Pesquisar por palavra-chave

quarta-feira, março 19, 2014

Brasil deixou de ser vulnerável há muito tempo, diz Nobel de Economia

O Brasil saiu da crise mundial muito bem e não se justificam preocupações com sua economia.

O prêmio Nobel de Economia, Paul Krugman, afirmou que a economia do Brasil é resistente e "não é mais vulnerável" há muito tempo. "O Brasil saiu da crise mundial muito bem e não se justificam preocupações com sua economia", destacou. Seus comentários são uma espécie de contraponto às avaliações de especialistas internacionais de que o País faz parte de um grupo de nações frágeis, avaliação que foi reforçada pelo Federal Reserve (o banco central americano), num estudo recentemente divulgado.

"O Brasil tem um desempenho muito bom da economia, em meio à crise internacional", destacou Krugman. "Há maior confiança no País e que política fiscal será mais responsável", apontou. Ele destacou que a dívida externa do País, "perto de US$ 300 bilhões", não é mais um fator importante no caso do País, pois seu PIB é bem maior, pouco acima de US$ 2 trilhões, e possui reservas próximas de US$ 370 bilhões.

"Além disso, o País tem hoje uma menor exposição em dívida denominada em moeda estrangeira", ponderou. Nem mesmo o câmbio apreciado, que foi objeto das mais fortes críticas de Krugman em outras visitas ao País, foi mencionado como um problema durante a palestra nesta terça-feira, 18, promovido pela revista Carta Capital.

China. Krugman afirmou que é possível que a China, o principal parceiro comercial do Brasil, passe por um movimento de desaceleração do nível de atividade, o que ele classificou com um "choque", embora ressalte que esse não é o principal cenário com o qual trabalha para o país asiático no curto prazo. "E o Brasil sofreria com um choque na China, por causa das exportações de commodities."

Navega Belém: Ato Público cobrará promessas do prefeito de Belém

Imagens ironizando a triste situação da capital paraense circulam nas redes sociais e nada acontece.


O Fórum dos Atingidos por Alagamentos em Belém, realizará o Ato Público, nesta quarta-feira (19) às 15h, em frente à Prefeitura de Belém (Palácio Antonio Lemos – Praça D, Pedro II), para cobrar do Prefeito Zenaldo Coutinho os compromissos assumidos por ocasião do lançamento do Fórum com a população de Belém onde se destacam: A conclusão das obras nos canais de todas as bacias hidrográficas de Belém e a execução das medidas de emergência.

Um ano se passou e as situações se mantém com a cidade submersa. Por isso, é necessário a intervenção da Prefeitura em atendimento as legítimas reivindicações do Fórum dos Atingidos por alagamentos em Belém.

PROS ganha SUDAM e aperta o PT no Pará

Matéria publicada no Jornal "O Liberal" desta quarta-feira (19).

O jornal O Liberal trouxe a repercussão de que um dos poucos espaços do governo federal onde petistas paraenses ainda ocupam espaços de destaque, está preste a ser entregue pro PROS, após acordo de reforma ministerial. As informações estão no blog do Gerson Camarotti, no Portal IG.

blog do Parsifal nos dá um raio X do partido no Pará:


“..Liderado no Pará pelo prefeito de Marabá João Salame, que deixou o PPS, ( o PROS) é o partido que mais capitalizou o troca-troca de legendas: até agora filiaram-se 75 vereadores, 1 deputado federal, Dudimar Paxiuba, ex-PSDB, e o deputado estadual Raimundo Belo, ex-PSB.


A irreverência política erigiu dois trocadilhos, que são repetido até pelo prefeito João Salame, presidente regional do PROS: diz-se que uma das exigências para ser filiado ao PROS, é ser contra o governo do Pará”.


Aliado do PT e do PMDB, o novo partido dirigido pelo prefeito de Marabá, João Salame que saiu do PPS e da base do governo do PSDB e hoje forma uma frente de oposição à reeleição do atual governador Simão Jatene, pode mexer em espaços (DAS's) destinados à Unidade na Luta, grupo do candidato a Senador pelo PT-PA, o ex-deputado Paulo Rocha.