combinar o jogo e definir os interesses e acordos estabelecidos nesta formação do comando do parlamento estadual.

Detentor da maior votação dos 184 anos de existência da Assembleia Legislativa do Estado do Pará, o deputado estadual Dr. Daniel Santos (sem partido), conseguiu a proeza ser eleito o presidente mais jovem da história da casa. Oriundo do Maranhão, o médico Daniel Santos sucedeu outro colega de profissão, o também médico, Márcio Miranda (DEM), que comandou a ALEPA por 3 mandatos consecutivos, e imprimiu mudanças significativas, reduzindo regalias, cortando salários exorbitantes e tirando o parlamento das páginas policiais.

Deputado mais votado nas últimas eleições, sua escolha para presidente do Legislativo Estadual teve o apoio político de Helder Barbalho, que conseguiu costurar um acordo com seu partido, o MDB, no qual havia a expectativa de que o deputado Chicão fosse o escolhido, porém com sua indicação para presidir a poderosa Comissão de Constituição e Justiça, o entendimento foi pacificado.

Coube ao próprio Dr. Daniel a costura política ampla com quase todos os demais partidos representados na Alepa, o que culminou com a definição de uma chapa única para a eleição da Mesa Diretora, cuja composição reflete essa articulação

Daniel nasceu em Açailândia(MA) e veio com a família morar no Pará aos 3 anos de idade. Graduou-se em Medicina pela UEPA. É empresário da área  de Saúde. Foi vereador duas vezes em Ananindeua, sendo o mais votado em 2016. Foi o mais jovem presidente da Câmara Municipal de Ananindeua, quando ganhou o Selo Dourado do TCM de Gestão Transparente. Elegeu-se deputado estadual com 113.588 votos. Dr. Daniel é casado e pai de dois filhos. 

A composição da nova Mesa Diretora da ALEPA incluiu parlamentares do PR, PSD, MDB, PSDB, PT e DEM e foi composta pelos seguintes deputados:

Presidente: Dr. Daniel Santos (sem partido)
Vice-presidente: Renato Ogawa (PR)
2ª vice-presidente: Diana Begot (PSD)
1º secretário: Eraldo Pimenta (MDB)
2º secretário: Victor Dias (PSDB)
3ª secretária: Dilvandra Faro (PT)
4º secretário: Hilton Aguiar (DEM)

terça-feira, janeiro 15, 2019

Traições e expulsões podem trazer mudanças na bancada do PSDB na ALEPA e fazer Helder perder apoio

Suplentes estão ansiosos pela possível expulsão dos traidores do PSDB que pularam do barco tucano para o de Helder Barbalho.

"As oportunidades multiplicam-se à medida que são agarradas". 

Sun Tzu, século IV a.C. 


Por Diógenes Brandão

Segundo 3 advogados consultados pelo blog AS FALAS DA PÓLIS, o Diretório Municipal do PSDB em Ananindeua não tinha competência para expulsar um membro do Diretório Estadual, tal como foi anunciado por alguns blogs, que prestam auxílio voluntário ao governo de Helder Barbalho.  

No entanto, pessoas ligadas ao ex-vereador e deputado estadual eleito e diplomado, Dr. Daniel (PSDB) entraram em contato e disseram que a instância municipal, controlada pelo prefeito de Ananindeua, Manoel Pioneiro (PSDB), pode sim expulsá-lo, pelo fato de que Daniel ainda  é vereador e presidente da Câmara Municipal do município. 

Nossos advogados porém contestam a afirmação, dizendo que Dr. Daniel já foi diplomado como deputado e que o Diretório Estadual do PSDB é quem tem a prerrogativa de avaliar se ele ou qualquer outro membro desta instância da estrutura partidária tucana traiu ou não os interesses e programa do partido e assim tomar suas providências, que podem incluir sua expulsão e a perda do mandato, já que conforme já foi abordado por este blog, o art. 22-A da Lei 9.096/95, que foi acrescentado pela Reforma Eleitoral de 2015, especifica os três casos considerados como justa causa para desfiliação partidária sem a perda de mandato.  São eles:    
  1. Mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário;   
  2. Grave discriminação política pessoal e   
  3. Mudança de partido efetuada durante o período de trinta dias que antecede o prazo de filiação exigido em lei para concorrer à eleição, majoritária ou proporcional, ao término do mandato vigente.
Por isso, além do Dr. Daniel, o PSDB pode apreciar o pedido de expulsão de outro deputado tucano que debandou par ao lado adversário: O deputado reeleito Luth Rebelo (PSDB).



