Pesquisar por palavra-chave

terça-feira, abril 05, 2011

Abandonada pelo Governo do Estado, Santa Casa admite morte de bebês


 A assessoria de imprensa da Santa Casa afirma que os 18 caixões vistos pelas mães estavam vazios.

A Fundação Santa Casa de Misericórdia admitiu a morte de quatro bebês, entre sábado (2) e a madrugada de ontem (4). As causas não foram reveladas. A filha de uma adolescente de 17 anos está entre os bebês mortos e ela diz que a médica (cujo nome não soube informar) falou em infecção.

A adolescente conta que, quando foi ao necrotério buscar o corpo da sua bebê, havia outros 18 lá. O mesmo cenário foi visto por outras pessoas que, mesmo assustadas e com medo de serem identificadas, confirmaram a informação. A direção da Santa Casa nega.

“Eu respondo legalmente e administrativamente pela Santa Casa e afirmo que não há bebês mortos com qualquer infecção e nem há 18 corpos no necrotério. O que pode ter sido visto foram corpos não reclamados pelas famílias. Temos uma comissão de controle de infecções no hospital, assim como há em qualquer outro. E se houver qualquer suspeita, tomamos as providências imediatamente. Nada de anormal ocorreu estes dias”, afirmou a presidente da Santa Casa Maria do Carmo Lobato, que desmentiu a história e disse ficar “muito triste com as coisas que a mente humana era capaz”.

Maria do Carmo confirmou a morte de quatro bebês e disse que essa quantidade de óbitos é considerada “dentro da normalidade” para os pacientes da UTI neonatal, bebês muito frágeis e com a saúde em risco.

Também foi descartada qualquer infecção na UTI. A ala foi aberta para visitação e estava funcionando. O acesso ao necrotério para esclarecer se havia ou não 18 bebês foi negado.

A assessoria de imprensa da Santa Casa de Misericórdia reiterou, ontem à tarde, que havia quatro bebês no necrotério e 18 caixões infantis vazios, adquiridos pelo hospital e colocados em local visível.