Pesquisar por palavra-chave

terça-feira, outubro 05, 2010

Anula ou Mantém: Eis a questão do Senado no Pará.

O "disse me disse " da imprensa, dá diferentes versões para o mesmo caso e nos perguntamos: em quem acreditar?

Aqui, a versão do portal IG.

Eleição no Pará pode ser anulada por causa da Lei da Ficha Limpa.

Os dois senadores mais votados tiveram registro negado com base na lei e recorreram. Há problemas semelhantes no Amapá e na Paraíba.

A eleição no Pará pode ser anulada. Os dois candidatos mais votados para o Senado concorreram sem registro, barrados pela Lei da Ficha Limpa. Juntos, eles têm mais da metade dos votos. E esses votos podem ser considerados nulos se os dois forem impedidos de assumir pela Justiça.

Na disputa pelo Senado, Jader Barbalho, do PMDB, e Paulo Rocha, do PT, tiveram juntos 57% dos votos - que estão congelados e podem ser anulados se a Justiça decidir que eles não devem assumir. Os dois tiveram o registro negado por causa da Lei da Ficha Limpa e recorreram.

"A lei em tese estabelece que se houver uma maioria de votos nulos proceder-se-á nova eleição", lembra o presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski.

No Amapá e na Paraíba também há candidatos ao Senado que tiveram votos para se eleger, mas que estão com as candidaturas suspensas por causa da Lei da Ficha Limpa. Só depois da decisão da Justiça sobre esses casos é que vai se saber se eles vão assumir os mandatos."Isso é que é lamentável nessa eleição. Que ela não esteja dependendo da política nem dos políticos.

Ela está dependendo dos juristas e dos tribunais", lamenta o cientista político Otaciano Nogueira.O ex-ministro do TSE Torquato Jardim concorda que se trata de uma eleição diferente: "É um momento único, um momento raro. Em 34 anos de TSE eu nunca vi outro igual", diz o magistrado.

Sem contar com os que dependem de decisão judicial, o Senado ficou assim: o PMDB elegeu 20 senadores, o mesmo número que tinha em 2006. O PT cresceu. Elegeu 13 senadores. Há quatro anos tinha 11. O PSDB elegeu dez. Em 2006 eram 13. O Democratas minguou: elegeu oito, contra 17 de 2006. O PP terá cinco senadores. Tinha um. O PTB e o PR mantiveram a bancada de quatro senadores cada. O PSB agora tem quatro senadores. Tinha três. O PDT ficou com três, contra quatro em 2006. Outros partidos elegeram juntos dez senadores.

Na Câmara o PT ganhou força. Elegeu 88 deputados. Cinco a mais que 2006. O PMDB perdeu dez cadeiras. Elegeu agora 79 deputados, contra 89 em 2006. Pelo PSDB, foram eleitos 53 deputados. Contra 66 da última eleição. O Democratas foi o partido da oposição que mais encolheu. Elegeu 43 deputados contra 65 em 2006, quando ainda se chamava PFL. O PP manteve o mesmo tamanho: elegeu 41 deputados. O PR cresceu muito. Elegeu agora 41 deputados. Em 2006, quando ainda se chamava PL, tinha 23 cadeiras. Pelo PSB foram 34 eleitos. Antes, eram 27. Outros partidos elegeram juntos 134 deputados.A eleição de governadores não está ameaçada. Nenhum candidato a governador foi para o segundo turno com registro negado com base na Lei da Ficha Limpa.

Fonte: Portal G1.

Eis agora, a outra versão:

Por Débora Zampier - Repórter da Agência Brasil

Brasília - O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) afirmou hoje (5), por meio de nota oficial, que “é prematuro se pensar em novo pleito” para os cargos de senador no Pará. No estado, 57% dos votos para o senado estão anulados porque o segundo e o terceiro candidatos mais votados - Jader Barbalho (PMDB) e Paulo Rocha (PT) - tiveram os registros de candidatura negados pela Justiça Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa.

A nota informa que o tribunal irá se reunir na próxima semana para discutir o tema, mas que irá aguardar as manifestações do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a questão. “O TRE do Pará, independentemente do resultado e dos debates a serem realizados, está preparado para cumprir os dispositivos legais do Código Eleitoral”.

