Pesquisar por palavra-chave

segunda-feira, setembro 29, 2014

Helder x Jatene: A influência - e o striptease - dos jornais e das pesquisas na escolha do eleitorado

As eleições deste ano no Pará estão servindo como palco para o striptease político dos dois principais jornais paraenses e dos institutos de pesquisa.

Já não é de hoje que a rivalidade comercial entre a família Maiorana (ORM) e a família Barbalho (RBA) respinga nas disputas eleitorais e torna os partidos meros coadjuvantes de um processo que se mantem refém do poder midiático que influencia os eleitores a elegerem aqueles que são primeiramente ungidos pelos impérios comunicacionais e só depois tem seus nomes disponibilizados nas cédulas eleitorais para a aferição popular.

Com a divulgação das últimas pesquisas eleitorais realizadas pelos jornais O Liberal e o Diário do Pará neste fim de semana, a tese do parágrafo anterior se confirma com um tom amargo para os partidos que dizem ter projetos políticos de poder.

Passei o sábado lendo nas redes sociais, que o jornal O Liberal estava sendo distribuído de forma gratuita pelas ruas de Belém e a noite, ao sair de uma pizzaria do centro de Belém, recebi gratuitamente de uma funcionária, um exemplar do jornal Diário do Pará

Não preciso dizer que a manchete de O Liberal trazia o governador Simão Jatene reeleito já no primeiro turno, informação aferida pelo IBOPE e onde o jornal divulgou a seguinte notícia: “O juiz federal Antônio Carlos de Almeida Campelo deferiu liminar solicitada pela coligação Juntos com o Povo, do candidato ao governo Simão Jatene (PSDB), e mandou suspender a veiculação de todos os trechos de propaganda eleitoral do candidato Helder Barbalho (PMDB) em seu horário eleitoral no rádio, atacando a filha do governador, Izabela Jatene, e “proibindo de veicular na propaganda eleitoral gratuita na rádio novas ofensas, calúnias ou mensagens ridicularizantes desprovidas e divorciadas de crítica política”, sob pena de multa cominatória de R$ 100 mil para cada veiculação que descumpra a ordem judicial, sem prejuízo das demais sanções pertinentes, inclusive de ordem penal por desobediência à ordem judicial.”

Já o Diário do Pará, além de reafirmar a vitória de Helder Barbalho também no primeiro turno, trouxe a seguinte informação: 

“Após divulgar de forma ilegal pesquisa do Ibope neste domingo (28), não somente o jornal O Liberal como também o Portal ORM, apoiadores da campanha de Simão Jatene (PSDB) ao governo, terão que pagar multa de R$1 milhão, cada um. A decisão foi tomada na última sexta-feira (26), pelo juiz eleitoral Marco Antonio Lobo Castelo Branco.

Como já havia sido antecipado pelo Diário do Pará, o juiz eleitoral já questionara a validade e procedência da pesquisa, afirmando que “É a boa-fé do eleitor que está em jogo e isto é de fundamental importância no processo democrático. Em pesquisa anterior, noticiam os autos, há incongruência na coleta de dados. Tal fato está sendo apurado na esfera competente”. Como se vê, para a Justiça Eleitoral, a pesquisa do Ibope tem fortes sinais de fraude e por isso não deveria ter sido publicada”.

Hoje, a propaganda eleitoral na TV mostrou que a disputa por ser ainda mais sangrenta, mas não deixará de ser disputada nas ruas, nos institutos de pesquisa e nas capas dos jornais, é claro!

Quanto aos partidos e eleitores, deixa pra lá..