O curioso de tudo isso é que diante de tudo que está acontecendo, o deputado eleito que segundo alguns blogs alardearam que havia sido expulso pelo Diretório do PSDB de Ananindeua, em nenhum momento reclamou da sua expulsão e nem se manifestou sobre a as decisões das instâncias de seu partido e segue recolhido e calado nas redes sociais.

Talvez o recolhimento do Dr. Daniel seja pela preocupação em buscar uma saída para a grande ameaça a cadeira que ainda nem sentou: É que deputados estaduais aliados do governador Helder Barbalho continuam a pressionar e disputam a presidência da ALEPA, que segundo blogueiros voluntários, estava prometida ao agora "deputado expulso".  

Para piorar, Dr. Daniel também já sabe que os candidatos do PSDB que também disputaram cadeiras na ALEPA e ficaram como suplentes, também pressionam dirigentes do partido, através de mensagens, telefonemas e encontros reservados, em busca de apoio dos colegas para uma reviravolta nos bastidores do poder legislativo, onde muitos já davam como certo, de que Daniel seria ungido e proclamado presidente da casa. 

A pergunta que circula agora é se for expulso do PSDB pela instância estadual e o partido requerer e ganhar o direito do mandato, quem assume no lugar do Dr. Daniel? Fontes que circulam e interagem com maestria nestes bastidores, sempre mantém o blog atualizado com informações quentíssimas e uma delas acaba de nos dizer que nos dizer que Alexandre Von (PSDB) com seus 30.419 votos e Sancler (PSDB) que obteve 28.247, já não dormem de tanta ansiedade pela reunião do diretório estadual tucano, que pode avaliar o pedido de expulsão dos "traidores" e os suplentes reivindicarem na justiça, junto com o partido, as duas vagas na ALEPA. 

Há quem dizia que tudo sairia do jeito que Manoel Pioneiro e Helder Barbalho planejaram e agora percebem que não será tão fácil assim. Conversas de ambos os lados estão em curso e a disputa, pelo menos agora, é pela maioria no Diretório do PSDB.

PSDB estadual anula expulsão de deputado tucano cotado para presidir a ALEPA

Após ser expulso pelo Diretório Municipal do PSDB, Dr. Daniel teria caminho livre para ser presidente da ALEPA.


Por Diógenes Brandão

O Diretório Estadual do PSDB resolveu agir e anulou a expulsão do vereador e presidente da Câmara Municipal de Ananindeua e deputado estadual eleito e empossado, Dr. Daniel (PSDB).

No documento, a direção estadual tucana lembra que o art. 29 do Estatuto Partidário diz que compete a ele e não ao Diretório Municipal de Ananindeua, remeter ao Conselho de Ética e Disciplina, qualquer infração e violações cometidas por membros do Diretório Estadual, o qual Dr. Daniel integra. 

A decisão pode jogar um balde de água fria nos planos do prefeito de Ananindeua, que controla o Diretório Municipal de Ananindeua e que é o principal padrinho político do ainda tucano Dr. Daniel.

Segundo o documento que acaba de chegar ao blog, a decisão da direção estadual do PSDB determina que o Diretório Municipal apresente documentos que comprovem a tentativa de expulsão, já que a instância superior não foi oficialmente notificada da expulsão, divulgada através de blogs e das redes sociais.

O clima é tenso entre os tucanos após a vitória de Helder Barbalho, que segundo blogs de política, tem feito cooptações de tucanos a fim de enfraquecer o PSDB, principal adversário do MDB no Pará.

Diretório Estadual do PSDB anula expulsão de deputado eleito.
Fontes consultadas pelo blog, dizem que Manoel Pioneiro (PSDB) foi complacente com a estratégia de expulsão do seu amigo e aliado, que apoiou Helder Barbalho (MDB) contra o candidato apoiado pelos tucanos, o Democrata Márcio Miranda. Para muitos analistas, Pioneiro está se vingando pelo fato de ser preterido pela cúpula tucana, quando pensou que seria o nome certo para disputar a sucessão de Simão Jatene, o ex-governador do Pará.