O presidente do TSE, Ricardo Lewandowski, disse ontem (4) que a legislação eleitoral prevê a realização de novas eleições quando o número de votos nulos supera o de votos válidos. Entretanto, o ministro afirmou que cabe ao TRE-PA decidir o que fará sobre a questão. “Quem proclama eleição dos senadores é o TRE local, não podemos antecipar nada”. Segundo o ministro, é possível que processos tenham particularidades jurídicas desconhecidas que podem levar a desfechos diferentes do esperado.

O caso de Jader Barbalho já foi julgado pelo plenário do TSE e o recurso está pronto para ser enviado ao STF. Já Paulo Rocha teve uma decisão negativa na primeira instância, mas entrou com recurso que será julgado pelo plenário do tribunal. Segundo Lewandowski, o caso será analisado ainda esta semana pelo TSE.

Edição: Vinicius Doria

PTB estuda abandonar campanha de Serra

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, disse ao iG que vai submeter à Executiva Nacional, nesta quarta-feira, a revisão do apoio formal à candidatura de José Serra (PSDB) no segundo turno. Apesar da coligação formal com o tucano no primeiro tuno, o partido ficou rachado. Os líderes das bancadas no Congresso apoiaram Dilma Rousseff (PT). Agora há setores insatisfeitos dos dois lados. Com o quadro confuso, a tendência é a neutralidade.
Leia mais no Portal Ig

Serra acusa Marina de "mensalão"

Há uma semana atrás Marina no Debate da Globo diz que Serra não responde as perguntas dela e só fala uma série de coisas que "diz" que fez em São Paulo e que não faz autocrítica. Serra por sua vez rebate e diz que ela - Marina - e Dilma tem muito mais coisas em comum do que com ele. Passada a eleição e agora desesperado em ter o apoio da verde, Serra diz totalmente o contrário. Veja a postagem no blog amigos do Presidente Lula:
José Serra continua no segundo turno o mesmo demagogo e mentiroso de sempre. Hoje, em Minas, Serra elogiou Marina e disse espera "aproximação" com verdes no segundo turno."Ela merece respeito e a admiração da minha parte", disse Serra.
Mas não era isso que Serra pensava até uma semana atrás quando esteve frente a frente com Marina no debate da Globo. Veja o vídeo, confira.

O Resultado Final das Eleições - I



Por Diógenes Brandão

Com 9.123 votos recebidos neste último domingo (03), o candidato que eu apoiei para representar a região do Marajó na ALEPA, não alcançou o número de votos necessários para eleger-se, mas Laércio Pereira diante da realidade financeira da campanha, ao certo conseguiu uma expressiva votação, já que ficou à frente de notáveis candidatos, tais como, Suleima Pegado (PSDB) que já era deputada e tentava a reeleição, vindo para isso obter 541 votos a menos que o Marajoara, que também superou - com 1.592 votos a mais - Fernando Dourado, o poderoso ex-secretário de saúde no governo tucano e atual vereador em Belém.

Igualmente vereador da metrópole, já em seu 2º mandato, Adalberto Aguiar (PT) recebeu 3.470 votos a menos que Laércio, que também superou em 1.924 votos, a camarada Sandra Batista, hoje, vice-prefeita de Ananindeua (2º maior colégio eleitoral do PA) já foi vereadora em Belém e deputada estadual por 02 mandatos.

O recebedor do meu voto e apoio para a câmara federal foi o Santareno Carlos Martins, deputado estadual pelo PT e irmão da prefeita de Santarém, Maria do Carmo (PT) e do atual Chefe da Casa Civil do governo Estadual. Miriquinho Bastista e Mário Cardoso foram meus candidatos secundários.

Carlos está na ilharga como 1º Suplente pelo PT, tendo apenas faltado 15.994 votos para ultrapassar o concorrente – Zé Geraldo (PTpraValer).

O Quadro interno do PT.