15 dias de muita violência e assassinatos de PMs e cidadãos no Pará

Números extra-oficiais revelam que em apenas 15 dias, mas de 50 pessoas já foram assassinadas no Pará, nos primeiros dias deste ano.

Por Diógenes Brandão

No começo da noite desta segunda-feira, 14, três moradores foram assassinados em um bar no bairro da Cremação, há apenas 200 metros de um quartel da PM, em Belém. 

Na manhã desta terça-feira, um sub-tentente foi assasinado dentro da sua casa, no bairro da Pedreira, em Belém. Segundo a polícia, os 4 homens que mataram o PM já chegaram atirando diversas vezes no policial. Com ele, 6 policiais militares já foram executados nestes primeiros 15 dias do ano.

Agora a pouco, um empresário foi morto ao sair de uma academia, onde praticava exercícios físicos, levou 7 tiros, sendo 6 na cabeça e morreu, em Ananindeua. Leia a postagem que trouxe em primeira mão, o último assassinato que tem deixado muita gente indignada nas redes sociais:



Esses casos nos mostram que ao contrário do que o governo do Estado diz,  a violência não diminuiu e o crime segue com força total no Pará. Qualquer número oficial, não passa de um recorte temporal, que o tempo se encarregará de desmentir. Infelizmente é essa a realidade que nos impõe, a falta de governantes com um olhar mais profissional sobre as políticas públicas. 

quinta-feira, janeiro 10, 2019

Exonerações de DASs tiram programas da TV Cultura do ar

Helder Barbalho foi obrigado a recuar e tornar sem efeito a exoneração de DASs da gestão tucana.


Por Diógenes Brandão

Após completar 30 anos em 2018, o programa Sem Censura Pará não foi ar pela primeira vez nesta quarta-feira, 9. Não por motivos técnicos, mas por faltas técnicos, que foram exonerados pelo governador Helder Barbalho, nesta última terça-feira, 8. 

O governador já havia usado suas redes sociais e os veículos de comunicação de sua família para justificar que precisava economizar 52 milhões de reais e por isso exonerou 2.500 DASs, entre eles, 90 DASs da FUNTELPA, que abriga juridicamente a rádio e a TV Cultura.

Com a exoneração dos DASs nomeados pela ex-presidente Adelaide Oliveira, que assumiu a casa depois de Ney Messias, seu amigo pessoal e penúltimo presidente, além do programa Sem Censura Pará, o Jornal da Cultura também não teve nenhum técnico para colocá-lo no ar. 

O problema de técnico, virou político e causou muitos constragimentos e discussões nos bastidores da FUNTELPA, empresa pública, mas de direito privado.

DASs NO LUGAR DE CONCURSADOS

No último concurso realizado pelo governo do Estado, em 2010, ainda na gestão da petista Regina Lima, foram ofertadas 83 vagas, sendo 21 para jornalista + cadastro reserva. 

Desde que assumiu a presidência da FUNTELPA, a jornalista Adelaide Oliveira (gestão 2011-2018) nunca realizou um concurso público, mesmo tendo ficado 8 anos no comando da casa. 

Adelaide assumiu a presidência e chamou uma pequena parcela dos concursados, deixando a maioria esperando até que a validade do concurso venceu e ela então passou a contratar DASs para cargos técnicos na FUNTELPA.

LAMBANÇA NAS EXONERAÇÕES

Após mandar exonerar 2.500 DASs, sem antes tomar pé da realidade da gestão de diversos órgãos públicos, o governador Helder Barbalho (MDB) foi obrigado a ordenar a publicação de um novo decreto, onde voltou atrás em sua decisão anterior e tornou sem efeito a exoneração de centenas de DASs. 

A medida foi uma forma de corrigir a lambança do governador, que tentou a estratégia-político-midiática de "mostrar serviço".

Na FUNTELPA, sua amiga pessoal e assessora de comunicação, Vera Oliveira, teve que convencer os DASs da gestão tucana que foram exonerados, para que se mantivessem trabalhando. 