O PT tinha 06 e agora tem 09 deputados estaduais eleitos nesta eleição, sendo que Miriquinho Batista saiu da ALEPA para a Câmara Federal como o 2º parlamentar mais votado do PT-PA. Filho de Abaetetuba e atual secretário da Assembléia Legislativa do Pará, Miriquinho dirige junto com Paulo Rocha e outras lideranças, a Unidade na Luta, tendência interna do PT. Paulo Rocha não foi eleito para o senado, mas teve a diferença de apenas 22.026 votos para Jader Barbalho, quem os institutos de pesquisa colocavam como “Deus dos votos”.

O maior grupo do PT sofre com a derrota do seu maior líder, mas elegeu 03 deputados Estaduais, dos quais Chico da Pesca foi o mais votado do PT-PA, seguido de Alfredo Costa e Zé Maria do baixo-amazonas. Alfredo Costa depois de 02 eleições deixa a vereança e chega ao Palácio da Cabanagem com 2.753 votos a mais que Suely Oliveira, a 1ª suplente do PT, a qual é ligada à DS, comandada pelo núcleo duro e a própria governadora, que elegeu apenas o ex-secretário de Cultura Edilson Moura como deputado Estadual e Cláudio Puty como Federal, de quem todos esperavam ser o “campeão de votos” dada a mega-campanha realizada pelo ex-chefe da casa civil.

O grupo que hegemoniza o governo, ganha ainda a vaga na Câmara Municipal de Belém, já que Milene Lauande, assume no lugar de Alfredo Costa por ser a 1ª suplente das eleições de 2008 e junto com Marquinho agora será vereadora do grupo que comanda o governo Ana Júlia, por mais 02 anos, pelo menos.

O PT pra Valer teve reeleitos os deputados Valdir Ganzer, Bernadete Tem Catem e Airton Faleiro, mantendo assim a hegemonia do antigo campo majoritário, hoje denominado “Construindo um Novo Brasil”, grupo que comanda o PT a nível local e nacional, junto com a Unidade na Luta com seus 03 deputados estaduais - já citados - e a Articulação Socialista, que elegeu Milton Simmer e reelegeu Carlos Bordalo deputado Estadual, além de Beto Faro, o mais votado como deputado federal.

A Dança das Cadeiras

Já o PSDB sangrou, fez apenas 06 cadeiras na ALEPA, perdeu 04 dos 10 deputados que tem até dezembro deste ano. Na Câmara Federal, O DEM tinha 03 e perdeu 02, ficando apenas Márcio Miranda que já era deputado Estadual e olhe lá!

O partido, em extinção no Brasil, só terá o Santareno Lira Maia como representante em Brasília, pois o dral Vic Pires Franco, até bem pouco tempo atrás era presidente da legenda no Pará e depois do golpe sofrido pelos Tucanos resolveu não se candidar-se com a sua esposa, a ex-governadora Valéria Franco, apontada pelos institutos de pesquisa nas eleições de 2008 como prefeita eleita de Belém e que amargou o 4º lugar.

O PSOL elegeu com 85.412 votos, o ex-prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues e este comemorou muito ontem pelas ruas da cidade que governou por 08 anos, mas o partido amargou a derrota humilhante da candidata Araceli Lemos que já tinha exercido mandato na Assembléia Legislativa pelo PT e este ano só conseguiu 4.840 votos no partido Socialismo e Liberdade, praticamente a metade dos votos do candidato que apoiei, o qual praticamente só é reconhecido pelas massas em alguns municípios do Marajó.

O PMDB alardeou as pesquisas que apontavam Jader como mais votado e levou um susto quando os votos começaram a serem computados. Saiu com o Senador, reelegeu 03 dos atuais federais – Wlad, Elcione e Asdrúbal – e reposicionou Priante em Brasília, ficando no total com 04 dos 05 candidatos que tinha, já que Jader saiu pro Senado e Bel Mesquita não alcançou a meta de votos para manter-se no cargo.