Hoje, já com os DASs do governo anterior mantidos na TV Cultura, a Secretária de Cultura, Ursula Vidal foi escalada para falar dos novos ares em sua pasta, que abriga petistas, artistas e produtores culturais que antes criticavam a família Barbalho e hoje estão assessorando Helder Barbalho.

sexta-feira, janeiro 04, 2019

Palanque armado: A guerra de narrativas de Jatene e Helder

Simão Jatene reage às acusações de irregularidades nas obras de hospital visitado por Helder Barbalho, que prometeu investigar os contratos e rever o pagamento da OS responsável. 

Por Diógenes Brandão

A polêmica em torno das obras do Hospital Abelardo Santos, acabou revelando a disposição do ex-governador Simão Jatene (PSDB) em enfrentar a artilharia do atual governador Helder Barbalho (MDB) contra seu legado. 

Cientes de que tanto o ex-governador Simão Jatene, quanto o atual governador Helder Barbalho são responsáveis pelo que escrevem em suas redes sociais, estamos aqui para expor na íntegra as duas versões sobre este fato que tomou conta dos noticiários da grande imprensa.

Vamos por onde tudo começou.

Leia abaixo o post do governador sobre a visita que fez a alguns andares do hospital Abelardo Santos, nesta última quinta-feira (03).


Os veículos de comunicação da família do governador amanheceram com um intenso bombardeio ao ex-governador, usando para tal, as imagens e fotos de dois andares do hospital. Tanto as rádios, quanto o jornal, o portal e a TV RBA, foram usados para levantar suspeitas e fazer acusações, em reforço à narrativa apresentada pelo governador Helder Barbalho.

Leia a matéria e assista o vídeo que acusam haver irregularidades nas obras do hospital Abelardo Santos. 

Demostrando disposição a não deixar nada sem resposta, mesmo sem contar com a mesma estrutura comunicacional do seu adversário,  o ex-governador Simão Jatene se defendeu e contra-atacou, revelando que defenderá seu nome e de sua gestão. 

Leia abaixo o post de Simão Jatene: 



Para quem não lembra, ou não soube, o Diário do Pará já cometeu erros jornalísticos gravíssimos em sua missão de fazer política e tentar atacar os adversários dos Barbalhos. 

Aconteceu contra o ex-governador Hélio Gueiros, depois deste romper com o PMDB e com seu cacique, o senador Jader Barbalho, assim como com a ex-governadora Ana Júlia (PT), depois de ser eleita em 2006 com a ajuda do PMDB e logo em seguida (2010), retirada do poder, com uma campanha difamatória e extremamente desgastante, na qual o PMDB ressuscitou Simão Jatene e o abandonou dois anos depois, exatamente como havia feito com a ex-governadora.

Considerando um verdadeiro vexame pelo qual os jornalistas do Diário do Pará passaram, O blog AS FALAS DA PÓLIS registrou quando o Observatório da Imprensa noticiou a barrigada que rendeu ao jornal dos Barbalho o apelido de Diário de Onduras, por este ter usado fotos de bebês mortos em um hospital de Honduras e dizer que as fotos eram da Santa Casa de Misericórdia, em um claro sinal de desespero em tentar macular a gestão de Simão Jatene, quando este perdeu o apoio do PMDB, que passou a fazer-lhe uma oposição implacável, que dura até hoje.  

O erro foi corrigido pelo editorial do Diário, mas manchou a credibilidade do jornal pertencente à família mais poderosa do Estado.

Clique na imagem abaixo e relembre o caso:




UFPA cria jogo educativo mostrando o descaso ambiental em Belém, Ananindeua e Paragominas

Jogo se passa em cenários conhecidos dos estudantes paraenses. — Foto: Divulgação/ UFPA.

Via G1 Pará

Avenida Almirante Barroso, praia de Outeiro, Paragominas e outros lugares são cenário do game, que pode ser utilizado de forma didática com crianças.

Estudantes de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal do Pará (UFPA) com o auxílio de professores, criaram um jogo virtual que ensina às crianças processos de conscientização sobre os problemas ambientais do Pará. Batizado de “O Sábio - Uma aventura ecológica”, o game pode ser utilizado de forma didática nas salas de aula ou como lazer e está disponível na internet de forma gratuita.  
O objetivo é mostrar aos pequenos desastres naturais, profundas mudanças ambientais e o aquecimento global. O jogo, criado pelos alunos Beatriz Veras, Francisco Costa, Levi Pacheco, Ney Cristina Oliveira e Verena Ribeiro foca nos problemas ambientais que afetam a sociedade.  

“O grupo optou por enfocar situações que tiveram destaque em jornais locais, retratando situações de fácil reconhecimento pelos alunos, em seu cotidiano”, conta Beatriz.  

De acordo com a pedagoga Janise Viana, mestre em Gestão de Recursos Naturais, que ajudou na criação do game, por meio do jogo “os professores poderão estimular a discussão sobre temas como a contaminação das águas superficiais e subterrâneas por esgotos e lixo, a poluição do ar e o desmatamento da floresta Amazônica”.  

Game 

Na primeira fase é enfatizada a questão do lixo e de ratos nas feiras livres: “Nessa etapa o jogador deve evitar ser atingido pelo líquido escuro (chorume), altamente poluente, liberado pela decomposição da matéria orgânica presente no lixo acumulado nas imediações da feira”, detalha a professora Janise.  

A segunda parte do jogo mostra o cenário exuberante das praias da região e como são danificados pela poluição. De acordo com a docente, “aqueles que chegam nessa etapa só conseguirão se livrar da contaminação se pularem em um barco. A fase é inspirada na Praia do Amor, em Outeiro.  

A terceira fase é voltada para a poluição do ar, consequente da queima de combustíveis fósseis por automóveis. O cenário deste nível foi baseado na avenida Almirante Barroso.

quinta-feira, janeiro 03, 2019

Ananindeua completa 75 anos e Manoel Pioneiro 14 anos como prefeito. Nada a comemorar



Por Diógenes Brandão

Completando 75 anos, Ananindeua não tem nada a comemorar. 

Com apenas 0,75% do município contando com a cobertura de esgoto, apenas 20 mil pessoas são atendidas com o mínimo de saneamento. 


O prefeito Manoel Pioneiro (PSDB) culpa a COSANPA e a falta de dinheiro para oferecer qualidade de vida ao povo que o elegeu 4 vezes. Mesmo assim, em entrevista à TV Liberal, o prefeito prometeu quatro novas UPAS - sem nem ao menos saber se Jair Bolsonaro manterá essa política pública - creches e obras para amenizar o triste quadro em que a cidade se encontra: Umas das piores do país para se viver, segundo diversos institutos nacionais.


Depois de 14 anos no poder, o prefeito Manoel Pioneiro sabe que apenas 29% da população tem direito à água tratada, mas mandou montar um palco na Av. Arterial, na Cidade Nova, para oferecer shows e distribuir brindes para o povão, como manda a boa e velha política do pão e circo.

Amanhã saberemos quantas pessoas foram vítimas de assaltos e outros crimes. 

Infelizmente é assim e os anos passam e nada muda. Exemplo disso é que ano passado, este blog fez uma matéria muito mais ampla, mostrando a realidade nua e crua em que a população de Ananindeua passa, nas mãos de uma classe política cada vez mais rica e poderosa. 

De lá pra cá, a única coisa que temos de novo é um terminal rodoviário meia-boca, inaugurado sem estar terminado.

Os vereadores, que deveriam fiscalizar e cobrar do prefeito o bom uso do dinheiro público, disputam todas semanas, as cadeiras em sua luxuosa mesa de jantar, em um condomínio da BR 316, onde traçam planos para manterem-se no poder e e aproveitando do que é servido. 

segunda-feira, dezembro 17, 2018

Nilson Pinto faz avaliação positiva dos trabalhos da CREDN e destaca contribuição ao futuro governo

Nilson Pinto: “Compilamos um documento com propostas objetivas para as áreas de Política Externa, Defesa e Inteligência, para ser entregue ao presidente eleito e à sua equipe".

O deputado Nilson Pinto fez uma avaliação positiva dos trabalhos da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN), que preside, e destacou a importante contribuição ao futuro governo. “Compilamos um documento com propostas objetivas para as áreas de Política Externa, Defesa e Inteligência, para ser entregue ao presidente eleito e à sua equipe.