Apesar da grande votação que as pesquisas apontavam para Jatene (PSDB), tendo inclusive configurado um falso quadro para o eleitor, de que o tucano ganharia ainda no 1º turno, o PSDB foi entre os grandes partidos do Pará o que mais sofreu na composição do parlamento. Reelegeu os federais Zenaldo Coutinho, Nilson Pinto e Wandenkolk Gonçalves, mas perdeu 04 - André Dias, Bira Barbosa, Bosco Gabriel, Ítalo Mácola, Suleima Pegado e Tetê Santos – ficando apenas com 06 das 10 cadeiras na ALEPA.

Flexa foi quem melhor se beneficiou da boataria tucana que induziu grande parte do eleitorado à pensar que Jader e Paulo Rocha não eram elegíveis. Resultado: 1.817.644 de votos para o Senador que já foi preso pela Polícia Federal em 2005 mas se dizia “Ficha Limpa”.

No Pará não haveria 2 turno, dizia o IBOPE e mais uma vez foi comprovado d que o dia D é uma caixinha de surpresas, talvez a mesma surpresa tida pela professora Edilza Fontes, ex-superintendente do PTP e manda-chuva da Escola de Governo do Pará e candidata, tendo recebido 12.509 votos para deputada estadual, que desabafou em seu blog:

“O que vi foi arrasador e que me deixa muito preocupada sobre os rumos da política, da relação da ética e da democracia representativa no Brasil. Andei por 52 municípios, discutindo propostas, encaminhei soluções coletivas, mas no dia da eleição, que tanto me falaram, realmente muda tudo, vira o voto. Eu que pensei ter no mínimo ter três vezes mais votos que tive, me surpreendi com o votos da urna. Ainda pensava que era possível eleger somente debatendo idéias, não é. A maquina partidária, a maquina administrativa são fundamentais”

Clodovil Suvinil - Propagandas que não vão pra TV

Propagandas Geniais

Deputados Estaduais Eleitos

Deputado Estadual
CandidatoPartidoVotos%
EDMILSON RODRIGUESPSOL85.4122,51
MÁRCIO MIRANDADEM67.5301,99
PIONEIROPSDB54.0471,59
SIMONE MORGADOPMDB50.9461,50
CHICO DA PESCAPT49.7021,46
SIDNEY ROSAPSDB48.9311,44
BORDALOPT45.0751,33
ALEXANDRE VONPSDB44.8371,32
CILENE COUTOPSDB43.9241,29
MARTINHO CARMONAPMDB43.4571,28
JÚNIOR FERRARIPTB43.2791,27
JUNIOR HAGEPR41.8351,23
TIÃO MIRANDAPTB41.1931,21
MEGALEPSDB40.0901,18
CHICÃOPMDB39.8561,17
VALDIR GANZERPT37.4631,10
ANA CUNHAPSDB35.3361,04
DR. HAROLDO MARTINSDEM33.9211,00
BERNADETEPT33.7360,99
AIRTON FALEIROPT32.8930,97
EDUARDO COSTAPTB32.4580,96
LUZINEIDEPR32.4350,95
PROF EDILSON MOURAPT32.4020,95
NILMA LIMAPMDB30.3590,89
JOAQUIM PASSARINHOPTB30.1950,89
PARSIFALPMDB29.8630,88
FERNANDO COIMBRAPDT29.0360,85
ANTONIO ROCHAPMDB28.9770,85
JOSEFINAPMDB28.5440,84
ELIEL FAUSTINOPR28.5370,84
MACARRÃOPMDB28.1200,83
OZORIO JUVENILPMDB28.0350,83
PAULO TITANPMDB26.7610,79
PIO XPDT26.2690,77
CASSIO ANDRADEPSB25.4140,75
MARIO MOREIRAPTB24.3220,72
BELOPSB24.2920,72
TETEPSDB23.9750,71
GABRIEL GUERREIROPV23.5410,69
DR. WANDERLANPMDB23.4590,69
ALESSANDRO NOVELINOPMN23.3890,69
RAIMUNDO SANTOSPR23.2500,68
ZE MARIAPT23.1280,68
MILTON ZIMMERPT22.9060,67
REGINALDO CAMPOSPSB22.8980,67
PROFESSOR ALFREDO COSTAPT22.7620,67
SCAFFPMDB22.5000,66
JOÃO SALAMEPPS22.1270,65
PASTOR DIVINOPRB22.1180,65