O deputado Nilson Pinto fez uma avaliação positiva dos trabalhos da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN), que preside, e destacou a importante contribuição ao futuro governo. “Compilamos um documento com propostas objetivas para as áreas de Política Externa, Defesa e Inteligência, para ser entregue ao presidente eleito e à sua equipe. Trata-se de uma contribuição da CREDN, da qual Bolsonaro sempre foi membro, à formulação das políticas que serão implementadas a partir de 1º de janeiro nessas áreas”, explicou.  

O documento, de 14 páginas, é resultado do Seminário “Política Externa, Defesa e Inteligência na Projeção Internacional do Brasil”, promovido pela Comissão no dia 21 de novembro. O evento reuniu especialistas com renomada experiência nas três áreas e foi prestigiado por mais de 30 delegações estrangeiras, militares das Forças Armadas, diplomatas, empresários, acadêmicos e técnicos de diversos órgãos públicos.   

Além desse trabalho, Nilson Pinto destacou ainda a importância dos debates acerca dos 40 anos do Tratado de Cooperação Amazônica, que também serviu para a identificação dos gargalos estratégicos, sociais e de segurança que os oito países membros da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) terão de lidar. Esta agenda foi discutida em seminário que a CREDN realizou em julho deste ano e que contou com a participação de representantes dos diversos países amazônicos.   

Segundo ele, “temos que seguir no caminho do fortalecimento dessa organização e das demais entidades de cooperação Pan–Amazônica. Somente a união e a integração irão favorecer os objetivos do desenvolvimento humano dos povos da região com responsabilidade socioambiental e sustentabilidade”, afirmou.   

O deputado acrescentou que, entre os meses de abril e dezembro, a Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional realizou um total de 16 reuniões deliberativas, aprovando 30 requerimentos, 11 sugestões de emendas à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e 4 à Lei Orçamentária Anual (LOA), além de 43 proposições, incluindo 29 acordos internacionais, 3 projetos de decreto legislativo e 11 projetos de lei.  

No mesmo período, 7 audiências públicas foram realizadas cobrindo temas de Relações Exteriores, Defesa Nacional e Inteligência, nas quais participaram ministros de Estado, oficiais generais das Forças Armadas, diplomatas, gestores públicos, pesquisadores e acadêmicos.   

Nilson Pinto também proferiu duas palestras sobre o papel desempenhado pela CREDN e seus reflexos para as Forças Armadas, dirigidas aos oficiais superiores e alunos da Escola Superior de Guerra (ESG), Escola de Guerra Naval (EGN) e Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME). “Além disso, recebemos 27 embaixadores estrangeiros e duas delegações parlamentares internacionais, fortalecendo a Diplomacia Parlamentar e ampliando o foco de atuação dos diferentes grupos de amizade”, assinalou.    

“Na nossa avaliação, a Comissão encerra os seus trabalhos com um saldo extremamente positivo, apesar de ter sido um ano curto, devido às eleições gerais.  Mas, esse trabalho só foi possível graças ao esforço e à participação ativa de cada um dos membros da CREDN, além da equipe da sua secretaria, sempre à disposição para ajudar a viabilizar as diversas ações do colegiado”, concluiu.

Com informações de Marcelo Rech, jornalista da Câmara dos Deputados.

Escoltado pela polícia durante protesto, secretário de finanças é atingido por ovos em Curralinho

Por Dário Pedrosa

Júnior Aires, Secretário de Finanças de Curralinho e filho da atual prefeita foi hostilizado por manifestantes ao sair da sede da Prefeitura.  

Servidores jogaram ovos no Secretário quando este estava sendo escoltado por polícias civis e militares para deixar o prédio.  

Os protestos são contra os cortes feitos nos pagamentos dos salários dos professores do município, assim como pela reivindicação para que haja a restruturação do PCCR. Alguns professores tiveram até 40% dos seus vencimentos retirados dos seus contra-cheques de Novembro.

Assista o vídeo:



Ouça a entrevista do jornalista Dário Pedrosa com a coordenadora do SINTEPP em Curralinho:\